Hora do Vitinho (86)

terça-feira, maio 10, 2011

Por acaso não estava "virada" para fazer o post do Vitinho/ da hora de descanso/ da procriação ou do treinamento dela.
Mas encontrei este poema de Carlos Drummond de Andrade, e estive a ouvir esta música do Eric Clapton que para mim canta o amor de uma maneira simples e bonita, sem grandes artifícios por trás. Para mim a música é tão maravilhosa por ser tão simples que me deixa arrebatada todas as vezes que a oiço.
E como o poema passou-se o mesmo: fiquei arrebatada quando o li.


As coisas simples são belas, pena é que se pense que só o "complicado", é que tem beleza por ser precisamente  assim. É certo que dá luta, a simplicidade e a beleza das coisas simples são qualquer coisa.


"Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor."
 

Carlos Drummond de Andrade

You Might Also Like

11 comentários

Popular Posts

Subscribe