sábado, abril 28, 2012

E perguntou-me

No meio do meu jantar, numa conversa banal sobre a minha quantidade de cabelos brancos, passando pelos 31 anos (quase meio), e outras coisas igualmente banais, a minha mãe bem recostada no sofá (já acabada de jantar), perguntou-me:
"Na tua vida, nos teus 31 anos e quase meio, tiveste mais coisas más ou coisas boas??"
Quase que me engasgado com o pedaço de salsicha fresca e respondi:
Sinceramente não sei. Deixa-me pensar um pouco, porque é difícil de responder.
Pousei literalmente os talheres, e pensei "agora tramaste-me.....", mas respondi:






"Na vida temos coisas boas e coisas más. As coisas boas são felizes, as coisas más servem para aprendermos. Se errámos com as coisas más, não devemos cometer o mesmo erro, mas se cometemos novamente o erro é sinal que não aprendemos. As coisas boas por serem boas, devem ter maior proporção do que as más por isso mesmo. Mas acho que na minha vida andam em partes iguais."
E pronto....julgo que a pergunta quase retórica da minha mãe me parou a digestão...

Verdade seja dita, ainda estou a matutar na pergunta e no que respondi...

6 comentários

  1. Não admira que essa questão te tenha deixado a matutar... é que não é possível colocar 31 anos e quase e meio numa balança e pesar de um lado o bom e do outro o mau que passaste como se estivesses a pesar laranjas!!
    Deixa lá isso! Concentra-te antes em aproveitar da melhor forma os bons momentos e não te esqueças do que aprendeste com os maus.

    Beijos de balança avariada!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Orquídea: é o que faço sempre. :)

      Eliminar
  2. Ohh amiga o que interessa é que tenhas aproveitado bem as coisas boas, e que tenhas muitas mais! beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Petra: não só aproveitei como as reti na memória.

      Eliminar
  3. As coisas boas costumam ser mais... se estão com o mesmo peso na balança acaba por ser triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S*: não é triste. É realista, talvez demasiado.

      Eliminar

© Brainstorming
Maira Gall