domingo, junho 26, 2011

Bandeiras e cintos

Eu tenho a sorte de viver bem perto do mar.E aqui está-se mesmo muito bem na praia.Temperatura acima dos 35 graus na terrinha e 29 graus na praia. Uma verdadeira maravilha. A minha praia de eleição tem um areal com 6km de extensão, basicamente é areia até perder de vista. Uma coisa soberba.
O único "senão" desta praia é ser indicada para estarmos ao sol, e não nos arriscarmos dentro de água, olhar para a bandeira e "fazer" o que ela "diz".
São 6km de Oceano Atlântico bem puro. São algumas as vezes em que a bandeira está verde, grande parte do tempo a bandeira está amarela ou vermelha. É do saber comum que bandeira verde significa que podemos tomar banho, bandeira amarela podemos tomar banho com cuidado, bandeira vermelha não se pode tomar banho porque é perigoso, para o parvo que resolve mergulhar num mar que tem uma força bruta e para o nadador-salvador que desgraçado pode ter que arriscar a vida por causa do espertinho que não consegue sair do mar de maneira alguma.
Hoje a bandeira estava vermelha, a maré estava cheia e a puxar bastante.Via-se logo no topo do cruzamento para a praia. A praia tem dois nadadores-salvadores, e tem uns caramelos armados em espertos que teimam em mergulhar no mar. E quando o nadador-salvador exerce a sua função, que é algo como "saí daí antes que arranjes problemas", o caramelo saí a resmungar porque o mandaram sair da água. E se o nadador o deixasse estar a dar os seus mergulhos entretido da vida e acontecesse alguma coisa?A culpa logicamente era do parvo do nadador-salvador que não exerceu o seu dever.

Gente, as bandeiras existem e funcionam como uma lei e como um aviso. Há que cumprir para não dar problemas a ninguém.Elas estão lá por algum motivo, não para enfeitar o mastro. Os nadadores estão lá para cumprir a função (alguns estão entretidos a apanhar sol ou na conversa, o que também é mau). Mas é básico o conhecimento e as normas das bandeiras.

É um pouco como o uso dos cintos de segurança. São para se pôr em que circunstância for, faça-se uma viagem de metros ou de km. Servem para proteger, trancam e bloqueiam com travagens bruscas. Podem magoar se for uma paragem muito forte.A pessoa pode ter que ficar quieta porque o cinto não desbloqueia. Mas provavelmente não é cuspida de um veiculo, sofre um acidente mas em menor escala. Não tem a vida em risco e não está em coma induzido, nem sofre operações de muitas horas.

Bandeiras e cintos. São coisas básicas de respeitar. Custa assim tanto???

6 comentários

  1. Ai mulher... eu já sabia disso, mas não custa nada repetir... TU ÉS DAS MINHAS!

    Agora em tom de brincadeira... adorei aquela parte do teu post em que tu dizes «Elas estão lá por algum motivo, não para enfeitar o mastro.»
    Ó pá... o que é que queres?? Veio-me logo à cabeça outra coisa... (hehehe)

    Beijão minha princesa.
    Espero que estejas bem e sem escaldões do sol! :)

    ResponderEliminar
  2. Não sei onde está a dificuldade em entender coisas tão simples...!
    Beijinho,
    Sofia

    ResponderEliminar
  3. Orquídea:um vi um miúdo a resmungar porque o nadador-salvador o mandou sair da água.As bandeiras tem uma função e a nosso dever é cumprir o que elas significam.E naquela praia já morreram imensas pessoas por esses actos inconscientes e outras tantas já apanharam uns bons sustos.
    Aquela praia não é a baía de S. Martinho, é Oceano, tem um fundão enorme, o mar puxa mesmo quando as ondas rebentam.
    O que as bandeiras e os cintos de segurança mostram é que o português não gosta de cumprir leis.no Algarve e aqui existem os avisos sobre as arribas e é ver a malta refastelada sem passar cartão ao aviso.

    ResponderEliminar
  4. Corina: peguei em dois actos inconscientes e juntei-os. :)

    ResponderEliminar
  5. Sofia: o Português gosta de acção, de adrenalina, de não cumprir o que é básico e o que émenos básico. Agora estamos na altura de os ver plantados ao sol debaixo das arribas, e mesmo ao lado do aviso que diz algo como "não se plantem aqui".

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall