terça-feira, maio 18, 2010

Reportagens Sic

Como filha de doente mental que sou, vi no Domingo a Grande Reportagem na Sic feita no Hospital Júlio de Matos. Sensível como sou, confesso que fiquei chocada pelo facto de muitos daqueles doentes não terem visitas de familiares e amigos há muitos anos. Sei o que custa entrar neste género de locais e já presenciei cenas um pouco surreais. Contudo devo dizer que nenhum doente mental é descartável, e nem nós sabemos o que nos pode acontecer um dia, porque como diz o ditado " de sãos e de loucos todos nós temos um pouco".
Assim sendo deixo aqui abaixo o link para a Grande Reportagem da Sic intitulada " A lucidez da loucura", e também outra Grande Reportagem da Sic de 2009 : "Mentes inquietas".
A Lucidez da Loucura" é uma viagem ao interior do Hospital Júlio de Matos, guiada pela...s pessoas que lá vivem, algumas há dezenas de anos. Como o Manuel que já não se lembra da vida que deixou cá fora. O Paulo, que já se tentou suicidar sete vezes. A Firmina e o João que todos os fins de tarde se encontram para namorar. E o Nuno, que há 55 anos ocupa um quarto e só pede à vida que o deixe lá continuar.

As frustrações e os sonhos de quem há muito aprendeu que a lucidez pode ser muito mais dolorosa do que a loucura. 
 

Em Portugal, há mais de 100 mil pessoas que sofrem de algum tipo de distúrbio bipolar; uma perturbação psíquica que se caracteriza por oscilações acentuadas do humor com crises repetidas de depressão e de euforia. Cada um dos doentes tem uma forma particular de manifestar a bipolaridade e de reagir ao diagnóstico, à terapeutica e ao estigma.
A Grande Reportagem SIC deste Domingo entra na vida de três pessoas que sofrem de doença bipolar. 



Pedro Paixão tinha 19 anos quando lhe foi diagnosticada a doença maniaco-depressiva. Em 1976, era esta a designação da doença bipolar. Só aos 30 anos, é que o então professor universitário de Filosofia, começou a ser acompanhado regularmente por um psiquiatra e aderiu à terapeutica. Hoje, o escritor - que abandonou a vida académica em 2005 por causa da doença - garante que aprendeu a lidar melhor com os seus humores.

No mesmo ano em que Pedro Paixão recebeu o diagnostico nascia Maria da Glória, a segunda filha de Cristina e Mário Beja Santos. Depois de uma adolescência turbulenta, Glória entraria na idade adulta no mesmo desassossego. Aos 26 anos e depois de seis meses de avaliação psiquiátrica, seria diagnosticada com a doença bipolar Tipo 1, a mais grave.
Entrava nas estatísticas da perturbação psíquica que afecta uma em cada 100 pessoas.

7 comentários

  1. duas grandes reportagens!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo: fantásticas, um belo trabalho da sic.

    ResponderEliminar
  3. essas pessoas doentes mentais devem serem mortos e enterradas

    ResponderEliminar
  4. Morto e enterrado devias ser tu, não tens coração? Sabes que nunca estamos livres de nada, Hoje são eles, amanha podes ser tu! Excelente reportagem, Parabéns e que essas pessoas tenha uma vida tranquila e se possível feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas reportagens foram geniais na forma como abordaram a doença e os doentes mentais.

      Eliminar
  5. essas pessoas precisam de uma oração bem forte para quebrar esses demónios estão dentro da cabeça delas só Deus pode salvar essas pessoas

    ResponderEliminar
  6. essas pessoas precisam de uma oração bem forte para quebrar esses demónios estão dentro da cabeça delas só Deus pode salvar essas pessoas

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall