quarta-feira, fevereiro 29, 2012

Mau Maria !!!!

Eu quando comento um blogue subscrevo os comentários, gosto de os subscrever, apesar de por vezes os cancelar, mas subscrevo, e quero continuar a subscrever. Mas o blogger não me deixa subscrever coisissima nenhuma, e eu quero!!!
Mau....uma pessoa não põe aqui os pés decentemente e dá com uma "modernice nova"????
Mau Maria!!!!
Há alguém que me diga onde é que eu subscrevo os comentários dos blogues que leio???
Até me podem chamar de burra  e fazerem um desenho, que eu não me importo. O que eu quero mesmo é subscrever!!! 

Treco Lareco

A semana ainda não acabou e a minha cabecinha está a pedir férias mentais, a dizer Inês precisas de uma noite de sono bem descansada, ou talvez mais, mas de uma precisas mesmo.
Ainda a semana não acabou e tenho andado com umas sacanas de umas enxaquecas a moerem-me o juízo, e eu não sou pessoa de as ter frequentemente.
Ainda a semana não acabou e eu já estou farta dela. Stress, nervos, o que me vai/foi ser dado não coisas a mais para mim, mas teria preferido que fosse dado de maneira mais doseada....mas não deu....agora tenho uns dias para olhar para as responsabilidades e me entender com elas, e conversarmos....
Com tudo isto e como prova do meu semi/pseudo treco lareco a musica que estou a tarautear é tão somente esta.....




Follow the leader leader leader......lalalalalala

quinta-feira, fevereiro 23, 2012

Março

Para além de confirmar pela enésima vez que o meu instinto e o meu dedo mindinho são notáveis na arte da previsão, adivinhação, pressentimento, saliento o mês de Março. Vai ser um bom mês, acredito que vai.



Perfeição



Salvador Dali falou e disse, e eu concordo. A perfeição não existe. Não existe em nada, não existe em ninguém. Não somos perfeitos, embora exista quem almeje a sê-lo, quem viva na utopia de que alcança a perfeição e de que assim alcançará toda  a sua plenitude como ser humano.
O facto é que ser perfeito é uma perfeita chatice, a verdade é essa. A perfeição é chata, porque é certa, não foge um milímetro ao estabelecido, não escreve uma linha torta, faz tudo com régua esquadro e esquadria.
A perfeição que se almeja, que se pensa, deixa que nós humanos o deixemos de ser. Deixa que nos tornemos seres perfeitos, logo tornamos-nos em autómatos, robots, seres sem vida, sem sangue, sem sentimentos, sem cor, sem emoções, uma máquinas, somente umas máquinas.  

quarta-feira, fevereiro 22, 2012

Anti-stress

Um gajo chega à beira de uma gaja e diz:
- Estás afim de uma queca mágica?
A gaja pergunta:
- Como é uma queca mágica?
Ele diz:
- É muito simples, da-mos uma queca e depois tu desapareces.

Não dizem que o sexo faz a depressões, à pele, alivia a ansiedade e o stress??
Entre outros benefícios que de momento não me ocorrem??

Neste caso, iria assumir o papel do gajo, diria "damos a queca e depois tu desapareces".


O chocolate também funciona como anti-stress, certo???
Tenho que ir comprar amanhã uma caixa de chocolates.

terça-feira, fevereiro 21, 2012

Hora do Vitinho (114)

À parte de ser a enésima pessoa a fazer um enésimo post com o Pablo Alborán e  a Carminho, tenho a dizer que tudo isto é lindo, fantástico e maravilhoso: a guitarra, as vozes, tudo, tudo, tudo. Uma junção linda, fantástica e maravilhosa.




E para mim, com uma música destas, nada melhor do que juntar este maravilhoso texto:




Não há amor como o primeiro. Mais tarde, quando se deixa de crescer, há o equivalente adulto ao primeiro amor — é o primeiro casamento; mas não é igual. O primeiro amor é uma chapada, um sacudir das raízes adormecidas dos cabelos, uma voragem que nos come as entranhas e não nos explica. Electrifica-nos a capacidade de poder amar. Ardem-nos as órbitas dos olhos, do impensável calor de podermos ser amados. Atiramo-nos ao nosso primeiro amor sem pensar onde vamos cair ou de onde saltámos. Saltamos e caímos. Enchemos o peito de ar, seguramos as narinas com os dedos a fazer de mola de roupa, juramos fazer três ou quatro mortais de costas, e estatelamo-nos na água ou no chão, como patos disparados de um obus, com penas a esvoaçar por toda a parte.

Há amores melhores, mas são amores cansados, amores que já levaram na cabeça, amores que sabem dizer “Alto-e-pára-o-baile”, amores que já dão o desconto, amores que já têm medo de se magoarem, amores democráticos, que se discutem e debatem. E todos os amores dão maior prazer que o primeiro. O primeiro amor está para além das categorias normais da dor e do prazer. Não faz sentido sequer. Não tem nada a ver com a vida. Pertence a um mundo que só tem duas cores — o preto-preto feito de todos os tons pretos do planeta e o branco-branco feito de todas as cores do arco-íris, todas a correr umas para as outras.

Podem ficar com a ternura dos 40 e com a loucura dos 30 e com a frescura dos 20 — não há outro amor como o amor doentio, fechado-no-quarto, o amor do armário, com uma nesga de porta que dá para o Paraíso, o amor delirante de ter sempre a boca cheia de coração e não conseguir dizer coisa com coisa, nem falar, nem pedir para sair, nem sequer confessar: “Adeus Mariana — desta vez é que me vou mesmo suicidar.” Podem ficar (e que remédio têm) com o «savoir-faire» e os «fait-divers» e o “quero com vista pró mar se ainda houver”. Não há paz de alma, nem soalheira pachorra de cafunés com champagne, que valha a guerra do primeiro amor, a única em que toda a gente perde e toda a gente morre e ninguém fica para contar como foi.

Não há regras para gerir o primeiro amor. Se fosse possível ser gerido, ser previsto, ser agendado, ser cuidado, não seria primeiro. A única regra é: «Não pensar, não resistir, não duvidar». Como acontece em todas as tragédias, o primeiro amor sofre-se principalmente por não continuar. Anos mais tarde, ainda se sonha retomá-lo, reconquistá-lo, acrescentar um último capítulo mais feliz ou mais arrumado. Mas não pode ser. O primeiro amor é o único milagre da nossa vida — «e não há milagres em segunda mão». É tão separado do resto como se fosse uma primeira vida. Depois do primeiro amor, morre-se. Quando se renasce há uma ressaca.

Miguel Esteves Cardoso - Os Meus Problemas

segunda-feira, fevereiro 20, 2012

A propósito do Carnaval

Nunca fui uma fã assumida do Carnaval, apesar de gostar de ouvir as "minhas" marchas, de saber algumas de cor e de adorar as mais antigas. Aqui vive-se, respira-se, devora-se o Carnaval, e eu tive a minha fase. Aliás se começarem a cantar umas marchas antigas, e ainda as canto, o que prova que ficou, ou há ainda um pouco de Carnaval dentro de mim.
 Mas a minha fase passou, porque conclui que para me divertir e aguentar uma noite inteira a ouvir as mesmas musicas, tinha que ter andamento para a coisa e sim um bom andamento alcoólico (uns bons copos falando bem e depressa). Só assim a coisa se dava, eu me divertia e conseguia ouvir sempre as mesmas músicas. E depois a roupa para a pessoa se "ensaiar" (termo usado aqui), não tenho a imaginação de agarrar em meia dúzia de trapos e sair assim de casa.
E o espirito que não era muito aos poucos foi-se, já nem tenho aquela coisa de "com uns copitos a coisa dá-se", porque não se dá. No fim o que sobra, uma bebedeira, uma camada de frio e no outro dia uma ressaca e um projecto de constipação.
Não, não tenho o espírito. Ainda ontem a minha tia me estava a dizer que eu nunca fui grande fã, e eu respondi "oh tia, basicamente ia para o Carnaval para ir para os copos". A idade da altura, tal como esta são diferentes, e eu ir para o Carnaval seria um frete para mim. Quanto aos problemas??Desaparecem ou escondem-se por umas horas e depois estão de volta. Não...não vou nessa do "vou para o Carnaval para esquecer a crise", porque no outro dia a pessoa abre a carteira e a crise está lá fresca e fofa a dizer "olá!!!Eu estou aqui!!!"
Deve-se para o Carnaval acima de tudo com a alma e com espírito de festa. O ano passado não fui, este ano não vou, para o próximo ano logo se vê.


sábado, fevereiro 18, 2012

TPM temperamental

A TPM e primeiros dias seguintes são uma coisa temperamental.
Se ando de bom humor, com ele fico. Se ando em modo mau humor, é melhor fugirem da frente.
Torno-me num pequeno monstro. Essa é que essa....e haja quem me aguente. 
Basicamente até eu não me aguento comigo mesma.
Irra....bicho ruim que eu fico....
Credo Inês....


terça-feira, fevereiro 14, 2012

E voltando ao dia 14 de Fevereiro....



Ele há coisas que não lembram a ninguém: o dia 14 de Fevereiro, para além de ser o dia de S. Valentim é também o dia da disfunção eréctil....

"Manel.....hoje é dia dos namorados.Temos que fazer o amor!!!Já sabes que todos os anos é assim...há que desenferrujar, tirar as teias de aranha e mudar o óleo."
"Maria.....hoje também é o dia da disfunção eréctil...o Manel pequeno está de folga!!!"


O "dia oficial "de "fazer o amor" coincide com aquele em que o dito pode não ser feito...isto pode originar o caos nas camas, nos sofás, nos "chãos" deste país e deste mundo fora....causar "o drama...o horror...."
Grande bronca....

S. Valentim

Eu gosto de pensar e de acreditar que por aí anda gente que ama, é amada.  
Gente que se gosta.
Gente que se enamora.
Gente que se apaixona.
Gente que sente as borboletas na barriga de maneira eterna. 
Gente que tem os olhos a brilhar de alegria e de amor.
Gente que se deseja.
Gente que se adora
Gente que se ama.

Gente que sinta isto tudo, não hoje mas todos os dias.

segunda-feira, fevereiro 13, 2012

A propósito do dia de S. Valentim

Antecipei-me um dia, mas a intenção é essa.
Tendo como base uma "love song", (o dia de S. Valentim é dia de "love songs"),mas não uma da Whitney Houston,atrevo-me a perguntar...

"How deep is your love?"

domingo, fevereiro 12, 2012

Pergunta

É apenas a minha pessoa que tem o Blogger meio estúpido ou há mais alguém que está a rogar pragas mentalmente ao dito???
Quero entrar nos comentários e não posso...
Quero entrar na lista de mensagens e não posso...

E o google reader (pelo menos o meu, o vosso não sei),também  não se está a portar bem desde ontem...

Whitney Houston

Uma voz fantástica, uma vida semeada pelo sucesso, auge e consequente decadência, e um "renascimento", que poderá não ter sido o suficiente, ou terá sido demais. Toda a gente conhece as músicas dela, as cantarolou, as dançou, e viu o "Guarda-costas".
Da minha parte destaco o "Step by Step", pela letra fantástica da Annie Lennox, sem dúvida uma das minhas preferidas, e que me acompanhou durante algum tempo no ano de 2008, e que de vez em quando ainda me acompanha.


sexta-feira, fevereiro 10, 2012

Life




Sim....também eu "ando" numa de pôr imagens e frases aqui no estaminé.
Porque é que o ando a fazer? Será que é para encher chouriços???
Não.....porque eu não encho chouriços.
Porque gosto das coisitas que encontro, porque se encaixam comigo e em mim, e nos meus rascunhos, porque penso que se encaixam nas pessoas que por aqui passam.
Afinal de contas, a nossa base é a mesma e todos procuramos a mesma coisa.



quinta-feira, fevereiro 09, 2012

Challenge

 

Can you do it?
Conseguem fazê-lo?
Atrevem-se a tal??

O meu pequeno mundo

Reportagem " O Metro", acabadinha de dar na Sic, deixou-me triste, sensível e enternecida. 
Mundos, histórias, vidas que percorrem todos os dias 40 km de carris, 52 estações, 4 linhas e meio milhão de pessoas.
Ah, se o Metro, os seus carris, as suas estações e as suas carruagens falassem, teriam muito para nos dizer.


Responsabilidades

Estou a ficar relativamente assustada com a responsabilidade que vou assumir, que me vai ser passada para as mãos dentro de algum tempo.
Ou talvez esteja a ficar ansiosa.Ou ambas: assustada e ansiosa, o que perfaz um estado um tanto ou quanto nervoso, um ai ai ai.
Hoje à tarde perpassou pela minha mente algo como "Jasus Inês, Jasus!!!"
Isto não significa que não seja capaz, porque sei que sou. Se não fosse capaz ou não tivesse arcaboiço para tal seria a primeira a dizê-lo. Mas tal facto não implica o ai ai ai interior 
Não ando a roer e a comer unhas e dedos porque não tenho esse hábito, caso o tivesse aposto que hoje estaria com umas unhas muito jeitosas (ou sem elas).
Vou comer uma tabletezita de Milka de morango a seguir ao jantar, para ver se ansiedade e o "assustamento" passam.

quarta-feira, fevereiro 08, 2012

Wando

Diz a wikipedia que o Wando foi um cantor brega-romântico.
Já o Correio da Manhã escreveu que o cantor tinha uma colecção de 17000 "calcinhas".
Já eu digo que tenho dúvidas de que haja alguém que não conheça esta música, ou que não se ponha a cantarolar o seguinte verso: 
Você é luz
É raio estrela e luar
Manhã de sol
Meu iaiá, meu ioiô



17 mil pares de cuecas???

terça-feira, fevereiro 07, 2012

Verdade seja dita

Verdade seja dita, estou melhor agora solamente só , do que estava há algum tempo atrás. 
Sabe-me bem e sabe-me pela vida a minha liberdade e a minha independência, oh se sabe. 
E eu gosto muito delas e de sentir e saber que as tenho, de sentir que não estou presa, de me sentir eu mesmo eu, sem quaisquer tentativas de anulação.
Verdade seja dita, sinto-me leve. E ainda bem que assim o é, porque isto por si só na minha opinião vem demonstrar que mais tarde ou mais cedo iria estar enfiada num grande molho de brócolos e estar-me-ia a perguntar "o que é que estás a fazer Inês????"

segunda-feira, fevereiro 06, 2012

Hora do Vitinho (113)

Linda, fantástica, maravilhosa. É o que tenho a dizer...
E o instrumental a acabar a música...
E a letra...
E o refrão...


Here is a song from the wrong side of town
Where I'm bound to the ground by the loneliest sound
And it pounds from within and is pinning me down

Here is a page from the emptiest stage
A cage or the heaviest cross ever made
A gauge of the deadliest trap ever laid

And I thank you for bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found that I belong here

The heat and the sickliest sweet smelling sheets
That cling to the backs of my knees and my feet
Well I'm drowning in time to a desperate beat

And I thank you for bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found that I belong

Feels like home
I should have known
From my first breath

God send the only true friend I call mine
Pretend that I'll make amends the next time
Befriend the glorious end of the line

And I thank you for bringing me here
For showing me home
For singing these tears
Finally I've found that I belong here

Ai se eu te pego/Ai se t'apegas

Este clip era para constar do post anterior, sobre o carnaval da Nazaré Contudo só há bocado é que dei conta da falta do dito, e eu quero que o dito conste daqui pelo sotaque bem carregado pela originalidade pelo bom-humor,e pela letra.



Esta marcha é do ano passado e pelo que me constou andou a "bombar" no Carnaval.

A malta destes lados pega em algo ou alguém e faz destas coisas.


domingo, fevereiro 05, 2012

Carnavais

Os meus tempos de "carnavaleira" já lá vão (e nunca fui daquelas fortes), mas não posso deixar de passar o tema em vão.
Se Torres Vedras tem o Carnaval mais Português de Portugal, a Nazaré tem o Carnaval mais....sei lá sui generis, pondo as coisas nesses termos.
Não há sátiras à política nacional, como mote não há samba, nem moças semi-despidas. Há carros alegóricos cada um com a sua marcha, há salões de baile cada um com a sua música, e há muita muita originalidade.
E o Carnaval na Nazaré já começou. Começou dia 3 e só pára dia 22. E o Carnaval da Nazaré tem músicas como esta, e garanto eu que não as ouvem em mais lado nenhum.

Esta é a marcha de uma das salas de baile da Nazaré, uma das marchas mais esperadas. A marcha do mar-alto.



O Carnaval de Torres pode ser o mais Português de Portugal, mas o da Nazaré é sem dúvidas o mais imaginativo.

sábado, fevereiro 04, 2012

Sobre o frio

Não está chuva, nem orvalho....está um frio do caralho.
É mesmo isto, nem mais nem menos.

E diz-se que se mantém nos próximos dias....

Contra-senso

Ao mesmo tempo que estou a devorar o "Último segredo" do José Rodrigues dos Santos (já conhecia alguns factos, mas estou a modos que boquiaberta com outros), adiciono como amigos no facebook a Igreja e os Acólitos aqui da terrinha.

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

Gostar




"Se não gostarmos de nós ninguém gostará."
Frase feita, música com alguns anos, contudo ambas continuam actuais e aplicáveis ao século XXI, no ano de 2012

quinta-feira, fevereiro 02, 2012

Bloqueio

E na altura em que os meus dotes de "escrita", ou de alguém que de vez em quando acha que escreve alguma coisita que dá para o pedido, os ditos fogem, na altura em que são precisos, em que dão jeito a quem precisa
Ou deram de fuga, de frosques, puseram-se a milhas com o frio, ou congelaram com o dito, ou estão constipados, como a proprietária deles.



Espero que ele não me tenha feito isto....


quarta-feira, fevereiro 01, 2012

Voltando às covers

Não sei quantas covers existem do Man in a mirror, do Michael Jackson, mas eu estou deliciada com esta. Não só por ser simples (o que me faz gostar bastante), mas também por gostar muito da voz do James Morrison, e por achar que uma boa voz e uma guitarra fazem coisas fantásticas!!!


Sobre a felicidade

Concordo e subscrevo.



Acessórios

Se mudo de lentes, mudo de armação. Este é o facto e contra este facto não há argumentos. É o meu "acessório" de eleição porque tenho que andar com ele todos os dias.
Já disse por aqui que não gosto de armações normais e escuras, e volto a repetir que se tenho que usar este acessório, ou menos que se veja e fuja ao normal do que anda por aí.
E dentro das armações "da moda", voltei a constatar que não me consigo ver com armações escuras, que as quadradas que toda a gente usa ficam-me muito muito mal, que não gosto de hastes e armações demasiado finas (e para as lentes eram convenientes umas armações "largas").
Mas encontrei umas que são lindas, fantásticas e maravilhosas, que fogem ao convencional, o que me agradam muito, muito, muito.
Por isso é que as escolhi, por fugirem ao "normal" e logo darem nas vistas. E foram um "amor à primeira vista", e segundo percebi, a Etnia Barcelona (a marca dos ditos) é uma marca "do design" para malta como eu,aqueles que fogem dos padrões normais em termos de óculos.
O que mais pode acontecer é acharem que sou tontinha por usar uns óculos com uns quantos tons.


 Considerando o pedido da Sodona Essência como a anedota do dia aqui no meu estaminé, passo a considerar o seguinte: há quem se pareça com gajas boas, semi-boas, ou normais.A minha pessoa tendo como base este site, a minha pessoa parece-se, assemelha-se, pode ser sósia de:
Este foi o primeiro a aparecer, nem foi uma gaja, foi mesmo um gajo.
Continuando na lista todos, aparecem-se os seguintes "sósias":









Na categoria em que me insiro (sexo feminino), sou sósia desta senhora (não sei onde é que a cor dos olhos encaixam, mas adiante). 
E é a única senhora com quem sou parecida!!!
Os restantes são homens!!!
Oh céus, vou deprimir e descobrir se posso processar alguém....




© Brainstorming
Maira Gall