Festas felizes

quinta-feira, dezembro 27, 2012

Amigos,
Este não foi o Natal que merecíamos. Muitas famílias não tiveram na Consoada os pratos que se habituaram. Muitos não conseguiram ter a família toda à mesma mesa. E muitos não puderam dar aos filhos um simples presente.
Já aqui estivemos antes. Já nos sentámos em mesas em que a comida esticava para chegar a todos, já demos aos nossos filhos presentes menores porque não tínhamos como dar outros. Mas a verdade é que para muitos, este foi apenas mais um dia num ano cheio de sacrifícios, e penso muitas vezes neles e no que estão a sofrer.
A eles, e a todos vós, no fim deste ano tão difícil em que tanto já nos foi pedido, peço apenas que procurem a força para, quando olharem os vossos filhos e netos, o façam não com pesar mas com o orgulho de quem sabe que os sacrifícios que fazemos hoje, as difíceis decisões que estamos a tomar, fazemo-lo para que os nossos filhos tenham no futuro um Natal melhor.
A Laura e eu desejamos a todos umas Festas Felizes.
Um abraço,
Pedro.


Olá Pedro!!Boas Festas!!E bom post no facebook. Atrevo-me a dizer que tal como o post de Setembro, também este vai ter um número elevado de partilhas e de comentários. Mas adiante Pedro, adiante...Eu não votei em ti, mas infelizmente o acto de ter exercido o meu direito a votar ajudou que fosses nosso 1º ministro. E sinceramente, verdade seja dita pensei que fosses fazer um bom trabalho, melhor do que o do governo anterior. Achei mesmo, que apesar da dívida e do empréstimo que nos foi feito, que nos irias levar a bom porto com as promessas e com o governo que apresentaste. Mas Pedro, pá...eu e muitos sentem-se enganados, defraudados com este quase ano e meio de governação. Não estava à espera que cumprisses tudo o que tinhas prometido, isto porque os políticos mentem e tu não és excepção à regra. Contudo eu e muitos deram-te tolerância nos primeiros meses, por o défice estar maior do que aparentava, pelas contas estarem mal, por serem necessários mais sacrifícios do que os que seriam necessários. Mas a tolerância passado todo este tempo é zero, e a paciência para ler os teus posts e ouvir as tuas declarações já passaram o limite do razoável, assim como passou o facto de atribuires as culpas ao governo do Zé. Contas feitas já governas este país há tempo suficiente para teres   visto e revisto as nossas contas em conjunto com o Vitor, já sabes muito bem quanto temos que pagar. Mas o problema Pedro, não só é só da forma, é do conteúdo. Apesar de vires mostrar a tua solidariedade para os que não tiveram uma mesa farta e o mesmo número de prendas, isso a mim não me serve de nada Pedro. Nem a mim, nem a ninguém, por um motivo muito simples: Pedro tu não vives com 500€ por mês e nem a Laura deve viver. O teu ordenado e o da Laura dão muito bem para que vocês tenham o mesmo nível de vida de anteriormente. E...Pedro nem deixes a Laura dizer que tal como a Maria Cavaco Silva faz compras no hipermercado, porque então é que a porca torce o rabo! E nem te lembres de dizer que tens marcas brancas em casa. Ao contrário do que pensas isso não te torna humilde, muito pelo contrário. Mas adiante porque já estou a divagar.
Pedro, pedes para que façamos um esforço a olhar para o futuro dos nossos filhos e netos?? E eu ?? Eu não tenho filhos ou netos, estou a fazer um esforço para o futuro de quem? Dos meus gatos? Mas Pedro...referes-te a que futuro? O futuro negro do próximo ano? Pá....já está negro, negríssimo !Vais conseguir arranjar novos tons de negro para que não vejamos o futuro de outra cor que não essa? E o teu esforço Pedro, onde fica? Onde fica o esforço dos teus ministros, secretários de estado e semelhantes? Onde está o esforço do parlamento, dos grandes gestores deste país? Onde está o esforço dos teus amigos? Onde está o esforço do estado? Ai estão a esforçar-se? Até acredito que estão, mas Pedro, se estás no direito de me exigires mais e mais, eu também tenho o direito de exigir o mesmo a ti e aos teus amigos.
Pedro, se não tens que me sustentar (faço os meus descontos  logo tenho direito a tudo), eu também não tenho que o fazer. Se afirmas que nós vivemos acima das nossas possibilidades e temos que aprender a (sobre)viver porque carga de água o nosso governo e semelhantes vivem acima das possibilidades e da realidade económica? Pedro achas correcto pedires tanto, quando o exemplo não vem de onde deve vir, isto é de cima? De que serve pagar uma divida se tu a aumentas? De que servem as inúmeras medidas que apresentas, quando são precisas menos mais? De que serve anunciares cortes na despesa estatal, quando o que queres é aumentar a receita?
Oh Pedro, deixa-me que te pergunte: frequentaste mesmo alguma aula de economia? E o Vitor?
Pá....eu tenho quase a certeza de que não. Porquê? A resposta é simples: a receita do estado só aumenta verdadeiramente se consumirmos. Tu precisas do nosso consumo para que a receita suba e o défice baixe, não precisas só de cortes. Aliás, como se vai vendo os cortes não estão a ter qualquer utilidade.

Pedro, posto isto vens pedir para que continuemos a cortar pelo futuro dos nossos? Achas mesmo que esse apelo funciona? E quando chegarmos definitivamente ao tempo de uma "sardinha" para três? Vais continuar a pedir? Pedro...nós temos dado tudo...E tu? O que nos dás em troca? Mais cortes, mais aumentos? Onde é que está o estado social, o acesso gratuito ou quase a serviços básicos como uma consulta? Continuas a pedir esforços? Oh Pedro...sintoniza bem a tv, porque os noticiários que vês não são os mesmos que vemos. Pedro, já não se pode cortar nem mais, nem em mais nada. Não suportamos mais austeridade ao contrário do que diz o Fernando Ulrich.
O nosso futuro e o futuro dos nossos não está no que nos tiras todos os dias, sem dares nada em troca. O nosso futuro e o dos nossos está em sobrevivermos neste "país", e isto está cada vez mais complicado.

Continuação de festas felizes.
Um abraço,
Inês

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Subscribe