sexta-feira, janeiro 14, 2011

Mimo

Ontem mandaram-me este texto por mail....Obrigada Sotora!!!!
Adorei adorei adorei!!!!!
São coisas como este texto,os mimos que me vão dando,a confiança que mostram quando falam comigo que me fazem gostar de andar por estes lados!!!


"Só se é realmente leal quando se está sujeito a alguém ou a algo. Aí, onde mesmo um sonho pode ser senhor. Na sujeição de quem serve uma causa, na sujeição de quem se submete a um chefe, na sujeição à pessoa amada, na sujeição do sentimento e na sujeição do dever, no sacrifício da liberdade, da razão e do interesse. No desperdício e no desprezo do que está à vista e do que está à mão, é nesta desagradável situação que se acha ou não acha a lealdade. É por ser selvagem e servil, mas só a um senhor, que a lealdade tem valor. É muito difícil ser-se leal, mas só porque é muito difícil seguirmos o coração. A lealdade é um amor que esquece o mundo.
Ao escolher um amigo, e ao ser-se amigo dele, rejeitam-se as outras pessoas. Quando estamos apaixonados, é através dessa pessoa que amamos a humanidade. O amor ocupa-nos muito. E para os outros, não fica quase nada.
Não se consegue ser leal ao ponto de calar o coração. Mas sofremos com as nossas deslealdades. Sabemos perfeitamente o que estamos a fazer, quem sacrificámos, e porquê. É por causa da consciência da nossa imperfeição que o ideal da verdadeira lealdade não pode ser abandonado ou alterado. O facto de ser incumprível não obriga a que se arranje uma versão softcore, mais cómoda e realista. É preciso aguentar. A lealdade é uma coisa tão cega e simples de determinar quanto é difícil de determinar quanto é difícil de seguir. "
Miguel Esteves Cardoso, in 'As Minhas Aventuras na República Portuguesa'
 

10 comentários

  1. Olá Inês, digamos que a lealdade é como o nó de um laço: ou é um nó forte, seguro, ou então é um nó frouxo. Transpondo isto para as relações humanas, ou te envolves, ou sentes, ou exprimes, ou então é tudo cor de burro quando foge!
    Beijinhos,
    Sofia

    ResponderEliminar
  2. Sofia, diz nó direito ;) é um tipo de nó que une cordas de bitola (espessura diferente; no caso, pessoas que são necessariamente diferentes) e quanto mais puxas mais unes as cordas, entenda-se, pessoas!

    ResponderEliminar
  3. João, isto dos nós tem muito que se lhe diga!
    Beijinhos,
    Sofia

    ResponderEliminar
  4. Sofia:é um nó dos bons!!
    Desses forte,tipo os nós de marinheiro.

    ResponderEliminar
  5. João:também gosto dos teus nós.

    ResponderEliminar
  6. um texto fantástico sim!
    E para uma menina que é um doce.... beijo enorme.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall