Pilas e economia

domingo, julho 22, 2012

Já que se fazem estudos sobre tudo e mais alguma coisa, porque não estudar as pilas, a economia, e a relação entre ambas???
Foi o que um economista Finlandês fez. Em vez de trocar o assunto em miúdos, opto por trocá-lo por pilas, neste caso por pilinhas: já que todos os estudos se baseiam nos factores ditos comuns, porque não analisar a  economia de um país tendo como base o tamanho das pilas???
Não sei se o senhor andou de país em país a medir pilas e a compará-las com estudos sobre economia, e também isso não interessa para nada.
O que é relevante para aqui é a brilhante conclusão: nos países com grandes economias e um bom PIB, os seus habitantes têm pilas pequenas.
Segundo li, as pilas dos portugueses possuem um tamanho médio de 9,85 cm quando flácidas e de 15,82 erectas.
Posto isto, tenho a dizer que agora sim....agora entendo porque é que a China tem uma grande economia: os chineses têm pilas pequenas.
Mas este estudo tem a sua lógica, por sinal bastante simples: quanto menores as pilas, mais as pessoas produzem no trabalho. Há medida que o tamanho das pilas aumenta as pessoas produzem menos no local de trabalho, provavelmente produzem mais em casa.
Olhando para o mapa abaixo, não entendo o seguinte: se a nossa pila média é semelhante à dos EUA, porque não temos a mesma economia que eles??
Será que os americanos são pagos por produzirem em casa e assim contribuem para a economia americana??
Quanto ao caso português proponho o seguinte: sigam o exemplo a cima, ou então diminuam o tamanho das pilas, para o país crescer.


You Might Also Like

10 comentários