Antes foi assim.......

domingo, abril 18, 2010

Como já tinha tido outro blogue que deixei sensivelmente há um ano atrás, quis fazer um resumée e colocar aqui tudo o que estava no outro, uma vez que o ia apagar em definitivo e porque considero realmente importante o que lá está.......
Assim sendo, a catrefada de texto que aparece foi transferida do dito blogue que já eliminei.....



Pedras no caminho
Se há texto ou poema onde eu me revejo,definitivamente que este está no topo...“Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta... Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo." Fernando Pessoa

Um mês depois...

Faz dia 29 um mês que a minha avó faleceu...um mês em que a minha vida deu uma reviravolta que não sei que resultado irá ter...Demorei quase este período de tempo a assimilar esta nova realidade, pelo caminho a minha mãe teve um internamento para reajuste de medicação e vai melhorando aos poucos, mesmo aos poucos...Há quem me tenha dito para procurar ajuda para mim porque perdi aquela que foi como uma mãe para mim...mas para quê?Para me dizerem que estou muito depressiva e me darem medicamentos para isso?Não, muito obrigada...não quero esses medicamentos para nada...Há quem me diga que não posso perder a força e coragem que tive e que tenho para me ajudar a mim mesma e à minha mãe...enfim há que aguentar o barco,mesmo que teme que ele se esteja a afundar, porque se eu não estiver bem ninguém estará...Enfim,é quase surreal observar o quanto há pessoas que estão dependentes de mim neste momento...pensar em mim e somente em mim é neste momento impossível, tenho que pensar nos outros, manter a estabilidade dos outros e ainda encontrar a minha, o que sejamos sinceros neste momento não é fácil...Ao longo deste mês conto pelos dedos as noites que consegui dormir minimamente descansada, porque quando acordo,tenho a sensação de que o meu cérebro passou a noite toda a funcionar...Como está a minha mãe, como as coisas vão correr, porque andei eu a estudar e a gastar dinheiro para estar no desemprego, porque não consigo eu tirar a carta de condução...e sei lá mais o quê...Já me disseram para voltar à psicóloga...mas para quê?Para fazer terapia em como segurar o barco e tentar ser minimamente positiva? Ou terapia para ultrapassar o choque?Não...à terapia não volto...não volto porque tenho a clara noção de que só o tempo cura estas coisas...e que com o tempo tudo isto vai passar...

Quando se perde alguém....

O que fazer quando parte de nós, do nosso coração, do nosso ser é-nos levada sem mais nem menos?Não sei....sinceramente não sei...Sei que no dia 29 de Março perdi a minha avó e foi-se uma parte de mim com ela...O que sou hoje como pessoa, devo à minha avó e ao meu avô, que me ajudaram a criar e a ter como base sempre a modéstia, a humildade e a força...Não consigo descrever a dor que é perder assim alguém...por mais que tente não consigo, sei apenas que é uma dor tão grande e uma ferida tão profunda que não ainda como sarar...Sei apenas que fiquei com a minha vida de pernas para o ar, mas que como um barco vou remar contra as marés e tempestades que surjam.....

Há dias assim

Parece-me que quanto mais quero,desejo e preciso de uma coisa, mais tempo ela demora a aparecer....Céus...parece de propósito....Como eu preciso da carta de condução, para poder iniciar uma nova era pessoal, para poder não mudar a minha a vida radicalmente ( porque sei que tal não acontece tão facilmente ), mas sim poder mudar um pouco que seja e assim conseguir fazer algo de útil não só a mim, mas também à minha mãe e à minha avó...Céus...tenho a noção que o carro passava sem tocar no outro...passava rés vés...mas passava e eu virei o volante no exacto momento...Que merda!!!!Porque é que me foi calhar um examinador completamente filho da mãe hoje?Eu que sei os percursos todos, sei as mudanças que se devem pôr e as armadilhas que lá estão que me podem lixar a vida...Porque é que a mim tudo me custa tanto? É para saber dar o devido valor às coisas? Eu sei dar o valor às coisas, sejam boas, más ou assim-assim...Aprendo com os erros e as cabeçadas que dou, dei e darei...Mas só peço a Deus, a seja quem for que me vigia lá do alto que me dê uma folga e um pouco de sorte....só isso não peço este e o outro, nem o sol e a lua ao mesmo tempo, porque não preciso de tanto...peço só um pouco de sorte, para poder começar uma nova etapa da minha vida...só um pouco,nada mais....Eu quero tanto, eu preciso tanto desse pedacinho de sorte, ou de iluminação, seja lá o que for, preciso tanto desse bocadinho...

Positividade

Posso dizer que nunca fui uma pessoa muito positiva. Sou a pessoa em que a positividade aparecia na forma do talvez...no talvez consiga isto, talvez consiga aquilo, talvez, talvez, talvez....Nunca as palavras vou conseguir fazer, ou realizar isto ou aquilo...Mas agora consigo usar essas palavras...e deixei para trás o talvez...Mas há sempre alguém que me diz se eu serei mesmo capaz, que eu não sou independente e nunca o vou ser...Há sempre alguém que diz és capaz, mas por dentro pensa o oposto, e eu sinceramente não gosto muito disso, porque mais vale dizer a verdade do que ser simpático só por o ser.A minha positividade passa por acreditar que é desta que vou passar na condução...Passa por acreditar em que consigo arranjar trabalho seja onde for em sem cunhas por trás...Passa por acreditar em que vou apresentar um projecto credível de ser posto em prática...Em suma tudo passa por acreditar em mim o no que eu valho e do que sou capaz.....Eu acredito, quem acredita em mim não irá ficar desiludido, os que não acreditam....temos pena...Mas vai chegar o dia em que esses irão mudar de ideias....

Terapia

Há alguns meses atrás decidi consultar uma psicóloga. Era algo que sentia que precisava de fazer, nunca soube o verdadeiro porquê da decisão, sabia apenas que não me sentia bem comigo mesma. Mas tive medo…muito medo… Medo de entrar no consultório Medo de admitir que não me sentia bem e que não sabia o porquê Medo de que me disessem que eu deveria ser seguida por um psiquiatra porque estava com uma qualquer depressão ou coisa do género....o maior medo acima de tudo, mas que felizmente não foi detectado... Descobri que não fiz mal em ter feito alguma terapia, de ter chorado,de inconscientemente ter descrito os meus medos e também ter exorcizado alguns deles... Sim de forma inconsciente descobri os meus medos e quem eu era naquela altura, o que sou e o que posso vir a ser. Descobri tudo isto ao ver aqueles desenhos com aquelas manchas estranhas esborratadas. Quando li o relatório do dito teste ( teste de Rorschach) pensava em como era possível umas manchas dizerem tanto sobre mim, a minha personalidade, os meus medos, como me relaciono com as outras pessoas, e de facto tudo ali bate de facto certo com a minha personalidade. Tudo, excepto a conclusão, porque já não me sinto com as sensações depressivas com que estava em Setembro do ano passado. Sim, felizmente neste momento posso dizer que me com uma atitude mais positiva perante mim e tudo o que me rodeia, que me sinto com a coragem necessária para enfrentar os desafios que se me colocam, que me sinto mais optimista e que caramba…que alguma coisa boa me vai acontecer….seja ela o que for,e que principalmente acredito e confio em mim mesma…o mais importante que a terapia me deu de volta…a minha capacidade de acreditar em mim…e de que sim vou encontrar a minha felicidade, o que me vai completar, que vou encontrar o que preciso para ser feliz… Neste momento até estou a ficar com a “lágrima no canto do olho”, mas por alegria, por sentir que recupero o que perdi em Setembro de 2008. E aqui vem a lógica da batata frita, aquilo que tanto tempo demorei a interiorizar: SE EU NÃO ACREDITAR EM MIM, QUEM ACREDITARÁ?!?

O que há em mim é sobretudo cansaço

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto alguém.
Essas coisas todas
Essas e o que faz falta nelas eternamente
Tudo isso faz um cansaço,Este cansaço,
Cansaço.
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Íssimo, íssimo. íssimo,
Cansaço...
Álvaro de Campos

Acredito

Acredito que tenho um tempo para tudo....Acredito que alcanço um dia os meus objectivos....Acredito que posso sonhar...Acredito que aprendo com o presente...Acredito que aprendo com o passado...Acredito que aprendo com os meus erros...Acredito que aprendo ao olhar para o que me rodeia...Acredito que aprendo com os meus medos...Acredito em mim....

O medo....

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."Fernado Pessoa.
Gosto e de ter no meu hi5 e no msn frases com as quais me identifico,não por serem bonitaa,por terem sido escritas por alguém conhecido,nem para encher espaço. Gosto deste tipo de frases e de pensamentos porque sempre me fazem pensar e reflectir sobre mim e muitas sobre o que me rodeia.Descobri este excerto de Fernando Pessoa por mero acaso, e sinceramente identifico-me muito com ele.Pessoalmente diz-me que na vida tudo tem o seu tempo, mas que existem certas alturas em que alguma coisa em nós deve e tem que ser mudada....Mas o que me faz pensar é na coisa que deve ser mudada e na coragem que possuimos para dar esse passo, para mudar aquilo que precisamos, de sermos audazes em quem sabe assim dar uma volta de 180 graus na nossa vida...Mas essa mudança passa realmente por onde? Por ganharmos o euromilhoes e mudarmos tudo o que nos rodeia? Para muitos provavelmente seria essa a grande mudança que fariam...mas eu não mudaria dessa forma...Eu mudaria o meu interior...não a minha personalidade, a minha modéstia, o meu ser...se isso acontecesse deixaria de ser eu mesma e perderia toda a minha essência....porque gosto de ser eu mesma com os prós e contras (a perfeição não existe, e quem pensa que a alcançou está muito enganado).Mas pensando melhor a mudança a que me refiro está na minha personalidade, certamente desde que lembro...Mas a minha mudança e a minha travessia passam por coisas que para muitos são simples, mas para mim não o são....passa por perder o medo...tão simples quanto isso...medo de enfrentar desafios qualquer um que seja, medo de enfrentar o que me rodeia como deve ser, o medo de por vezes me sentir menos que alguém....Tenho a certeza que não me tornaria numa pessoa diferente, que continuaria a ser eu mesma...Sinto que tenho menos medo, sei que se não o ultrapassar, o vizinho do lado não o irá fazer por mim....O medo...simplesmente o medo...medo disto, medo daquilo, medo de tudo, medo de nada...

Resolução de Ano Novo

Vou...vou...vou...vou...As resoluções de ano novo resumem-se basicamente à palavra VOU...mas de facto quantas serão realmente postas em prática? Quantas e quantas vezes não se dará conta que são repetidas durante os anos, e que provavelmente não são concretizadas por este ou por aquele motivo? A minha resolução de ano novo desta vez não passou pelos pressupostos habituais...não prometi deixar de fumar, nem dedicar-me a uma causa nobre...prometi sim acreditar e confiar em mesma... Será esta uma resolução estranha? Para mim não...está na altura de deixar os meus fantasmas, os meus medos e receios a minha pouca confiança lá para trás, onde devem estar...bem escondidos no canto mais profundo do meu ser... Acreditar em mim....pode ser fácil, pode não ser,pode custar mais ou custar menos...provavelmente esta história do acreditar e desacreditar já tem algum tempo, certamente que sim...Quando não nos é proporcionada uma parte da estabilidade que devemos ter, quando não nos foi oferecida a infância e adolescência que seria tida como normal, torna-se complicado acreditar...muito complicado... Pode até parecer surreal, mas para mim não o é. Para mim o não acreditar sempre foi uma parte de mim, sempre associado a uma falta de confiança também ela um bocado surreal, de que existe um óptimo exemplo...se eu consegui ter um curso superior (o que não me torna mais que ninguém, mas que foi conseguido com muito esforço, e que superou as expectativas de muitas pessoas, que lá está provavelmente não acreditavam em mim), porque sempre tive tanto medo de tirar a carta e de conduzir???Lá está...provavelmente não acreditava, provavelmente a minha confiança nunca permitiu que eu o fizesse senão agora. Foi-me dito muita vez que sou o oposto do que diversas vezes vejo ao espelho...e o que torna isto interessante é que eu própria o sei, mas pura e simplesmente não queria ver, ou não o conseguia fazer. É engraçado ver que existem pessoas que sempre acreditaram mais em mim do que eu própria...e que por inúmeras vezes me olhei ao espelho e pensei e perguntei porque acreditam em mim se eu mesma não acredito? Quantas vezes não tive vontade de partir o raio do espelho e pensar...pensar...pensar...que se tivesse tido a minha dita estabilidade acreditaria mais em mim? Mas ainda bem que não parti o espelho, e ainda bem que de certa forma sempre fui inconformada com a minha vida e comigo mesma, e assim fui descobrindo aos poucos motivos para acreditar e confiar em mim mesma.... Parece a história dos coitadinhos...mas não o é...porque nunca permiti e nem permitirei ser uma coitadinha...porque acredito que tudo o que me foi e não foi proporcionado até aos dias de hoje me transformaram na pessoa em que muitos acreditam,e em que eu mesma devo acreditar mais... E como escreveu Fernando Pessoa " Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios,incompreensões e periodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.É atravessar desertos fora de si,mas ser capaz de encontrar um óasis no recôndito da sua alma. É agradeçer a Deus a cada manhã o milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma critíca mesmo que injusta. Pedras no caminho?Guardo todas,um dia vou construir um castelo"

Simplesmente-rascunhos

Simplesmente-rascunhos....o nome ideal, uma vez que não tenho quaiquer pretensões em ser escritora, nem publicar best-sellers, mas sim voltar a recuperar um hábito há muito esquecido....o simples hábito de escrever...Escrever sobre tudo, escrever sobre nada, quem sabe um dia dissertar sobre a lógica da batata frita...Simplesmente-rascunhos porque é isso que fazia o que agora estou a fazer e o que irei fazer...tão simples rascunhos...somente rascunhos...nada mais...Sempre assim foi e há-de ser...E a ideia de fazer um blogue?Já tem tempo...mas ainda não tinha tido a coragem para o conceber (como se tal fosse dificil)...é o meu lado introspectivo que tende sempre a vir ao de cima.Mas sinto que finalmente chegou a altura de o fazer...para finalmente deixar de rasgar em mil e um pedaços as folhas que escrevi...para dar largas à imaginação...dar largas aos pensamentos...dar largas aos sentimentos...enfim exacerbar, pôr cá fora muitas das coisas que vão dentro do meu ser e assim....assim....fazer aqui os meus simplesmente-rascunhos....

You Might Also Like

0 comentários