Carta a Deus

quinta-feira, maio 03, 2012

"Deus,Bem avisaste que eras um Deus invejoso e vingativo. Também sei que Job era um caso-limite: uma ameaça do que eras capaz. Nem eu nem a Maria João temos um milésimo da obediência e da resignação de Job. E castigaste-nos menos. Mas foi de mais.De certeza absoluta que nos amamos mais um ao outro do que te amamos a Ti. Sabemos que isto não está certo. Mas foste Tu que nos fizeste assim. Admite: deste-nos liberdade de mais. Foste presunçoso: pensaste que Te escolheríamos sempre primeiro. Enganas-Te. Quando inventaste o amor, esqueceste-Te de que seria mais popular entre os seres humanos do que entre os seres humanos e Tu. Por uma questão de tangibilidade. E, desculpa lá, de feitio. Tu, Deus, tens o pior das arrogâncias feminina e masculina. Achas que só existes Tu. Como Deus, até é capaz de ser verdade. Mas, para quereres ser um Deus real e humanamente amado, tens de aprender a ser um amor secundário. Sabemos que és Tu que mandas e acreditamos que há uma razão para tudo o que fazes, mesmo quando toda a gente se lixa, porque não nos deste cabeça para Te compreender. Esta deficiência foi uma decisão tua: não quiseste dar-nos a inteligência necessária.Mas deste-nos cabeça suficiente para Te dizer, cara a cara, que nos preocupamos mais com os entes amados do que contigo.Ajuda a Maria João, se puderes. Se não puderes, não dificultes a vida a quem pode ajudar. Faz o que só um Deus pode fazer: reduz-te à tua significância. Que é tão grande”.

Miguel Esteves Cardoso - Jornal Público 





Ao ler este texto, volto-me a aperceber, que Tu Deus, és um verdadeiro sacana, quase (ou mesmo) egoísta. Pões e dispões das nossas vidas, do que somos, do que temos, do que amamos, do que nos faz falta, do que necessitamos. Por muito que nos dês, tiras muito de nós. Tiras tanto e por vezes com uma rapidez tal que não temos tempo de assimilar o porquê. Consegues tanto e de maneira tão brusca, que nos arranca o coração, que nos deixa divididos, partidos em fragmentos que muito dificilmente se voltam a juntar. Deus, tu partes-nos, com esse "agora dou, até dou tudo, mas depois levo o que dei e mais alguma coisa".Deus, Tu és um real sacana, um egoísta com esse hábito de quereres tudo para Ti, de levares o melhor está connosco, e que há de nós, sem hesitações. Verdade verdadinha, o comum mortal não passa de um mero brinquedo para Ti, ora brincas até à exaustão, ora Te cansas do brinquedo e logo pedes um novo. Mas nem sequer pedes, levas e pronto, porque para Ti tudo é adquirido. É como nos supermercados: chegar e levar. A diferença é que não pagas. Pagamos nós por ti.       

You Might Also Like

4 comentários

Popular Posts

Subscribe