Reflexões pré 30

terça-feira, novembro 02, 2010

Era suposto só estar a fazer esta reflexão daqui a uns dias, mas hoje talvez me sinta inspirada,já me encontre a fazer (ou a iniciar) o meu balanço.Isto dos 30 anos não está a dar comigo em doida (embora possam pensar isso....), muito pelo contrário.A chegada dos 30 traz-me a lembrança do que eu almejei ter até à idade dos 30 (com a tolerância de mais 364 dias,ou seja até ao dia 22 de Novembro de 2011).Nunca foi pessoa de pedir o céu a terra e já agora a lua porque não faz o meu feitio...enfim não sou ambiciosa excepto com o que considero essencial.
Lógico que fiz planos,então enquanto tirei o curso fiz imensos planos,queria trabalhar em Lisboa,no Porto,Algarve,enfim ir para qualquer lado.Mas para o bem e para o mal sempre tive a noção de que estes planos não se poderiam vir a concretizar familiares e o máximo que podia querer era estar a trabalhar em qualquer lado onde conseguisse tornar o longe perto.Durante meio ano consegui estar em Lisboa, o que para mim foi uma vitória, depois chegou a altura de voltar para casa e para o bem e para o mal por cá permaneci.Se continuo a acreditar que um dia posso voltar a tornar o longe perto?Gosto de pensar que sim,mas como realista que sou tenho também a noção de que apesar nada ser impossível,temos que por vezes ser corentes com a situação,que neste caso é a minha mãe,que precisa de acompanhamento.Bem se arranjasse trabalho em Lisboa que me permitisse pagar a alguém para a acompanhar e vigiar,nem pensava duas vezes...era Lisboa aqui vou eu ao fim de semana venho a casa.Vendo bem as coisas,sinto-me desiludida por as coisas não terem corrido a nível profissional como eu queria  que fossem,mas também tenho a noção de que a coisa não poderia ser de outra forma,pelo menos neste momento.Felizmente posso dizer que apesar de receber um salário de miséria,que me posso gabar de passar 8 horas por dia a apanhar seca,e isso para mim é de um valor enorme.Bem melhor do que andar em casa às cabeçadas na parede!
A nível pessoal e sentimental, sou lógica...gostava muito mais de partilhar a cama com uma pessoa do que com o meu gato.Gostava de poder dizer que tenho uma relação séria já com planos de futuro pensados e eventualmente em vias de serem realizados.Ainda no outro dia uma das minhas colegas de trabalho que tem uma filha de 8 anos me disse que eu darei uma óptima mãe.E o facto é que quando estou com a miúda quase que a trato como minha filha.Só tenho vontade de chegar a um abrigo de crianças em risco e trazer uma para casa.Quem sabe se não teria já adoptado se tivesse os requisitos necessários (sim a adopção é uma coisa em que penso desde os meus 16 anos),e caramba parece que por vezes dou com o dito relógio biológico a dizer "então miúda está na hora de pensares na coisa".Mas nestas coisas também nunca foi pessoa de andar em busca do príncipe encantado, porque sei que a perfeição não existe,porque principes encantados devem ser uma chatice descomunal, e eu não tenho muito de bela adormecida, e porque e simplesmente não calhou no meu ponto de vista.Aqueles clique's,os nós no estomâgo que por vezes senti eram falsos,sem fossem verdadeiros alguém tinha conseguido despir a minha capa,mas até hoje ninguém conseguiu e vendo bem as coisas nem andaram lá perto,porque a minha capa não é impossível de despir mas é difícil de conseguir,a verdade é essa.É isso e saber que se esse alguém aparecer vai encarar com uma pessoa com um background pessoal e emocional enorme,gigante....Sempre apliquei a teoria do deixa andar e o que tiver que ser será, nunca me conhceram de outra maneira.
Porque não é à toa que me dizem que sou uma grande mulher...não não estou a ser pretensiosa quando digo isso porque sei que o sou,mas quando me o dizem eu digo apenas que na vida faço o que me compete não só como filha,mas pelo que a minha consciência me manda fazer.Encaro a minha vida não como uma obrigação mas com a noção de que é assim que tem que ser,que é assim que as coisas aconteceram,que consigo ainda encontrar motivos para me considerar uma pessoa feliz apesar de ver algumas lacunas com a chegada dos 30 anos.Eu acredito no destino,acredito no meu instinto e acredito que ainda vale a pena sonhar,porque quem sabe...talvez um dia os sonhos se tornem realidade.


"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."


 

You Might Also Like

10 comentários