terça-feira, janeiro 18, 2011

Jobs

Ontem estava na conversa com um dos funcionários do café aqui ao lado do estabelecimento hoteleiro sobre os nossos trabalhinhos.E chegámos à justa conclusão que só alguém muito doido,ou parvo ou semelhante é que deixa um trabalho/emprego minimamente estável,porque como isto está arranjar que fazer em 2011 é quase impossível.Isto para mim é verdade.Estou minimamente estável,existe a hipótese de vir a ficar efectiva como as outras pessoas e apesar de tudo é ouro sobre azul.
Posto tudo isto,não consigo entender como é que alguém em plena crise,mas na mesma situação que eu,pensa em ir-se embora por causa disto, daquilo ou do outro.
Se a pessoa tem perspectivas de continuação num local de trabalho onde felizmente temos bastante liberdade,porque carga de água resolve pôr tudo em causa por coisas que acabam por ser muito menos importantes do que estar ocupado e receber o belo ao fim do mês????

Isto só me deixa a pensar que são este tipo de atitudes que fazem com que muita e muita e muita gente esteja a receber subsídios à nossa conta...

16 comentários

  1. Eu estou com muita vontade de mudar de emprego e começar a trabalhar na área, na qual investi este último ano (massagem), mas não vai ser agora nem este ano!! Aqui estou minimamente bem e isso para já é o que importa!!

    ResponderEliminar
  2. Bailarina:eu tenho a sorte de estar a trabalhar dentro da área e não troco a segurança que tenho aqui por nada deste mundo.Nestas coisas não sou aventureira.
    Mas curiosamnete hoje à hora de almoço apareceu aqui uma senhora à procura de trabalho,com experiência na área.
    Isto é muito simples:quando uns não querem outros estão desesperando.

    ResponderEliminar
  3. Realmente arranjar um bom emprego actualmente é quase impossível e se estamos num sítio com alguma estabilidade e tranquilidade não devemos mesmo deitar tudo a perder por falta de poder de encaixe em relação a um pormenor ou outro...
    bjos

    ResponderEliminar
  4. Inês, não é assim tão linear como pintas... ora vejamos! Achas que nos dias de hoje como o panorama do nosso país está, achas que vale muito estares efectiva?! Pois digo-te que não me parece. Até porque se de facto a entidade patornal tiver tensão de despedir faz e ponto final! (Existe muitas formas de fazê-lo... infelizmente)
    Depois, temos que ver também o outro lado. O lado que opta essa situação, e como disseste e muito bem em tempos de crise... se opta (salvo raras excepções) é por razões bem fundadas, digo eu... contudo também existe muitas pessoas que querem comer à pala dos outros, mas isso nunca irá faltar mas enfim...
    Em suma não podemos ver só um lado mas sim os dois e as razões que levam a determinado acto. Mesmo que aos nossos olhos seja a coisa mais parva do universo. Porque só quem está no convento é que sabe o que lá vai dentro...

    Beijocas ;)

    ResponderEliminar
  5. La Boheme: é o que eu também acho.

    ResponderEliminar
  6. Essência da perna boa:concordo contigo sim senhora!!!
    Mas vai ver o teu mail.... :)

    ResponderEliminar
  7. Olá Inês, para mim só faz sentido partir para outro emprego quando se tem algo mesmo em vista. 2011 não está para brincadeiras e por vezes é preferivel poisar os pés no chão para evitar um tombo de todo o tamanho...
    Beijinhos,
    Sofia

    ResponderEliminar
  8. Inês, em parte estou contigo, mas a Essência (da perna boa ;) ) tem toda a razão. EMPREGO é essencial para a vida, mas quando "mexe com a estabilidade emocional/relacional de uma pessoa" é que convém pensar.
    Dou-te o meu exemplo, estou no mesmo ramo que tu, mas trabalho noites (o que é chato, e passo a noite a fazer rondas ao hotel), chego a estar 3 meses sem gozar fins-de-semana, e quando o turno muda de tarde para noite acontece o seguinte saio às 00.30, depois vou de folga, mas antes da meia noite do dia seguinte já estou de novo (23:30). Isto com o tempo dá cabo da cabeça, mas não é o "atractivo" de passar o dia a ver a júlia pinheiro e receber o desemprego que me iria "mandar" para casa.

    ResponderEliminar
  9. Concordo, menina ajuizada! Mas também não se podem engolir os sapos todos ou sofrer humilhações!
    :))

    ResponderEliminar
  10. Ricardo:acredito bem que dê cabo da cabeça.E sim percebo-te e tu também me percebes.

    ResponderEliminar
  11. Malena:não se trata de humilhação,tanto que é uma pessoa que tem sempre a minha ajuda.Isto para mim é uma coisa insana.Não entendo a sério.

    ResponderEliminar
  12. Inês por vezes é apenas uma questão de realização pessoal e profissional. E se não estamos bem, lá porque é certinho ao fim do mês, não quer dizer que estejamos bem, mudamos na procura de algo melhor. Eu sou apologista dessa ideia. Caso contrário andamos todos infelizes com o trabalho que temos ou com o que fazemos, não produzimos com a qualidade e na quantidade que deveríamos e as coisas só têm tendência a piorar. E depois vem a mentalidade pequenina do povo português "é pouquinho, mas é certinho" Lol

    ResponderEliminar
  13. Menina:concordo que se mude para se obter uma maior realização profissional e pessoal,e não é este o caso.E infelizmente a nossa chamada "mentalidade pequenina",nos tempos que correm é para mim muito importante.
    Mas este é um caso em "que cada um sabe de si..."

    ResponderEliminar
  14. Eu concordo e defendo não estamos em altura de realização profissional e caprichos... ordenado mínimo é óptimo comparado a uma prestação de RSI de 180 euros... eu, há pouco tempo desisti de um part time mas sabia bem que a minha principal actividade ia dar mais lucro agora e não me enganei, recebo as contas e pago-as, não apsso fome e olha, trabalho... Se estou à espera de ser socióloga, morro à fome... lá para 2013 pensa-se nisso...

    ResponderEliminar
  15. Pinkinha:nem mais.
    O que eu estou a pensar em fazer é uma especialização e-learning pela Universidade Aberta.Há lá coisas interessantes para a minha área e eu quero aprender mais qualquer coisa.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall