segunda-feira, agosto 30, 2010

O que não nos mata só nos torna mais fortes

Hoje fui a Leiria ver a minha mãe,munida da minha capa e do meu nariz arrebitado,com a pose habitual.
Tudo dentro do normal,como esperado,estabilização dela e da medicação e daqui a uns dias tem alta.Mas não é disso que quero falar,apesar de estar à espera de ir à visita para escrever estas linhas.

Entrar numa qualquer ala psiquiátrica de um hospital não é fácil e desenganem-se os que pensam que é...se pensam assim é porque nunca lá foram.Encontram-se nestes sitíos todos os tipos de doenças mentais,desde a mais simples depressão que descambou um pouco a casos muito mais graves.Os doentes mentais não se encontram separados por tipologias de doenças ou pela gravidade de casos.Nada disso.Nestes locais é basicamente um "tudo ao molho e fé em Deus", e estômago forte e força para os que ali entram e não sabem o que os espera.

A psiquiatria em Leiria é dividida em ala masculina e feminina e o único local que se pode chamar de comum é na entrada.Para os que acham que as doenças mentais atingem apenas as mulheres estão redondamente enganados.Em Leiria tanto a ala feminina como a masculina estão cheias e não vos passa pela cabeça a quantidade de homens que lá estão internados devido a depressões e afins.
E a faixa etária???Uma vez entrei vi os quadro onde estão as doentes e são muitas as mulheres lá internadas que são da minha faixa etária ou mais novas do que eu.

Já vi um miúdo na casa dos 20 anos a dizer que ia para a NASA,há alguns anos atrás uma miúda que estava a fazer desintoxicação tentou convencer-me a oferecer-lhe os meus óculos de sol.
Também ia morrendo de medo no dia em que vi uma miúda que devia ter mais ou menos a minha idade a aproximar-se de mim com o olhar bem lá longe, e eu sem saber para onde ir só pensava "Ai Inês o que vais fazer agora....ela está a vir na tua direcção.E se te aperta o pescoço,se me bate???Ai ai ai".O que ela me fez???Cumprimentou-me com dois beijinhos e seguiu em frente!!!Já me chamaram de doutora e nesse dia até me pediram ajuda,já vi a minha mãe a ajudar uma velhota a subir para a cama ( a meu pedido) e a bater na velhota porque a velhota não gostou da ajuda e bateu-lhe.Já vi doentes que dão conselhos aos outros e ainda nos querem aconselhar a nós.Já vi um rapaz com o olhar mais triste deste mundo lá internado,assim como vi e senti que estava a ser observada por homens que lá estavam internados.
Hoje vi nas visitas uma criança que terá ido ver a mãe e questionei-me que tipo de gente leva crianças para estes sítios,também vi uma adolescente por lá que me olhou de lado.Só me apeteceu perguntar o que ela ali estava a fazer misturada com aquela gente???Também vi uns quantos olhares esgazeados assim como vi aqueles casos mentais mais fortes que me deixam a pensar que a nossa mente é uma coisa bestial,que nós a controlamos mas que se calhar não a controlamos tão bem como pensamos.Muitos dos que lá estão têm doenças que estão sempre a evoluir,outros estão lá porque lhes aconteceu algo de grave na vida e não conseguiram ultrapassar o que aconteceu...
Portanto eu digo sempre " o que não nos mata só nos torna mais fortes", e cada vez que entro no 4º piso do hospital de Leiria digo para mim mesma que vou dar máximo de mim para nunca vir parar a um sítio destes,mas tendo a consciência de que nunca sabemos o dia de amanhã.

5 comentários

  1. Bem Inês, mais uma vez, brutal!!! Nem imagino como será visitar uma ala dessas e conviver com isso tudo. És realmente uma pessoa muito forte e consicente de tudo! Não deve ser fácil, mas pareces-me ser daquelas "firmes e hirtas"! ahahahahha Força e coragem! Pareces-me no "bom caminho"!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Verytonta:
    quando entro nestes sítios,faço questão de pôr a minha capa e de erguer a cabeça e ponho o coração ao largo.Se é fácil???Não é,é tramado como tudo
    Não me permito a chorar lá,se entro com a cabeça erguida também saio assim,sou firme e hirta como dizes,porque é o meu feitio e porque é assim que tem que ser.

    ResponderEliminar
  3. Inês,
    Infelizmente já visitei alguns desses sitios que algumas pessoas mais 2insuspeitas" acabaram por cair lá.
    Além de problemas de geração que nos torna mais frágeis, todos sem excepção poderemos ter um desequilíbrio e ir lá parar!!
    Beijo e melhoras da mãe

    ResponderEliminar
  4. Pedro: mal aterras aqui encontras um elogio ao rabiosque da dona do estaminé e logo a seguir uma saga sobre internamentos (ainda existem os momentos insanos).
    A nossa cabeça é uma coisa do caraças,mas muitas pessoas não têm a consciência disso.Eu tenho bastante a noção disso porque fui obrigada a ter e por isso tenho sempre muito cuidado com o meu lado emocional/mental.Basicamente conheço os meus limites e sigo uma dica que o meu médico me deu:
    Se passar mais de duas semanas sem comer ou sem dormir,ou muito alterada tenho que me preocupar.
    Bjs e deambula por aqui à vontade...eu deixo!!:)

    ResponderEliminar
  5. Ahahahahh
    Foi com o elogio ao teu rabiosque... fiquei logo insano!! ehehehe
    Concordo, a nossa cabeça é uma coisa brutal, nada como tentar ter uma vida equilibrada para a cabeça também o ser!

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall