sábado, julho 30, 2011

Apelo

Eu faço parte da malta que se farta de trabalhar nas vossas férias. E custa trabalhar em Agosto, por mais que nos habituemos.São dias e dias que passam a correr e que passam ao mesmo tempo devagar.São horas e horas de trabalho, e pouco descanso. É receber e atender todo o tipo de pessoa, e fazer o possível para atender aos pedidos.
A malta que pega no batente não pede muito em troca ao cliente, não pede dinheiro por exemplo. Pede apenas simpatia e cordialidade, ou um pouco de bom-senso quando se fala com a pessoa que está a trabalhar.
Se forem de férias, ao entrarem num estabelecimento de hotelaria ou de restauração, lembrem-se que a pessoa que está do outro lado não é um serviçal, ou um criado para todo o serviço. Que o facto de estar ali, não significa que seja burro, que tenha o ensino básico ou médio, e mesmo que tenha isso não é relevante.

As pessoas que se esmifram a trabalhar para o vosso conforto, para que tenham tudo, são humanas. E exigem apenas em troca que se usem as seguintes expressões:
"Pode fazer-me um favor??"
"Importa-se de????"
"Por favor...."
"Se faz favor..."
"Obrigado..."

quinta-feira, julho 28, 2011

De forma geral, os homens não sabem o que é amor, é um sentimento que lhes é totalmente estranho. Conhecem o desejo, o desejo sexual em estado bruto e a competição entre machos(...)

Michel Houellebecq, in 'As Partículas Elementares

O texto é muito mais do que estas linhas, mas para mim foram as essenciais para este post. Foram as que me ficaram na cabeça. Ao ler estas linhas pensei algo como "como é????Só servimos para cama, mesa e roupa lavada???Onde é que fica o resto??"
Se a coisa é assim, a solução é muito simples: usar e deitar fora, como um lenço de papel. Marcar na agenda o dia, a data e a hora para se dar a queca, ou fazer exercício físico.Algo como "vamos ali mandar uma porque está a apetecer-me divertir-me.
É que se este senhor tem razão nestas linhas que eu transcrevi, a minha pessoa tem uma síncope. Não é que acredite em contos de fada, até os acho uma chatice, mas esta coisa de a gaja é minha, toma lá e embrulha faz-me confusão nos tempos que passam. Para isso prefiro a agenda.Não mostro nada como troféu, não sou exibida como uma taça e é quando me apetece.
 

domingo, julho 24, 2011

Mixes

Sou completamente a favor de que existam covers e mixes para músicas. É uma forma de elas perdurarem no tempo, e de nós nos lembrarmos de música X ou Y e ir à procura do original que não ouvia há muito tempo.
Mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Uma coisa é fazer um bom remix de boa uma canção, outra coisa é arruinar e tirar a essência.

Uma coisa é fazerem isto


Ou isto



Ou ainda isto.


(Aqui está a banda original incluída e a senhora cujo nome não me apetece procurar parece estar a dançar o vira).

Para mim é bom, e confesso que fui à procura dos originais.

Outra coisa, completamente diferente é isto.



E isto.



Para mim é feio, não se faz. Eu não gostei e tenho cá para mim que o Kurt está a dar voltas no túmulo e a Aretha há-de estar boquiaberta.

Fatal como o destino

A morte de Amy Winehouse, infelizmente não me espanta. Cada que via uma notícia sobre ela, o meu pensamento era sempre este: ou esta gaja se endireita de vez, ou morre. Meu dito, meu feito. Fatal como o destino. Morreu. Provavelmente a causa terá sido uma overdose, mas isso não interessa nada. Interessa sim dizer, que exemplos como o dela, e como o de muitos músicos que faleceram exactamnete com a mesma idade e em circunstâncias semelhantes, servem para nos lembrarmos que devemos saber os nossos limites, e que não devemos viver sempre em cima deles. O living on the edge é muito bonito, mas quando levado ao exagero é fatal, como mais uma vez se comprova.



O que dizer do Norueguês maluco que desatou a matar pessoas????Uma coisa muito simples. Os maus e os loucos não são todos aqueles senhores de barba e turbante que vemos por ai, nem a pessoa com olhar estranho. O mal esconde-se por detrás de uma cara bonita, aparentemente normal. O mal dissimula-se e é bem ocultado. O mal pode ter uma cara bonita. O mal pode acontecer nos EUA, na Noruega ou mesmo cá. Não se sabe qual a face do mal, porque ele mesmo tem muitas faces. O mal muitas vezes é um lobo com uma pele de cordeiro.


sábado, julho 23, 2011

Summer

Antes de mais peço desculpas por não andar a reivindicar nada, a resmungar, a divagar. Não tenho tido tempo para isso.Trabalho e descanso são essenciais, e a prova de tal é que ando a responder a comentários com dias de atraso, coisa que em mim não é normal.
Mas antes de responder aos comentários e de ter cabeça para falar da Amy Winehouse (hei-de lá ir, ou hoje ou amanhã), e como ando a escrever em "memorandos", tenho que deixar esta pequena nota.
Este post como o de ontem, saíem um bocado do contexto do blogue, e por isso mesmo ficam memorizados, e postados e publicados, porque o que ser sera sera whatever will be will be.

É possível isto estar a acontecer. Isto mesmo que está aqui com o devido link e devidamente sublinhado.
Tenho apenas a mencionar que os meus impulsos, os meus instintos, a minha cabeça, o coração estão todos em uníssono a dizer algo como: "não penses, não reajas, não meças, não racionalizes, deixa-te ir e levar. Deixa-te levar. Apenas deixa-te levar."
E eu, vou-me deixar levar, não vou medir nem prós nem contras, não vou racionalizar demais, vou deixar-me ir e deixar-me levar até onde for. Isto porque o que ser sera sera whatever will be will be.


Mas senti-me bem, senti-me muito bem.
E não me esforcei, não pensei.

E pronto, é isto. Basicamente isto.


sexta-feira, julho 22, 2011

Talking

Estive quase duas horas à conversa e esqueci-me de tudo.
Abstraí-me de tudo: da música, das pessoas, dos carros.
Não ouvi nada e não dei conta de nada, e não via nada. Nada de nada. 
E só agora é que me dei conta do facto. E isto é raro, muito raro. Tão raro que não me lembro da última vez que aconteceu, ou se alguma vez aconteceu.

quinta-feira, julho 21, 2011

Memorando

É um daqueles posts "não me esqueço". Daqueles posts em que tenho medo que a ideia por mais parca que seja, me fuja e eu não a apanhe.
E assim, usando o estabelecimento hoteleiro, hoje um pouco como memorando, tenho a dizer que esta será para mim uma daquelas músicas de Verão. Confesso que não ficou no ouvido à primeira vez devido a ter ficado com um trauma, ao ver esta "versão" da lambada. Confesso que ainda ando a tentar encaixar a "coisa".



Quanto ao Give me everything ( a música aqui de cima) ficou-me no ouvido e no esqueleto após ouvi-la duas vezes. Letra simples, batida que fica no ouvido, e uma moral da história, que é resumida em algo como "não deixes para amanhã o que podes fazer hoje". Esta moral é perfeitamente aplicável, ainda mais no Verão, que apesar de estar mais fresco, pode aquecer de um momento para o outro. Basicamente, toca a aproveitar, porque hoje é o dia de hoje, e o amanhã é amanhã, e amanhã pode ser tarde de mais. 'Bora nessa.

quarta-feira, julho 20, 2011

Computador

Sou um computador humano.
De manhã é accionada de forma automática o modo trabalho, ou seja o computador liga.
Mal saio do trabalho, acciono o modo casa, o computador hiberna.
Depois do jantar, acciono o modo dormir, o computador desliga.
Sou também uma impressora multi funções, mas das boas, das que fazem tudo e mais alguma coisa.
Agora vou hibernar.


segunda-feira, julho 18, 2011

Momento Insano do dia (78)

Venho só anunciar que tenho uma playlist de "insanidades" para o trabalho. Ele é música popular portuguesa, ele são os hit's do momento e de a long time ago, ele é a Mariquinha do Bonga, ele é Fever Night Fever Night Fever, ele é "músicas académicas", ele é kuduro e freake freake dále, e por aí adiante. Sou uma secção de discos pedidos andante...
A prova de que sou um colega de trabalho fenomenal, é ensinar à colega de trabalho a cantar o Bacamarte dos Ena Pá 2000, outra prova é levar amanhã para o trabalho o Oh Maria dá-me o pito.



De todas as capoeiras as capoeiras
Lá da minha freguesia
De todas as capoeiras
Lá da minha freguesia


Não há pito mais bonito
Que o pito da minha Maria
Não há pito mais bonito
Que o pito da minha Maria


Oh Maria dá-me o pito
Oh Maria dá-me o pito
Oh Maria dá-me o pito
Toma lá, dá cá


Que pito tão rechonchudo
Tão preto e tão cabeludo
Que pito tão rechonchudo
Tão preto e tão cabeludo


Havia até quem dissesse
Que comia com penas e tudo
Havia até quem dissesse
Que comia com penas e tudo


Oh Maria dá-me o pito
Oh Maria dá-me o pito
Oh Maria dá-me o pito
Toma lá, dá cá

sábado, julho 16, 2011

Hotel Room Service

No meu estabelecimento hoteleiro não acontecem coisas destas.
Primeiro porque somos funcionários muito recatados e zeladores do respeito.
Segundo porque o elevador é pequeno, só dá para estarem duas pessoas com espaço.Três pessoas lá dentro já complicam as coisas.
Terceiro porque os meus hóspedes são muito recatados e respeitadores.
Quarto: no acto do check-in eu confirmo sempre se têm cinto de castidade e peço para o ver.
Quinto: os hóspedes não podem fazer barulho a partir de determinada hora. Existem crianças, existem pessoas idosas, logo tem que haver silêncio.
Sexto: os hóspedes que são casados, têm que o confirmar através de um inquérito expressamente concebido para o efeito.
Sétimo: se os hóspedes vivem juntos têm que o comprovar através de um outro inquérito.
Oitavo: se os hóspedes têm os filhos e os levam, tem a moral de não prevaricar no mesmo local onde estes se encontram.

Conclusão: o meu estabelecimento hoteleiro tem o nome de um Santo. Tendo o nome de um santo estavam à espera do quê???

De pessoas que pedem quartos para "descansar?"
De pessoas que vêm em aflição "ai que eu não aguento, dê cá a chave e depois dá-me o BI!!!!" ?
De preservativos esquecidos por usar?
De uma parte da cama partida (uma parte pequenina e discreta)?
De pessoas que perguntam "quanto custa?"
De pessoas que perguntam "podemos fumar no quarto?" 
De pessoas que encontram sempre a mesma recepcionista??
De pessoas que levam flores?
De pessoas que levam o belo do saco de plástico (esta coisa do saco de plástico deixa-me  com dúvidas existenciais acerca do que lá está dentro)???

Nós somos muito recatados, puritanos. Não permitimos poucas vergonhas, a não ser que seja única e exclusivamente para a procriação, e ao estilo da idade média, em que a única posição permitida pela Igreja Católica era a de missionário.  


sexta-feira, julho 15, 2011

Velocidades

Sinto-me um carro a andar em velocidade de cruzeiro, em piloto automático. Eu não sei como os carros se sentem quando andam em piloto automático ou têm o cruise control activado, mas sei que não passam de determinada velocidade a não ser que o condutor aumente a velocidade do dito (do veiculo claro está). Sei isto porque das poucas vezes que conduzo ponho a mão num belo veículo, em que o cruise control é logo accionado pelo seu dono (o meu pai que acredito bem que trema por todo o lado quando me deixa desenferrujar a condução).
Neste momento ando a uma velocidade de 80 km/hora.Não é muito, já é mais que o limite máximo de velocidade dentro de uma localidade, ou seja já ando a acelerar estando ainda no meio do mês de Julho.
Estimo que em Agosto a velocidade chegue ou ultrapasse o limite máximo em Portugal, os 120 km/hora para os mais esquecidos.

Quando ando nesta chamada velocidade de cruzeiro, que para o meu bem e o meu mal tende a aumentar, tendem a acontecer coisas estranhas, como chegar a casa e olhar para  a minha cama como se fosse um Deus Grego que ali estivesse à minha espera, demorar três dias para ver um episódio gravado da Anatomia de Grey, adormecer num piscar de olhos e acordar de madrugada com os óculos postos e a televisão acesa (este facto aconteceu porque pisquei os olhos a tentar ver o raio do episódio gravado).

O que consegue ser grave no meio de tudo isto é ouvir "já estás a dançar logo de manhã?????" Sim porque se quem canta seus males espanta, quem dança o cansaço exorciza, ou pelo menos anima a coisa. Tanto que já vejo a colega de trabalho também a dar o seu passito de dança e a dizer "Oh Inês, ainda estamos em Julho!!!"
No meio de tudo isto ainda me vou rindo da minha desgraça e da desgraça dos outros, e estou a concluir de que algo se passa com hóspedes que andam no estabelecimento hoteleiro. Ele é garrafas de vodka, é uísque, é vinho tinto, é pepsi em lata na casa-de-banho, e maravilha das maravilhas cerejas dentro de uma banheira!!!Sim....cerejas dentro de uma banheira. É verdade, não foi produto da minha imaginação. Estou cansadita, meio doidita, mas ainda não ando com alucinações.

O bom de tudo isto????Faço o que os médicos mandam: bebo um litro e meio de água. Em breve devo andar a encher a "litrosa" por duas vezes.
E também estou finalmente a ouvir os hit's da juventude para o verão 2011. A rádio que me faz abanar o esqueleto, é a rádio da malta jovem aqui da zona.


Tenho a dizer algo como "um abanamento de kuduro por dia e nem sabem o bem que vos fazia".

Se este escrito vos parece algo estranho, tenham em mente que a dona deste estabelecimento blogosférico está a "bombar" por estes dias.E agora está o olhar para a cama com laivos de desejo, e vai esparramar-se nela ao comprido, e sem óculos postos. Antes disso vai só pôr no telemóvel umas musiquitas para animar as hostes.

quarta-feira, julho 13, 2011

Turismo em Portugal

É muito simples. O Turismo é a uma importante fonte de economia do país, e o destino turístico de muito boa gente é o Algarve. Grande parte dos portugueses e muitos estrnageiros marcham para o Algarve no Verão.E porquê???Porque é Verão, a água é quente, o mar é calmo, tem animação muita animação, e ainda e ainda tem o grande guru do Turismo que é o fantástico Zézé Camarinha.
Zézé Camarinha é o grande responsável pelo interesse das turistas na zona do Algarve, nomeadamente nas zonas balneares. Zézé Camarinha esse faz destilar os poros de tudo o que é estrangeira, provavelmente tem um charme latino que faz com que as atraía, sendo um íman humano para o gajedo.
Zézé Camarinha fala Inglês fluentemente, e sabe a linguagem universal para o "pode ser ou está difícil?" 
O que é certo é que elas vão no charme do macho latino e associam ao Algarve ao Zézé, tal como se associa o futebol ao Mourinho e ao Cristiano Ronaldo.
Zézé Camarinha é um ícone do Turismo Algarvio. Só pelo facto de atrair centenas de turistas femininas ao longo destes anos, que consomem e contribuem para o aumento do nosso PIB, devia merecer uma estátua.

Há dúvidas???

terça-feira, julho 12, 2011

Verano

Tenho a avisar que a minha pessoa já accionou o modo verão.
O que pode acontecer ao estabelecimento blogosférico???Tudo...ou quase tudo...porque o modo Verão dá para muita coisa, para muito lado. 
O modo verão é muito simples: multiplicação de funções, e parvoíces para dar e vender enquanto se está quase a fazer o milagre da multiplicação. O bom disto tudo é que a malta ri-se um bocado, o mau é que de ano para ano pode piorar. Exemplos do que acontece quando o modo verão está accionado:

"Uma Inês por dia e nem sabes o bem que te fazia."
"A Inês diz uma parvoíce de cada vez."

Para além das pérolas ditas hoje pela pessoa "ajuntemos" o Cancioneiro Popular Português, coisa bonita de se ver, mas não de se ouvir.
Resultado final: risos e um provável internamento da minha pessoa.

segunda-feira, julho 11, 2011

I just had sex

Se porventura estão a entrar neste estabelecimento hoteleiro a pensar que eu escrevi a minha última aventura sexual, podem desde já dar meia-volta e ir embora. O título do post refere-se a uma música. Sim, a uma música chamada I just had sex.

Esta bela música já está inserida nas minhas insanidades. Até já me tinha esquecido da existência desta glória musical. Isto até ao dia de ontem, em que me apareceu na página do meu facebook à noite. Escusado será dizer que me deitei com uma voz a dizer I just had sex, e a minha pessoa, nada disso, nada de nada. Escusado será também dizer que estou a ouvir a música e que me vou deitar a ouvir o raio da voz (deve ser por isso que o ouvido está a ameaçar com uma dorzita).
Basicamente o que eu quero dizer é que para esta malta o que importa é fazer-aquilo-que-a-gente-sabe e bradar céus o feito concebido para toda a gente ouvir, e escrever músicas a dizer que fez aquilo-que-a-gente-sabe a toda a gente e mais alguma, aparentemente não importando credos, raças ou ideologias. Isso é bonito, é bom que não haja discriminação entre as pessoas, mas bradar aos céus e deitar foguetes dos orgãos genitais já acho estranho, porque nunca vi semelhante coisa.



Aparentemente

As aparências valem o que valem. Para uns a primeira aparência é determinante para gostar ou não de uma pessoa, valendo sensivelmente 99% da coisa, para outros nem tanto.
Para outros a primeira aparência pode não ser reveladora do que a pessoa realmente é. Mas o facto é que a primeira aparência pode enganar ou confirmar o que se pensa de determinada pessoa.
A minha aparência engana. Quem me vê pela primeira vez e não me conhece tende a achar que sou arrogante, isto porque tenho o nariz meio arrebitado e ando sempre de cabeça erguida. Esta é a minha aparência para muitos, outros sabem que por detrás de pose se esconde um sorriso ás vezes fácil, às vezes difícil de aparecer. Sabem que a cabeça erguida e do nariz arrebitado, bem como a palavra amiga e o sorriso escondem um sofrer e lágrimas que por vezes teimam em cair, um dia menos bom, um pedaço de tempo em que olho para a minha a mãe e penso algo como "Ai Jesus que se apaga a luz".
Quem me conhece sabe ver por detrás de tudo isso. Quero com isto dizer que vivo da minha aparência, necessito dela. A minha aparência é a minha capa, o meu escudo protector,aquele lado que tanto força um sorriso quando necessário, como esconde a tristeza e as lágrimas, quando assim tem de ser.
É que nesta história das aparências existe algo que não conseguimos esconder, que mostra quem verdadeiramente somos.Esse algo são os olhos. E os olhos não enganam.E quem me conhece bem sabe ver para além da minha aparência e conhece os meus olhos.

domingo, julho 10, 2011

Comentários

Tenho hábito de ver os noticiários na Sic. Faço zapping para a RTP durante o intervalo e depois volto à origem. Mas hoje estranhamente fiz zapping para a TVI e apanhei o Marcelo Rebelo de Sousa a fazer o seu comentário semanal. Apesar de ele já estar no canal há uma catrefada de tempo, eu ainda não tinha visto a pose do senhor naquele canal de tv. E não gostei, apesar de ter conseguido entender bem porque é que as agencias de rating são o diabo em figura de gente. Digamos que fiquei com um misto de sensações: gostei de perceber, mas não gostei da forma como a coisa é feita.
Gostei de ver que responde a alguns mail's enviados. Mas é necessário dizer que "A não sei das quantas pergunta..."da parte de Júlio Magalhães. A não sei das quantas não é a vizinha do lado, eu não ia gostar de ouvir que a "Inês pergunta isto ou aquilo". Não gostei de ouvir "Oh Diabo" cerca de vinte vezes.Senti-me como um aluno que não entende as coisas por 300 vezes que estas lhes sejam explicada.

Gostei de saber que somos o topo do lixo no rating, e que a Grécia é o lixo do lixo, a casca de banana podre, onde nós pomos o pé, escorregamos e damos um monumental bate cú. Não gostei de ver que a cada "facto" (também dito umas dezenas de vezes), ele dá como exemplo um aluno. Não haverá exemplos mais elucidativos??

Agora deixo a pergunta....
É impressão minha, ou o Senhor está muito TVInolesco??É que o tom de voz parecia-me um pouco acima da média, e a forma de falar não me parecia muito semelhante ao "antigo" Marcelo Rebelo de Sousa.

PS: gostei de saber que a política Grega é dominada por duas famílias, com linhagem na coisa, segundo percebi: A Família Papandréu e a Família Karamanlis (acho que a segunda é esta.Se não for corrigam-me). Esta coisa das famílias lembra-me sempre a máfia, o beija a mão ao Padrinho.  

sexta-feira, julho 08, 2011

Quartos

"Queria um quarto para a noite mas para o dia. Está a perceber??""Sim estou. Um quarto para descansar."
"Sim, para sair às 19 horas por exemplo."
"Ou antes. Ou para sair antes.Parece cansada a senhora."
"Preciso do seu BI, para fazer a reserva."
"Isto não vai nada para casa pois não??"
"Não vai, mas nós precisamos dos dados para inserir no sistema.
"Ahhhhh"
"São ....€"

Senti-me uma meretriz.

Momento insano do dia (77)

Veio a hora imprópria o dito cujo. E eu tinha dito que me ia deitar cedo, para dormir, porque às 7horas e troca o passo, tenho que levantar o rabiosque da cama para ir para a labuta.
Esta noite vou seguir um conselho da Sábado, que diz que devemos colocar o despertador longe da cama porque assim temos que nos levantar para o desligar, (duvido que me deixe mais produtiva, mas se estiver no chão e me fizer esticar um pouco, pode ser que ajude).

Assim sendo, e estando a insanidade trocada em termos horários com o Vitinho, proponho que antes de dormir façam um exorcismo, acendam uns incensos, umas velas, rezem umas orações (o Anjo-da-guarda deve servir), ao som desta música e cantando a respectiva letra.
Se funciona???Não faço a mais pequena ideia....mas se virem quaisquer alterações em voz ou em vosso redor, façam o obséquio de me dizer. Assim ficarei a saber "os poderes da música".



Eu era um bêbado
Que vivia drogado,
Hoje estou curado
Encontrei jesus!
Encontrei jesus!
Encontrei jesus!
Na casa do senhor
Não existe satanás

Xô satanás!

Xô satanás! 

Eu tava na vida,
Quase a me perder,
A minha tentação
Foi amar você,
Com tanta loucura
Eu não agüento mais
Xô satanás!

Xô satanás!
Xô satanás!
Xô satanás!

quinta-feira, julho 07, 2011

Sol

Quanto ao senhor que escreveu este artigo no Sol, tenho algo muito simples a dizer, apesar de no início concordar com algumas coisas (sim acho mal o desperdício de comida nos restaurantes, mas também discordo e muito dos 1001 entraves que puseram para esta comida ser dada em vez de ir para o lixo.)
Sim é verdade que muitos fazem uma vida que não podem ter, mas não generalizemos a coisa, nem enfiemos tudo no mesmo saco.É feio, não se faz, é uma comparação triste e desnecessária.

Eu não bebo água Luso.É cara. Em casa bebo água da torneira (que aqui é muito boa), e no trabalho a minha litrosa de litro e meio é a mais baratinha que existe.
Quanto ao resto, venha viver com o salário mínimo nacional, ou o salário médio da classe média com uma família média, com gastos médios, e depois exprima a sua opinião.

E já agora....onde está a classe média???E onde estão os pobres??
Fundiram-se!!!São um dois em um!!Não deu ainda conta que a classe média pede comida no banco alimentar?
Que a classe média é agora chamada de "os novos pobres???"


Estamos entendidos????

Muito mais atrás

Faz-me um confusão no sistema existirem pessoas que pensam que "agarram" outras através de uma boa queca e de uma suposta posterior gravidez. Pessoas que pensam que uma criança é a garantia de uma relação ou de um financiamento financeiro.
Nunca encaixei com a história do "engravida para o agarrares". Para mim o agarrar não é a garantia de um futuro feliz para ninguém, nem para o agarrante, nem para o agarrado, nem para a criança que fez agarrar isto tudo sem saber.
Sou eu que estou muito à frente no tempo, ou são os outros que estão muito mais atrás???

quarta-feira, julho 06, 2011

Médicos

Tenho-me interrogado por vezes porque é que carga de água a maioria dos Norte-Americanos são contra um Serviço Nacional de Saúde, e não se importam de pagarem seguros para serem atendidos em hospitais e semelhantes.
Mas descobri o cerne da questão, e posso dizer que vou dormir muito mais descansada, uma vez que fiquei com menos uma dúvida existencial, (amanhã aparecem mais 20, se necessário para colmatar esta que se vai).

Ora a solução para esta dúvida foi-me dada pela Fox Life. É uma coisa tão simples como somar 1+1. É o aspecto dos médicos!!!Todos os médicos que aparecem nas séries made in USA, têm um ar saudável!!E as médicas também, e os enfermeiros e afins. Um provável exemplo do calibre dos médicos dos EUA é o George Clooney, outro será a Katherine Heigl. E para além do aspecto deles, todos têm uma vida social agitada.

Com médicos assim, é perfeitamente normal que queiram que a saúde nos EUA se mantenha privada.
Não se podem arranjar uns médicos assim para cá???A mim dava-me jeito...o meu médico de família é um senhor careca que parece o meu pai, e provavelmente ninguém se importava que privatizassem o SNS.

Não podia deixar de transcrever esta minha ideia brilhante antes de ir repousar. São os efeitos do final das folgas e de mais uma semana de trabalho que se aproxima, com todos os acréscimos que lhes são devidos. Olé!!!!!!

terça-feira, julho 05, 2011

Hora do Vitinho (97)

Tropecei nesta música por mero acaso, e gostei do tropeção.

Abre olhos

Passados umas horas após ter feito este post, cheguei à brilhante conclusão de que em rodor de mim existem pessoas que influenciam os outros para proveito próprio, e que não olham nem a meios nem a fins para o fazer.
Concluí também de forma brilhante, que esses que se deixam influenciar vão "abrir os olhos" e descobrir mais tarde mais ou mais cedo que foram brilhantemente manipulados.


Se podia intervir?Até podia, mas não ia e não vai servir de nada. O manipulado vai sempre deixar-se manipular até ao dia em que acordar.
Inconscientemente nunca intervi e não vai ser agora que tenho a consciência dos factos e do que me rodeia que o vou fazer. Vou continuar atenta como sempre fiz.

Neste mundo já vale tudo, mesmo arrancar olhos.Já nem os olhos escapam, nem os olhos.

domingo, julho 03, 2011

Confiança


Trust yourself
Trust yourself to do the things that only you know best
Trust yourself
Trust yourself to do what’s right and not be second-guessed
Don’t trust me to show you beauty
When beauty may only turn to rust
If you need somebody you can trust, trust yourself
Trust yourself
Trust yourself to know the way that will prove true in the end
Trust yourself
Trust yourself to find the path where there is no if and when
Don’t trust me to show you the truth
When the truth may only be ashes and dust
If you want somebody you can trust, trust yourself
Well, you’re on your own, you always were
In a land of wolves and thieves
Don’t put your hope in ungodly man
Or be a slave to what somebody else believes
Trust yourself
And you won’t be disappointed when vain people let you down
Trust yourself
And look not for answers where no answers can be found
Don’t trust me to show you love
When my love may be only lust
If you want somebody you can trust, trust yourself







Não gosto de ter a sensação de que não posso confiar em ninguém, a não ser em mim mesma. 
Não gosto de olhar para o que me rodeia e ter que pensar que se quem está à minha volta, tem segundas intenções no que diz e/ou no que faz. Gosto de confiar em quem me rodeia, é bom, é saudável, faz bem. Não gosto de descobrir eventualmente que num mundo tão pequeno existem pessoas que só pensam no seu bem pessoal e em nada mais, que tudo o que vem por detrás vem munido da intenção de se aproveitar da boa-vontade de alguém. Desapontam-me as pessoas assim. Por me desapontarem vou ficando cada vez mais com a sensação de que não vale a pena confiar em outros, ou que até pode valer, mas que essa confiança tem que ser válida após um escrutínio muito minucioso. E mesmo assim, por vezes esse escrutínio vem induzir-nos em erro, e mostrar que por mais que o tempo passe, damos por nós a pensar algo como "caramba, eu confiava mas fizeram-me isto e descobri mais isto". Assim não vale a pena perder o meu tempo, ou vale a pena perdê-lo mas cada vez mais com um número menor de pessoas.
© Brainstorming
Maira Gall