sábado, junho 30, 2012

Hora do Vitinho (129)

"Quanto mais vou sabendo de ti, mais gostaria que ainda estivesses viva. Só dois ou três minutos: o suficiente para te matar.


Merecias uma morte mais violenta. Se eu soubesse, não te tinha deixado suicidar com aquelas mariquices todas. Aposto que não sentiste quase nada. Não está certo. Eu não morri e sofri mais do que tu. Devias ter sofrido. Porque eras má. 


Eu pensava que não.

Enganaste-me. Alguma vez pensaste no que isso representou naminha vida miserável? Agora apetece-me assassinar-te de verdade.


É indecente que já estejas morta.
Quando tomaste os comprimidos sabias que estavas a safar-te.De boa. Confessa. Foi um bom negócio. As pessoas que levaram uma vida como a tua costumam morrer em circunstâncias que deixam muito a desejar. Afogadas em aquários. Estendidas de pernas abertas numa paragem de autocarro, esfaqueadas, sem cerimónias, e estranguladas por uma histérica numa casa de banho.


Eu tinha-te dado um tiro. Um tiro limpo nessa cabecinha — o suficiente para te assustar, mas rápido. A doer um bocadinho.

(...)


Nunca houve nada como o amor para nos ajudar a ver o mal. O amor é o antídoto da cenoura. Eu sempre te vi como uma rapariga encantadora. Tudo o que fazias tinha de ser forçosamente encantador. Por muito bruta que fosses, parecia-me sempre uma forma radical de encanto. Mesmo quando teimavas numa manifesta estupidez, eu cansava a cabeça até arranjar maneira de te dar razão. 


Achava que toda a gente te atacava injustamente. Parecia-me incompatível com a injustiça.Gozavam comigo, mas eu gostava de ser assim. Tinha a mania da lealdade. A bem ver, depois de tudo o que descobri a teu respeito desde que morreste, era apenas mais uma maneira de tentar agradar-te. Que tu detestavas. «Não preciso que me defendam!», gritavas sempre, como se eu te defendesse só por tu precisares. 


Como eras má. Má. Ingrata, caprichosa, cruel e má.
Trataste-me como não se trata — pode dizer-se — um cão. Contigo a comparação ganha nova força."


Miguel Esteves Cardoso - O amor é fodido


Um Vitinho a um sábado à noite é um contra senso....mas...
Os contra sensos às vezes acontecem.





Cúmulos do engano

Cúmulo 1 : Matar uma idosa no dia do seu aniversário porque alguém gritou: "Apaga a velinha!"


Cúmulo 2 : Uma minhoca entrar num prato de esparguete a pensar que é uma orgia.


Cúmulo 3 (da Inês): entrar num restaurante italiano gerido por indianos, e o empregado perceber prato 87 em vez de 97. 


Este sim é um grande cúmulo do engano.

quinta-feira, junho 28, 2012

Sobre a doação de sangue

É homossexual???Então não pode dar sangue!!

Mesmo que use preservativo, e que tenha o mesmo parceiro!!!Não pode dar sangue!!

Mesmo que haja falta de sangue nos hospitais!!

Mesmo que façam apelos para se doar sangue!!

É homossexual!!Não pode dar sangue!!

Pelo menos eu não recebo o seu sangue!!

Ainda pegar a alguém essa doença que é a homossexualidade!!


E dizemos nós que somos um país do primeiro mundo, socialmente tolerantes, abertos a estas coisas, estas relações "dos paneleiros e das fufas". 

Um país que não discrimina pessoa tendo por base a raça, a religião e a orientação sexual....

Onde é que a orientação sexual interfere com a qualidade do sangue??? 

Deixa de ser puro??

É sangue doente????

Tenham vergonha.... 




Voltando ao futebol

Vamos voltar a cair na nossa realidade....é triste, custa, dói mas ela está à nossa espera.

Não...infelizmente não se foi embora, continuou cá enquanto andámos (uns mais, outros menos), absorvidos pelo Campeonato Europeu.

Mas soube bem este "pão e circo". Apaziguou a alma por uns tempos, deu-nos umas alegrias, distraiu-nos, mas a triste e dura realidade continua cá...


quarta-feira, junho 27, 2012

A Inês e o futebol....

Eu que não acreditava na selecção até ganharmos à Dinamarca, reconheço o mérito. E reconheço o bom trabalho feito.

Conseguir alinhar todos os egos e feitios discordantes ali existentes, não é para todos, e o Paulo Bento conseguiu. Tem um grande valor por esse feito. E acredito que o caminho para o Mundial está a ser traçado.

Há que dar o seu a seu dono, e fazer a Espanha perder o seu "tika taka", não é para qualquer equipa.

Quanto aos penáltis....é sempre uma questão de sorte.
Essa é que essa. É a maior sorte do mundo do futebol.

Amanhã torço pela Itália....quero estragar a festa ao Platini...raio do homem....é pior que o polvo, os outros animais e a ex-actriz porno que adivinham resultados.


Apropriado à época

Noites longas, e quentes...

Apropriada para os amores de verão, os devaneios, os impulsos e afins.


Porque o amanhã por vezes não existe, ou não deve existir...



domingo, junho 24, 2012

...


Dizem que eu tenho um coração grande....

Eu digo que faço o que posso,e nada mais do que isso.

sexta-feira, junho 22, 2012

Decisões

Eu que sou bastante pacífica, apoio manifestações e greves desde que não haja recurso à violência de qualquer uma das partes (e para mim as greves devem ser muito bem fundamentadas nesta altura)  e que faço a apologia do ver para crer na política, deixo a questão....


Se esta notícia vier a concretizar-se, para quando manifestações aqui no cantinho que exijam o mesmo??

Quando é que nossos governos tomam esta medida??

Quando é que os nossos políticos (todos os que estão sentados na AR) fazem algo semelhante??

Serão necessárias manifestações tão graves como as Gregas, quedas de governo, eleições atrás de eleições??


Se a Grécia não chega, tomem como exemplo a França...


Resta-me acrescentar que não concordo com o impedimento das filmagens nas reuniões do Conselho de Ministros Grego, e que esta decisão não vai cair em saco roto...

Já agora....quanto tempo é que este governo irá durar??

Coisas....

Pessoas que passam o tempo a enunciar e numerar os favores feitos a X, Y ou Z, fazem-me desconfiar.

Quem faz os favores e ajuda apenas pela vontade e sem pretender nada em troca, não os enuncia 50 vezes os "favores" feitos, as ajudas dadas. 

Para mim estas enunciações e numerações leva-me para uma falsa humildade.


quinta-feira, junho 21, 2012

Hora do Vitinho (128)


As lágrimas das raparigas refrescam-me. Levantam-me o moral. Às vezes lambo-as dos cantos dos olhos. São pequenos coquetéis sem álcool, inteiramente naturais. 


Dizer «Não chores» funciona sempre, porque só mencionar o verbo «chorar» emociona-as e liberta-as, dando-lhes carta branca para chorar ainda mais. Só intervenho com piadas e palavras de esperança e de amor quando elas vão longe de mais e começam, por exemplo, a pingar do nariz.


As raparigas, depois de chorar, ficam com vontade de fazer amor. É como se tivessem apanhado uma carga de chuva. Ficam todas molhadas. Nós somos a toalha que está mais à mão. O turco maluco com que se embrulham e enxutam. É horrível, não é? Mas só um santo não se aproveitaria.


E as raparigas que choram depois de se virem?
Estarão assim tão arrependidas?
Comovidas?
Simplesmente agradecidas? 


Gostaria de pensar que sim. As três coisas, pelo menos. Elas próprias não sabem. Riem-se logo de seguida. As piores são as que se riem logo ao princípio. Mas as piores também são muito queridas.

Miguel Esteves Cardoso - O Amor é fodido



terça-feira, junho 19, 2012

Ele

Ter mencionado uma ex pessoa no post abaixo, devolveu-me-o à memória por breves instantes.


Mas, não....não sinto a falta dele, em momento ou situação alguma.


A única coisa que me passa pela cabeça é que a lei dos opostos é muito bonita, mas não pode ser levada totalmente à letra. Há que manter um lado racional neste complexo sistema social que são as relações entre duas pessoas.


Olhando para trás e analisando de maneira coerente, não amei, e não me apaixonei. Se me tivesse apaixonado, teria ficado alguma coisa de importante, de interessante na memória, de bom, de agradável, que me deixasse com uma espécie de sensação, Mas não ficou....nem a recordação do cheiro dele. Não sei se era um cheiro mais intenso ou menos, doce ou salgado. Não sei, simplesmente não sei...e bem vistas as coisas nunca soube. E isto por si só vem mostrar que nada....não ficou nada.


Nem desprezo ficou pela forma em como não fui tida e nem achada no fim de algo que nem sequer devia ter começado (devia ter dado sempre ouvidos ao instinto...)


Apesar de saber de quem são as chamadas anónimas que de vez em quando recebo, não me interessa....nem aí atendi para dizer 1001 coisas, nem atendo. 


Se o encontrar por aí, provavelmente vai ser igual a nada.


A grande ilação que retive: não deixar que ninguém me tente anular, nem sequer sentir que o estão a fazer, ou a tentar...


Também devo ter aprendido a ser mais racional, o acto do impulso e eu éramos quase um só...acho que aprendi a ponderar, a ter calma com a impulsividade, aprendi com o erro.


Se o tempo foi mal empregue??Não foi. Errei e fez desse erro uma aprendizagem
O resto...o resto é paisagem.

Se por esse lado alguém se pergunta se colmatei alguma espécie de falta de carência, mimo, calor...a resposta é simples e concisa: não.
Se sinto a falta: não.
Se preciso: não.



Ter-me-ei tornado num autómato, um robot??

Esta é que é a minha grande dúvida...tornei-me em quê??

domingo, junho 17, 2012

Hora do Vitinho (127)

Fazer uma hora do Vitinho no Verão não nada é fácil.
Primeiro porque as pessoas deitam-se mais tarde, segundo devido à estação do ano. Não é oficialmente mas já é Verão, e o Vitinho que faço no Inverno, ou no Outono e mesmo na Primavera, não deve ser igual ao do Verão.

Vejamos....não tem muito sentido eu pôr "I'll make love to you" dos boys2men em pleno mês de Junho, Julho ou Agosto. Ou o "unchained melody". Não encaixam nesta altura do ano.
O Verão apela a noites mais longas, apela também aos sentidos...e ao uso deles, e por aí adiante....deduzo  que quem lê este post, lê bem nas entrelinhas os apelos do Verão a muito boa gente.

Basicamente...fazer uma hora do Vitinho do Verão é extremamente díficil. É mais fácil fazer uma hora do não Vitinho...




sábado, junho 16, 2012

Road to nowhere

Neste momento estou numa versão não sei de onde venho, nem sei para onde vou.Sinto-me numa completa road to nowhere, mas no sentido perdido, não no sentido mesmo que não vá a lado nenhum, a algum lado vai dar. Se a estrada não for para lado nenhum, ou eu chegar a um cruzamento e não souber para onde virar, logo se vê". 

A road to nowhere pode ir ter a somewhere. Se não acontecer, depois vê-se, avalia-se, pondera-se.

Mas hoje estou completamente nowhere. Eu a estrada...

É o que dá passar o dia a pensar.




"Well we know where we're goin'

But we don't know where we've been

And we know what we're knowin'

But we can't say what we've seen

And we're not little children

And we know what we want

And the future is certain

Give us time to work it out



We're on a road to nowhere

Come on inside

Takin' that ride to nowhere

We'll take that ride."

(...)




Não deve ser muito agradável se acontecer








Sejamos sinceros....não deve ser muito agradável se acontecer...
Estar demasiado alcoolizado para performances que exigem sempre alguma noção e discernimento.
Há que se saber minimante o que se faz...ou não??
Mesmo estando com um, dois, cinco, sete, dez, quinze copos a mais.
Isto para ambos os lados da questão.
Partindo do pressuposto que ambos os lados estão contentes da vida (nesta situação bem acima de contentes), pela questão implícita e explicita pelos copos a mais, o ambiente, as hormonas, a física, a química e por aí adiante...e a coisa não ata e nem desata. 
 

Ou ouvir "deixa-me só descansar um bocadito", e o bocadito passa a ser um bocado, e o bocado assume a forma de pilhas duracell e "dura e dura e dura". 

Ou descansa-se sem querer, fecham-se os olhos por um segundo e dá-se um "apagão"
Nem para um lado nem para o outro. 

Ou como se diz: "não fode mas também não sai de cima."

E não deve ser agradável, alguém adormecer em cima de nós.

Em cima de mim era muito desagradável...eu sou levezinha, não ia gostar de ser esmagada e muito menos por um sono alcoolizado.

quinta-feira, junho 14, 2012

Hora do Vitinho (126)

terça-feira, junho 12, 2012

Contra o abandono


Eu não abandono o meu estaminé durante o Verão.
Não abandonem o vosso....Ele precisa de ser cultivado e eu preciso das vossas leituras não só no resto das estações, mas também durante o Verão.
Não façam a apologia do pausa para férias...
Partilhem esta causa.  

Metade de mim

Metade de mim é o que sou.

Metade de mim é o que fui.

Metade de mim está no passado, a outra metade transportou-se para o presente.

Metade de mim do passado conjuga-se por vezes com o a metade de mim  presente.

Metade de mim, adaptou-se.


Metade de mim, é passado a outra metade presente. A metade futuro, pela lógica aqui inerente não existe. Essa parte não nos cabe a nós decidir (para mim, mesmo o futuro, tal como o acaso são e serão fruto do destino), mesmo sabendo que daqui a um minuto estou no futuro.


Sou feita de metades.


Metades risonhas.


Metades sérias.


Metades loucas.


Metades sóbrias.


Metades inebriantes.


Metades soturnas.


Metades irreverentes.


Metades conformadas.


Metades inconformadas.


Metades de amargura.


Metades de doçura.


Metades de uma face.


Metades de outra face.


Metades de pedra.


Metades de ternura.


Metades de fel.


Metades de mel.


Metades de riso.


Metades de choro.


Metades de coragem.


Metades de medo.


Metades sonhadoras.


Metades realistas.


Metades confiantes.


Metades receosas.


Metades fortes.


Metades fracas.


Metades perdidas.

Metades encontradas.


Metades subjugadas.


Metades revoltadas.






domingo, junho 10, 2012

Pergunta

Qual é a maior causa para a existência de divórcios???

Agradeço respostas.


sábado, junho 09, 2012

Sobre o jogo...

Merecíamos o empate....
Mas porque raio é que só começamos a jogar em condições e a arriscar com a aflição???
Venha a Dinamarca....
.medo, muito medo...ganharam à Holanda...

segunda-feira, junho 04, 2012

Voltando à selecção


E às críticas sobre a despesa excessiva e os gastos também eles excessivos.
É uma vergonha a Selecção gastar mais de 33 mil euros por noite na estadia no belo do hotel em Varsóvia.É o nosso dinheiro que está ali.

Para mim é uma vergonha, ver este gasto exacerbado, megalómano, enquanto que nós por cá estamos como estamos. Não se concebe que num país em crise e com ajuda internacional se gaste esta fortuna!!!Se alimentem egos e luxos!!

Se tem que haver austeridade, ela que também passe por aqui!!

Se quero que a Selecção ganhe alguma coisa??Claro que quero, como Portuguesa que sou, gostava de ver a Selecção vencedora, e o futebol é o nosso pão e circo.

Contudo ler esta noticia é vergonhoso.


A opinião de uma gaja sobre a Selecção Nacional



"Cristiano Ronaldo és lindo!!Faz-me um filho!!!Amo-te!!!" E por aí adiante...

É assim que muito mulherio vê a selecção na figura do Cristiano Rónaldo e de outros quantos. O culpado?? É o Scolari que em 2004 pôs o mulherio histérico com a selecção, que os coloca ao nivel de deuses...Agora aguentem-nos,ou aguentem-nas!!
Mas estamos a lidar com uma boyband, estrelas pop, ou com jogadores de futebol, que por acaso representam a malta??

E a malta espera que sejamos representados com trunfos e com muito amor à camisola, não ao dinheirinho que muitos fazem questão de mostrar à malta, malta que por acaso tem os trocos contados, malta que por acaso está em crise, malta que por acaso ajudou a pagar o belo do estágio em Óbidos, malta que vou contribuir para o estágio na Polónia.

Pois...a malta contribui para isto!!
E o que recebe em troca??
Pop stars???
Duas derrotas??
Acenos à distância porque a populaça faz mal???
Ai somos bons, ao melhor nível???Temos potencial para ganhar??
E humildade???Isso parece não existir...isso e repeitinho pelas outras selecções. Gosto muito que olhem para a   "Alemanha nos olhos", mas gosto ainda mais de ouvir que os respeitam. Esta mania da soberba tolda-me as ideias.

E o nosso PR diz que a malta confia na Selecção???
Nota-se....100 pessoas a despedirem-se!!!O nosso nível de confiança está muito elevado.
O nivel de confiança está fraquito... fraco o suficiente para achar que o polvo que fez a previsão do Portugal-Alemanha ainda acerta!!
E não vou lá nem com a anúncio da Galp, por muito bom que esteja...


sexta-feira, junho 01, 2012

Sobre as Amantes do Verão

O desafio "As amantes do Verão" começa hoje. Mas antes de me debruçar sobre o dito, deixo para a posteridade (ainda bem que tenho a máquina fotográfica comigo), a baía de São Martinho do Porto, onde a época balnear já começou. 

Temos bandeira azul e brevemente, estes "paus" vão estar com as barracas, que ocupam grande parte da baía.

Diz-se que é aqui que o Inverno passa o Verão, mas na minha opinião temos aqui um micro clima muito especial.
Já estão crianças na praia, a bandeira está verde, e o mar calmo como só ele.

Eu, desfruto desta vista todos os dias.  E do cheiro do mar, do sal e da areia.





© Brainstorming
Maira Gall