sábado, abril 30, 2011

Os ombros suportam o mundo

"Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram. 
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.

Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teu ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança. 
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espectáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação."


Carlos Drummond de Andrade - Os Ombros Suportam o Mundo 


Existe a fase em que me sinto eléctrica e não gosto de me sentir eléctrica e de sentir a cabeça a matraquear ideias, a querer ocupá-la para fazer apenas uma coisa de cada vez,e não pensar em 1001 coisas.
A fase em que noto que o meu tom de voz de está mais acelerado e elevado e eu não quero sentir a minha voz assim.
A fase em que sinto o meu corpo e a minha mente com tanta adrenalina, que não me faz bem e ela tem que sair e eu tenho que explodir de alguma forma para a expulsar, porque esta adrenalina desgasta, não é uma adrenalina boa.
A fase em que eu peço a toda a gente que me chame a atenção para a electricidade e o estado ansioso, caso eu  não me consiga aperceber.
A fase em que tudo isto se mistura com a sacana da TPM que me faz andar ainda mais acelerada.


Depois,olha-se para a receita do médico e começa-se a tomar o Unilan conforme está indicado para esta fase. Quando começa a ir ao lugar como agora,surge a vontade imensa de deixar de conseguir fingir que estou a sorrir a toda a hora, em que arranjo sempre espaço para os outros em detrimento do meu.
É a fase em que só me apetece em mandar tudo ao ar e desaparecer por uns tempos, em escapar-me.
É a fase em que sei que quero concentrar-me em mim mesma, mas ao mesmo tempo em que sei que tenho que pensar em mim, tenho que levar à mesma comigo o peso do mundo.
É a fase em que sinto que não consigo aguentar, mas que sem saber como tenho que ir buscar força ao mais íntimo de mim para continuar por mim e pelos outros. Continuar por todos, continuar por mim e pelos outros.
Mas é mais uma fase que vai passar e eu vou continuar.
Ás vezes não sei se tenho uma fragilidade estranha, se tenho uma força bruta. Só sei que seja lá o que for que continue por cá porque eu preciso delas para me manter por aqui firme e hirta. Mas às vezes cansa tanto...

9 comentários

  1. Se fosse possível colocar a minha vida em modo de "suspensão" (como se faz a um televisor), podes crer que desligar-me-ía por uns bons tempos.

    (este comment parece que não tem nada a ver com o post mas, se pensares bem, tem tudo a ver.

    Bom f-d-s.

    ResponderEliminar
  2. LOL: era uma óptima ideia.Em suspensão, ou em pausa enquanto nós quiséssemos.

    ResponderEliminar
  3. Como se costuma dizer "são fases da vida" o problema é que nem sempre sabemos lidar da melhor forma com ela e acabam por se tornar num grande e cansativo fardo, mas o mais engraçado de tudo é que aos olhos dos outros todos os nossos problemas, todas as nossas más fases são extremamente faceis de resolver e muitas vezes ainda dizem que nós é que fazemos disso plena birra.
    Discordo com tudo isso sobre o que pensam de nós, muitas são as vezes em que sofremos tanto em silencio só para não partilharmos com ninguem os nossos problemas de forma a não "enchermos" as outras pessoas com o que é nosso.
    Beijinho ;o)

    ResponderEliminar
  4. Mary: tenho a dizer-te que acabaste de me descrever.
    Bjs moça simpática :)

    ResponderEliminar
  5. :)))))))

    http://ocantinhodomestre.blogspot.com/2011/05/gato-procura-gata.html

    ResponderEliminar
  6. Com muito carinho estou seguindo seu blog
    sendo hoje dia da mães em Portugal.
    Aqui no Brasil meu blog Brasil E Portugal esta homenageando as mães desse Pais Que amo tanto.
    Convido a me visitar beijos com infinita ternura,,Evanir
    www.aviagem1.blogspot.com

    ResponderEliminar
  7. Inêzita... eu sei... cansa. Quando estiveres muito cansada, se te apetecer eu estou aqui. Tu sabes. Um beijo. Gosto de ti miúda.

    ResponderEliminar
  8. Loirita: eu sei.Mas já passou.Mas volta, mas depois passa.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall