terça-feira, novembro 02, 2010

Reflexões pré 30

Era suposto só estar a fazer esta reflexão daqui a uns dias, mas hoje talvez me sinta inspirada,já me encontre a fazer (ou a iniciar) o meu balanço.Isto dos 30 anos não está a dar comigo em doida (embora possam pensar isso....), muito pelo contrário.A chegada dos 30 traz-me a lembrança do que eu almejei ter até à idade dos 30 (com a tolerância de mais 364 dias,ou seja até ao dia 22 de Novembro de 2011).Nunca foi pessoa de pedir o céu a terra e já agora a lua porque não faz o meu feitio...enfim não sou ambiciosa excepto com o que considero essencial.
Lógico que fiz planos,então enquanto tirei o curso fiz imensos planos,queria trabalhar em Lisboa,no Porto,Algarve,enfim ir para qualquer lado.Mas para o bem e para o mal sempre tive a noção de que estes planos não se poderiam vir a concretizar familiares e o máximo que podia querer era estar a trabalhar em qualquer lado onde conseguisse tornar o longe perto.Durante meio ano consegui estar em Lisboa, o que para mim foi uma vitória, depois chegou a altura de voltar para casa e para o bem e para o mal por cá permaneci.Se continuo a acreditar que um dia posso voltar a tornar o longe perto?Gosto de pensar que sim,mas como realista que sou tenho também a noção de que apesar nada ser impossível,temos que por vezes ser corentes com a situação,que neste caso é a minha mãe,que precisa de acompanhamento.Bem se arranjasse trabalho em Lisboa que me permitisse pagar a alguém para a acompanhar e vigiar,nem pensava duas vezes...era Lisboa aqui vou eu ao fim de semana venho a casa.Vendo bem as coisas,sinto-me desiludida por as coisas não terem corrido a nível profissional como eu queria  que fossem,mas também tenho a noção de que a coisa não poderia ser de outra forma,pelo menos neste momento.Felizmente posso dizer que apesar de receber um salário de miséria,que me posso gabar de passar 8 horas por dia a apanhar seca,e isso para mim é de um valor enorme.Bem melhor do que andar em casa às cabeçadas na parede!
A nível pessoal e sentimental, sou lógica...gostava muito mais de partilhar a cama com uma pessoa do que com o meu gato.Gostava de poder dizer que tenho uma relação séria já com planos de futuro pensados e eventualmente em vias de serem realizados.Ainda no outro dia uma das minhas colegas de trabalho que tem uma filha de 8 anos me disse que eu darei uma óptima mãe.E o facto é que quando estou com a miúda quase que a trato como minha filha.Só tenho vontade de chegar a um abrigo de crianças em risco e trazer uma para casa.Quem sabe se não teria já adoptado se tivesse os requisitos necessários (sim a adopção é uma coisa em que penso desde os meus 16 anos),e caramba parece que por vezes dou com o dito relógio biológico a dizer "então miúda está na hora de pensares na coisa".Mas nestas coisas também nunca foi pessoa de andar em busca do príncipe encantado, porque sei que a perfeição não existe,porque principes encantados devem ser uma chatice descomunal, e eu não tenho muito de bela adormecida, e porque e simplesmente não calhou no meu ponto de vista.Aqueles clique's,os nós no estomâgo que por vezes senti eram falsos,sem fossem verdadeiros alguém tinha conseguido despir a minha capa,mas até hoje ninguém conseguiu e vendo bem as coisas nem andaram lá perto,porque a minha capa não é impossível de despir mas é difícil de conseguir,a verdade é essa.É isso e saber que se esse alguém aparecer vai encarar com uma pessoa com um background pessoal e emocional enorme,gigante....Sempre apliquei a teoria do deixa andar e o que tiver que ser será, nunca me conhceram de outra maneira.
Porque não é à toa que me dizem que sou uma grande mulher...não não estou a ser pretensiosa quando digo isso porque sei que o sou,mas quando me o dizem eu digo apenas que na vida faço o que me compete não só como filha,mas pelo que a minha consciência me manda fazer.Encaro a minha vida não como uma obrigação mas com a noção de que é assim que tem que ser,que é assim que as coisas aconteceram,que consigo ainda encontrar motivos para me considerar uma pessoa feliz apesar de ver algumas lacunas com a chegada dos 30 anos.Eu acredito no destino,acredito no meu instinto e acredito que ainda vale a pena sonhar,porque quem sabe...talvez um dia os sonhos se tornem realidade.


"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."


 

10 comentários

  1. :)
    É bom fazer balanços. Significa que não andamos aqui "a ver a banda passar".
    É óptimo sentires-te bem com os quase 30. Eu bato um bocado mal com a idade, mas por acaso não trocava esta por outra inferior, até porque tenho noção de que antes não sabia nadinha da vida (e nem hoje sei o suficiente).
    Da parte profissional, podes sempre ir tentando, e é como dizes, se tiver que aparecer, aparece uma chance.
    Da parte emocional, há poucas pessoas interessadas em tirar "capas", mas existe de certeza uma certa para ti.

    Conto-te uma história.
    Sou alérgica a pêlo de gato e de cão. Não posso tê-los em casa, tive que dar uma gata há uns anos á minha mãe, porque tinha bronquite todos os dias.
    Este ano, veio parar acidentalmente à minha casa uma gata, que é o único gato até hoje viste que não me faz alergia. Até dorme no fundo da minha cama. O meu alergologista diz que é impossível, mas é mesmo assim. As coisas são como têm que ser, e há um gato, uma pessoa, um trabalho certo para nós, por aí... E um dia chega!

    Foi o meu momento zen do dia! :D
    Beijoca.

    ResponderEliminar
  2. Sarita:o balanço surgiu-me hoje por acaso...dei por a mim a pensar nisso.E na vida o que tem que ser é...quanto à capa digo o mesmo.
    Quanto ao gato está neste momento entre mim e o portátil,mas essa tua história é bem gira!!!

    ResponderEliminar
  3. É bom!! Quando olhamos para dentro de nós saímos com a sensação de eu fiz! Eu fui! Eu consegui entrar nas minhas lacunas, no meu labirinto. Na minha caixa de pandora! 30? 30 é um número LINDO!! Número de que eu vivi 3 fases!! :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Os 30 não estão a mexer contigo...mas estão a fazet-te alguma comichão! Senão não farias esta reflexão. Mas tens toda a razao para o fazer, e como se abrisse uma nova etapa na vida, mas na realidade tudo vai ser igual!

    ResponderEliminar
  5. Essência:é verdade!!Durante estes 29 anitos de vida,fiz muita coisa e já vivi muita coisa (algumas bastante pesadas verdade seja dita).Sim e acredito que 30 é um número lindo,e como uma grande amiga minha diz:é aos 30 que começamos a viver.

    ResponderEliminar
  6. Filipe:os 30 não me afectam,mas sim fazem comichão,mas não me causam alergia.Pelo que leste percebes que eu tinha outras ambições para a minha vida que não estas...Mas como diz a canção do Roberto Carlos "é preciso saber viver". :)

    ResponderEliminar
  7. Querida Inêzita, se há coisa que não pode acontecer é deixar os sonhos fugirem. Um dia eles tornam-se realidade, temos que lutar por isso todos os dias.

    Um grande beijo para ti.

    ResponderEliminar
  8. Loirita:os sonhos podem não fugir,mas às vezes podem não passar disso,mas sonho todos os dias.:)

    ResponderEliminar
  9. Já passei os 30 há um "rôr" de tempo e posso dizer-te que vais muito a tempo de sonhar, de tornar esses sonhos realidade e de seres uma mulher ainda melhor!
    Toda a sorte do mundo!
    Bjts

    ResponderEliminar
  10. Malena:toda a gente me diz que estes são os melhores anos.Confiança!!:)

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall