segunda-feira, fevereiro 20, 2012

A propósito do Carnaval

Nunca fui uma fã assumida do Carnaval, apesar de gostar de ouvir as "minhas" marchas, de saber algumas de cor e de adorar as mais antigas. Aqui vive-se, respira-se, devora-se o Carnaval, e eu tive a minha fase. Aliás se começarem a cantar umas marchas antigas, e ainda as canto, o que prova que ficou, ou há ainda um pouco de Carnaval dentro de mim.
 Mas a minha fase passou, porque conclui que para me divertir e aguentar uma noite inteira a ouvir as mesmas musicas, tinha que ter andamento para a coisa e sim um bom andamento alcoólico (uns bons copos falando bem e depressa). Só assim a coisa se dava, eu me divertia e conseguia ouvir sempre as mesmas músicas. E depois a roupa para a pessoa se "ensaiar" (termo usado aqui), não tenho a imaginação de agarrar em meia dúzia de trapos e sair assim de casa.
E o espirito que não era muito aos poucos foi-se, já nem tenho aquela coisa de "com uns copitos a coisa dá-se", porque não se dá. No fim o que sobra, uma bebedeira, uma camada de frio e no outro dia uma ressaca e um projecto de constipação.
Não, não tenho o espírito. Ainda ontem a minha tia me estava a dizer que eu nunca fui grande fã, e eu respondi "oh tia, basicamente ia para o Carnaval para ir para os copos". A idade da altura, tal como esta são diferentes, e eu ir para o Carnaval seria um frete para mim. Quanto aos problemas??Desaparecem ou escondem-se por umas horas e depois estão de volta. Não...não vou nessa do "vou para o Carnaval para esquecer a crise", porque no outro dia a pessoa abre a carteira e a crise está lá fresca e fofa a dizer "olá!!!Eu estou aqui!!!"
Deve-se para o Carnaval acima de tudo com a alma e com espírito de festa. O ano passado não fui, este ano não vou, para o próximo ano logo se vê.


7 comentários

  1. Ainda hoje, estava a jantar em família, e estavamos a ver nas notícias as reportagens dos diversos carnavais pelo país. E comentei que gostava de ter espírito para viver o Carnaval com aquela folia...
    Não podemos ser todos iguais... é o que eu acho. E mesmo em solteira eu ia aos bailes... e mais tarde à discoteca na noite de Carnaval... mas foi apenas uma fase. Queria ir namorar... por isso não ficava em casa!

    Diagnóstico em forma de pergunta... Ó "Nesita"... estaremos a ficar velhotas?? Mas depois lembro-me das velhotas que vi na reportagem da TV... e acho que NÃO tem nada a ver!!!
    ahahahahaha

    Beijinhos e vê lá se arrebitas mulher!!
    :))

    ResponderEliminar
  2. Aqui no nosso país sinceramente não faz sentido. Digo, para se viver verdadeiramente o espírito carnavalesco. Não há clima para isso. As pessoas não entendem o óbvio, livra! :S

    Kiss

    ResponderEliminar
  3. Concordo com a A Minha Essência, não temos clima para tal! lol

    ResponderEliminar
  4. Orquídea: está na alma das pessoas. Em locais como Torres (onde tenho uma amiga) e Nazaré (perto da minha residência), as pessoas vivem o Carnaval muito intensamente. Está-lhes na alma a festa, as marchas, as críticas que são mais ou menos implícitas nas músicas nas peças de teatro.

    ResponderEliminar
  5. Sodona Essência: e Corina: também não entendo o brasileirsimo cá colocado.Carnaval nacional é o de Torres e o da Nazaré.
    A título de curiosidade para as senhoras deixo-vos este link que publiquei no meu facebook: http://www.facebook.com/pages/O-BLOG-DO-MANELITO-CARACOL/351154433267

    ResponderEliminar
  6. Eu não ligo nada, só ligava quando era cachopa.

    ResponderEliminar
  7. Petra: falta-me o espírito.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall