A propósito do Carnaval

segunda-feira, fevereiro 20, 2012

Nunca fui uma fã assumida do Carnaval, apesar de gostar de ouvir as "minhas" marchas, de saber algumas de cor e de adorar as mais antigas. Aqui vive-se, respira-se, devora-se o Carnaval, e eu tive a minha fase. Aliás se começarem a cantar umas marchas antigas, e ainda as canto, o que prova que ficou, ou há ainda um pouco de Carnaval dentro de mim.
 Mas a minha fase passou, porque conclui que para me divertir e aguentar uma noite inteira a ouvir as mesmas musicas, tinha que ter andamento para a coisa e sim um bom andamento alcoólico (uns bons copos falando bem e depressa). Só assim a coisa se dava, eu me divertia e conseguia ouvir sempre as mesmas músicas. E depois a roupa para a pessoa se "ensaiar" (termo usado aqui), não tenho a imaginação de agarrar em meia dúzia de trapos e sair assim de casa.
E o espirito que não era muito aos poucos foi-se, já nem tenho aquela coisa de "com uns copitos a coisa dá-se", porque não se dá. No fim o que sobra, uma bebedeira, uma camada de frio e no outro dia uma ressaca e um projecto de constipação.
Não, não tenho o espírito. Ainda ontem a minha tia me estava a dizer que eu nunca fui grande fã, e eu respondi "oh tia, basicamente ia para o Carnaval para ir para os copos". A idade da altura, tal como esta são diferentes, e eu ir para o Carnaval seria um frete para mim. Quanto aos problemas??Desaparecem ou escondem-se por umas horas e depois estão de volta. Não...não vou nessa do "vou para o Carnaval para esquecer a crise", porque no outro dia a pessoa abre a carteira e a crise está lá fresca e fofa a dizer "olá!!!Eu estou aqui!!!"
Deve-se para o Carnaval acima de tudo com a alma e com espírito de festa. O ano passado não fui, este ano não vou, para o próximo ano logo se vê.


You Might Also Like

7 comentários

Popular Posts

Subscribe