segunda-feira, junho 27, 2011

Um minuto de indignação

A Confederação do Turismo Português é o órgão que "tutela"o que se relacione directa ou indirectamente com o turismo: hotelaria, restauração, animação, agências de viagens,operadores e por aí adiante.
Basicamente é quem manda, daí os seus órgãos sociais terem representantes de todas as sub-áreas do turismo. Por ser quem "manda", a CTP é um parceiro social, e por ser isso, teve a sua reunião com a Troika, e reuniu hoje com o Ministro da Economia, como todos os parceiros sociais reúnem.
O Presidente da CTP saiu bastante satisfeito da reunião com o Ministério da Economia (ainda não decorei os restantes nomes).  Fiquei agradada por ler e ouvir que temos um Ministro que parece ter uma visão "ampla" sobre os motores de economia nacionais (em contraponto temos uma Secretária de Estado sem experiência na área, mas isso vê-se depois).
Em contraponto, fiquei desagradada, triste, boquiaberta, espantada por o Presidente da CTP dizer que a preocupação é o combate ao desemprego e não o aumento do SMN.
O Presidente da CTP vive no mesmo planeta de José Sócrates, ou no planeta ao lado para proferir esta alarvidade. Lá por 15€ custarem as entradas no restaurante onde provavelmente almoça, ao comum mortal 15€ fazem muita diferença. E desenganem-se os que pensam que a malta que trabalha em hotelaria e turismo recebe a remuneração adequada às funções e tem uma boa vida, (os que trabalham para o Estado até podem ter, mas os que trabalham para o privado não têm), porque isso é uma mentira, uma ilusão e das grandes. O sector de hotelaria e turismo e afins é regido por CCT'S que dão a volta a muita coisa. O próprio Código do Trabalho quando bem esmiuçado contorna tudo, basta fazer uma leitura mais profunda (nem é preciso ser-se advogado para se concluir este facto).
Os contratos a prazo (temporários) são aplicáveis a esta matéria. O Código do Trabalho estipula que um contrato a prazo pode ser feito quando destinado a actividades sazonais ou com acréscimo excepcional do trabalho. O Presidente da CTP não sabe que nesta área existem muitos e muitos precários??Que esses precários são mal pagos??Que esses precários não recebem o que a lei estipula??O Presidente da CTP não sabe que muitos deste precários não vêem os seus direitos, mas em contraponto têm 1001 deveres para cumprir e ai deles que não cumpram????
Têm dúvidas?Dêem um salto a um hotel da vossa terra e perguntem o ordenado de um dos funcionários, e façam o mesmo num restaurante, numa empresa de turismo. E já agora perguntem qual a forma de contrato que possuem.
E se as dúvidas persistem, passem nas Escolas que leccionam estas matérias de Turismo e afins e perguntem o mesmo.
Senhor Presidente da CTP, desça ao Planeta Portugal, e reflicta sobre a alarvidade que disse. 15 € fazem falta, muita falta, só não fazem falta a quem nunca precisou deles para fazer contas à vida.

4 comentários

  1. Não sei se já conhecias este texto sobre os trabalhadores do turismo:
    http://eudaminhajanela.blogspot.com/2010/04/estudei-para-nao-exercer-infelizmente.html

    Eu sou uma priveligiada que consegui trabalho como tec. superior, mesmo sem ser na área. Já nem quero saber do turismo, embora seja uma frustração não trabalhar naquilo que gosto, naquilo que me faz feliz, naquilo que aprendi...mas tenho trabalho e isso é que importa.

    Um dia destes assisti a um seminário em que Sua Exª. Ex-secretário de Estado do Turismo Bernardo Trindade, ou o chefão Luis Patrão (já não sei bem qual foi) disse a seguinte pérola: "As pessoas têm de se mentalizar que trabalhar em turismo é trabalhar à noite ao fim de semana, etc, e a maioria das pessoas não quer." Obviamente foi vaiado ali mesmo, porque na plateia estavam maioritariamente licenciados desempregados que não trabalham em turismo porque não têm mesmo emprego (aqui onde vivemos).

    É triste haver pensamentos de que quem é licenciado em turismo é igual a ter o 9º ano(ou menos), podendo por isso ser remunerado como tal...e 15 euros não são nada...para quem tem 1500 euros de vencimento podem não ser, mas para quem ganha 500 a fazer turnos e trabalhar ao fim de semana 15 euros podem pagar a conta da água ou o condominio...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Parece-me que há pessoas que continuam a viver noutro planeta.

    ResponderEliminar
  3. Vera: uma declaração destas indigna qualquer pessoa com um mínimo de bom senso.Eu tenho muitos colegas que não conseguem arranjar trabalho na área. Eu consegui por acaso trabalho em hotelaria,não sei até quando.A mim os 15 € fazem muita falta,e fazem a muitas mais pessoas. O Presidente da CTP devia era aprender a ver as leis e a descer à terra, porque se existe sector onde existe precariedade, é este.E existe muita mesmo muita.

    ResponderEliminar
  4. Loirita: esta alarvidade que o Presidente da CTP disse, só vem mostrar que para ele é preciso é que as pessoas trabalhem sejam em condições forem. Então o raio do homem não sabe que o turismo em determinadas zonas é completamente sazonal e que graças a esses e outros factores aqui impera a precariedade???

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall