domingo, fevereiro 27, 2011

A letra

Ofereci-me para ajudar uma das minhas colegas com o trabalho do RVCC, porque isto é estranho que chegue, mas disse-lhe algo como "eu passo o trabalho e emendo os erros,mas tens que ser tu a escrever no papel o que queres dizer."
Mas não é que ela me pede para lhe fazer o trabalho todo e quase que amua quando eu a mando escrever e lhe digo que ela tem que ler o que está escrito para perceber???

Resumindo e concluindo: façam-me o favor de me explicar como é que uma pessoa com a porcaria de um trabalho acaba o 12º ano e vai para a Universidade!!!!
Isto ultrapassa-me...

E queria a minha pessoa estar descansada da vida a ler o Expresso, mas não....tem que estar a corrigir erros e a dizer "tens que ser tu a escrever o que querer pôr!" 


O que mais me custa nisto,não estar a passar o trabalho e a corrigi-lo e a ajudá-la.
O que me custa é saber que ela tem um filho em casa que lhe podia fazer isto muito bem.
Tá dito.

Gosto desta letra.Dá para ler é não é muito comum?
E vocês??
Gostam??
Conseguem ler ou nem por isso??

9 comentários

  1. No post anterior escreves lá sobre o BI...e de facto se não fosse o contexto eu não conseguia deslindar! Mas isso sou eu...caixa de óculos!

    Andei 12 anos a estudar para nada...

    ResponderEliminar
  2. Filipe: custa não custa???
    Anda a malta a matar a cabeça para nada...enfim...temos que dar também os parabéns ao nosso PM por permitir isto.

    ResponderEliminar
  3. Epá aí estou um pouco ao lado do "sócras". o problema é que uma licenciatura é vista como um a acesso à palavra mágica DR. para mim uma licenciatura é um misto de ferramenta de trabalho e conquista pessoal. Agora temos de ser sérios e perceber que não é mais que isso, e que nos dias de hoje o 12º é equivalente à 4ª classe dos nossos pais.
    Castiguem sim, os formadores e professores que no ensino "oficial" e "paralelo" têm uma cultura de burrice e que seguem a máxima "é burrinho, mas até se esforça, bora lá dar um 10".
    Falo contra mim, mas uma licenciatura não é difícil, é preciso é perceber o que temos capacidade ou não!

    ResponderEliminar
  4. Oh Ricardo: não me custa que facilitem equivalências a 9ºs e 12ºs para se completar o secundário.
    O que me custa e me causa pesadelos são estas pessoas irem tirar um curso superior.Muitas podem ser capacitadas, mas muitas muitas outras não o são.

    ResponderEliminar
  5. :-o

    É por estas e outras que encontramos pessoas "muito profissionais" (entenda-se nas entrelinhas) nos postos de trabalho. E nós perguntamos: como é possível a pessoa X ou Y ter esta atitude?! Ora pois, uma das respostas está aqui! :S

    Enfim, nada mais a dizer.

    ResponderEliminar
  6. Inês, não te esqueces do nosso curso, que por ser uma realidade que "vimos" dá para saber como é no resto do país. qualquer seixo com olhos tira um curso, em último caso faz como alguns que choram ao pé dos prof´s a dizer que têm problemas de família, drogas, filhos, etc... e que só falta a cadeira dele para passar (e de outros 4 ou 5 a quem vão chorar) e a coisa "faz-se". enquanto formos andando assim, não melhora.

    ResponderEliminar
  7. Essência: nem mais. É isso e ver que os profissionais não se actualizam (pelo menos na minha área).

    ResponderEliminar
  8. Ai Ricardo...soubesse o que sei hoje tinha posto silicone e aprendido a fazer beicinho!!!

    ResponderEliminar
  9. inês na nossa área o problema não é actualizar, é ver que os "conceitos2 e ideias são sempre os mesmo, apenas mudamos os nomes e é tipo a máxima:

    empregados ==> funcionários ===> colaboradores

    são sempre os mesmos "pretos" a ser maltratados, mas hoje em dia já são colaboradores, é muito mais chique.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall