Reportagens Sic

terça-feira, maio 18, 2010

Como filha de doente mental que sou, vi no Domingo a Grande Reportagem na Sic feita no Hospital Júlio de Matos. Sensível como sou, confesso que fiquei chocada pelo facto de muitos daqueles doentes não terem visitas de familiares e amigos há muitos anos. Sei o que custa entrar neste género de locais e já presenciei cenas um pouco surreais. Contudo devo dizer que nenhum doente mental é descartável, e nem nós sabemos o que nos pode acontecer um dia, porque como diz o ditado " de sãos e de loucos todos nós temos um pouco".
Assim sendo deixo aqui abaixo o link para a Grande Reportagem da Sic intitulada " A lucidez da loucura", e também outra Grande Reportagem da Sic de 2009 : "Mentes inquietas".

A Lucidez da Loucura" é uma viagem ao interior do Hospital Júlio de Matos, guiada pela...s pessoas que lá vivem, algumas há dezenas de anos. Como o Manuel que já não se lembra da vida que deixou cá fora. O Paulo, que já se tentou suicidar sete vezes. A Firmina e o João que todos os fins de tarde se encontram para namorar. E o Nuno, que há 55 anos ocupa um quarto e só pede à vida que o deixe lá continuar.

As frustrações e os sonhos de quem há muito aprendeu que a lucidez pode ser muito mais dolorosa do que a loucura. 
 

Em Portugal, há mais de 100 mil pessoas que sofrem de algum tipo de distúrbio bipolar; uma perturbação psíquica que se caracteriza por oscilações acentuadas do humor com crises repetidas de depressão e de euforia. Cada um dos doentes tem uma forma particular de manifestar a bipolaridade e de reagir ao diagnóstico, à terapeutica e ao estigma.
A Grande Reportagem SIC deste Domingo entra na vida de três pessoas que sofrem de doença bipolar. 



Pedro Paixão tinha 19 anos quando lhe foi diagnosticada a doença maniaco-depressiva. Em 1976, era esta a designação da doença bipolar. Só aos 30 anos, é que o então professor universitário de Filosofia, começou a ser acompanhado regularmente por um psiquiatra e aderiu à terapeutica. Hoje, o escritor - que abandonou a vida académica em 2005 por causa da doença - garante que aprendeu a lidar melhor com os seus humores.

No mesmo ano em que Pedro Paixão recebeu o diagnostico nascia Maria da Glória, a segunda filha de Cristina e Mário Beja Santos. Depois de uma adolescência turbulenta, Glória entraria na idade adulta no mesmo desassossego. Aos 26 anos e depois de seis meses de avaliação psiquiátrica, seria diagnosticada com a doença bipolar Tipo 1, a mais grave.
Entrava nas estatísticas da perturbação psíquica que afecta uma em cada 100 pessoas.

You Might Also Like

7 comentários

Popular Posts

Subscribe