quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Momento insano do dia (88)

A ser verdade o que diz este artigo, eu sou doida varrida.
Posto isto, pergunto-me sobre o que faço aos maravilhosos chocolates de morango e de caramelo que comprei hoje no hipermercado.




Uma fotografia por dia (31)


Consciência

Verdade seja dita, é para o lado que durmo melhor o que falam sobre mim, sobre o meus gestos e atitudes.
Felizmente tenho o que se chama de consciência tranquila, e o falar mal bem como criticar negativamente,  fazer suposições e tirar várias ilações sobre a minha pessoa não me tiram de forma alguma o sono.

terça-feira, fevereiro 26, 2013

Sadismo

Penso que pratico a prática do sadismo desde em que há dois dias vejo o noticiário, faço zapping para a Sic Notícias e depois para a TVI 24.

Enquanto

Enquanto eu acreditar que apesar de ter uma depressão sou mentalmente forte,
Enquanto eu areditar que assumir as minhas fraquezas me torna mais forte,
Enquanto eu acreditar que a psicoterapia que vou começar me vai ajudar a lidar com tudo.
Enquanto eu acreditar que o anti-depressivo é tão somente uma muleta e que o restante sou eu que eu faço.
Enquanto eu acreditar que vou ver uma luz ao fundo do túnel e que esse túnel vai ter fim.
Enquanto eu acreditar que a minha "revolta" me leva a algum lado serei eu.
Enquanto eu acreditar nas minhas capacidades e no meu valor enquanto pessoa, serei eu, sempre eu.

Porque eu sou feita de metades, e são essas mesmas que me tornam a pessoa que ainda acredita e acreditará sempre nos "valores" acima descritos. E se por ventura deixar de acreditar ou de cumprir algum deles, serei a primeira a assumir a falha mas também a trabalhar para os reconquistar.



Uma fotografia por dia (30)


Qualquer coisa de bom

Estou em modo delirante com o cd Rui Veloso & Amigos.
A voz do Rui Veloso aquece-me a alma.
E os "Velhos do Jardim" em dueto com o Carlos do Carmo estão fantásticos.

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

Coerência

Concluo mais uma vez que não existe coerência no discurso dos "políticos do partido do governo", quando oiço na SIC Noticias algo como "estamos no bom caminho, mas o desemprego é um flagelo".
E já cansa, sinceramente cansa-me estar ainda a ouvir a velha desculpa de " a culpa é dos outros, estamos a emendar a porcaria que os outros fizeram". Esta desculpa já não funciona.



Suprasumo da parvoíce

Para mim o suprasumo do quanto as mulheres conseguem ser parvas é baterem-se por causa de um homem. Isso mesmo, andarem ao murro, estalada, pontapés, arrancar cabelos por causa de um qualquer ente masculino.

Para mim é um dos maiores factores demonstrativos de baixa confiança e baixa auto-estima que muitas têm.
E não, eu não concebo a ideia de que "pelo homem faço tudo, até dar murros na outra".
Para mim valemos muito mais a pena do que estas cenas de bradar aos céus e de fugir a sete pés.
Baterem-se pelo sexo masculino??? Isso cabe na cabeça de alguém?

(Não, não vi nenhuma cenas mas lembrei-me de que elas acontecem)

sábado, fevereiro 23, 2013

Trabalhar

Extremamente necessário para mim é trabalhar e alimentar o espírito. Apanhar ar e arejar as ideias.
Faço bem, e faz-me bem.


sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Meia volta

E meia volta dou por mim a "folhear" o Livro do Desassossego de que fiz o download. Ao mesmo que o folheio vou-o "sublinhando".
E por cada vez que o faço não consigo de forma alguma deixar de admirar com a capacidade que Fernando Pessoa tinha, fosse através dele mesmo, ou das suas personalidades heteronímicas tinha de pôr no papel o que lhe ia na alma do seu mais profundo.

Um dia destes vou tê-lo em papel, assim irá ficar devidamente folheado, sublinhado. É talvez uma forma mais próxima de sentir a escrita de Fernando Pessoa e ele mesmo.

Spotify

Estou a aprender a "mexer-lhe", mas já estou rendida. E ainda bem que finalmente ficou disponível para download aqui no cantinho à beira mar plantado.
Para os "musicodependentes" como eu é uma maravilha, e para os que não sofrem de uma dependência musical extrema também é muito bom.
Basicamente instala-se a aplicação e bum!!!! Uma panóplia de músicas para ouvirmos e partilharmos por aí fora.
Já o tenho no computador e no telemóvel, e recomendo vivamente!!



Navios


Não faço a mais pequena ideia do local do caralho do navio. Contudo arrisco-me a dizer que se ficou bem atracado, deve estar no mesmo local onde o deixaram. 
Se porventura quem fez esta procura sofre de amnésia, aconselho a procura do navio através deste site
Eu de facto não sei o local do caralho do navio, tenho muita pena mas não posso ajudar mais.

quinta-feira, fevereiro 21, 2013

Ai Cristo, anda cá abaixo ver isto....

Resignação.
Escândalos sexuais.
Pedofilia
Vatileaks


A igreja e o estado andam de mãos dadas, cada vez mais à medida de um deus único a igreja e o estado são apenas um num só.
Muito se especula sobre quem será o novo papa, mas preocupa-me mais em ler e saber da podridão da "santa" igreja católica, apostólica e romana do que querer que o papa seja negro, branco ou às bolinhas.
Ser aberto à sociedade, ao pensamento do cidadão comum e ao século XXI é uma utopia na qual eu já deixei de acreditar há muito tempo.
Contudo já seria tempo de se criticar, censurar culpar e punir seriamente todos os lobbys da "santa" igreja, todos os escândalos, todos os rumores. Tudo abertamente, coerentemente. E um pedido de desculpas não basta, porque desculpas e palavras existem muitos, actos é que não.

Caramba...não cabe da cabeça de alguém "normal" existirem cardeais que podem vir a ser o sucessor de Pedro que estejam envolvidos nesta panóplia de escândalos, ou que sejam a favor da pena de morte. Vai contra toda e qualquer base da santa igreja como instituição que zela pela moral e bons costumes dos seus crentes.

Turn off (2)

Novamente em jeito de memorando


Linda, fofinha, querida, queridinha e semelhantes. O meu nome é Inês.

Beijinho doce, beijinho fofinho, lindinho, queridinho, docinho. Beijo ou beijinhos e respectivas abreviações são suficientes.

Turn off (1)

Tendo como base o este post, vou só aqui alinhavar umas ideias sobre o meu turn off, em jeito de memorando, não vá qualquer dia o diabo tecê-las.

Programas de apanhados e semelhantes.
Novelas da tvi.
Karaokes.

Qualquer um destes pontos vale no todo.

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Sonhos

Esta noite num só sonho juntei bodes aos saltos de contentamento e o meu ex.
Isto não foi um sonho, foi um pesadelo.
Qual a relação entre isto??

O que as mulheres querem

Uma das coisas que as mulheres invejam nos homens é o fazer xixi de pé. É simples, prático e não exige as acrobacias que nós temos que fazer quando fazemos xixi em casas de banho públicas.

Mas esta semana, numa farmácia descobri que alguém ouviu as nossas preces, teve em conta a dificuldade que é fazer xixi de forma acrobática, e encontrou uma maneira de nós fazermos xixi em pé.
Sim....nós agora podemos fazer xixi em pé, tal como os homens de maneira aparentemente simples, prática e eficaz.

Como é que podemos fazer isso??
Usando um dispositivo chamado P-mate, o da fotografia aqui em baixo.
E mais um passo foi dado na igualdade entre homens e mulheres...



terça-feira, fevereiro 19, 2013

Sobre Relvas

Então o Miguel Relvas foi apupado e ia ficando cercado no ISCTE?? Teve que fugir rodeado de seguranças e não discursou??
Oh que chatice...estou cheia de pena...

segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Perguntas

Alguém me sabe explicar o que isto do Harlem Shake?
Qual é a função??
Para mim esta malta anda fugida do manicómio...


Citado por

"Eu, rodeado de silêncio, disse-lhe que não havia palavras que me pertencessem. Perguntou-me o que é que eu escrevia. Respondi-lhe que me escrevia a mim. Escrevo-me. Escrevo o que existo, onde sinto, todos os lugares onde sinto. E o que sinto é o que existo e o que sou. Escrevo-me nas palavras mais ridículas: amor, esperança, estrelas, e nas palavras mais belas: claridade, pureza, céu. Transformo-me todo em palavras."


- José Luís Peixoto, "Uma casa na escuridão"

Roubado com toda a lata, daqui....

domingo, fevereiro 17, 2013

Mudanças de fim-de-semana

Dia 1 (ontem):
E de repente resolvo mudar a minha mobília de quarto de sítio.
Esquematizo a coisa toda na minha cabeça e descubro que o cabo da tv é pequeno de mais e não chega precisamente onde eu quero.
Faz-se uma pausa na mudança, remedeia-se a situação e deixa-se a resolução para o dia seguinte (hoje).

Nos entretantos, quando me deito, descubro a estúpida falta em que a tv me faz no sitio previamente pensado e no ângulo a que eu quero (não é bom para a vista, mas é aquele a que estou habituada há muitos anos, uma vez que vai de encontro à posição em que adormeço.

Dia 2:
Tendo o sitio da televisão e o ângulo como base, resolvo mudar novamente a cama de sítio, pelo caminha muda-se o guarda vestidos de posição "porque ali não há muito espaço, aqui há mais espaço, mas depois fica aqui este espaço todo e eu não gosto de ver". Resumindo e concluindo volta-se à posição inicial tendo já um joelho negro.

Nos entretantos pensa-se em ir ver o feng-shui para os quartos. Eu não acredito em bruxas "mas que as há, há" e toca de ir ler sobre o assunto. Rapidamente se conclui que quem escreve sobre o feng-shui dos quartos é alguém que pensa na "harmonia do casal", em "subir a temperatura do casal", e nos solteiros nada, nicles.
Os solteiros pelos vistos não precisam de harmonia nem de subir a temperatura, mas adiante.
Após esquecer a harmonia do casal no feng-shuin e pensar na minha, concluo que a posição da cama deve estar relativamente dentro dos parâmetros do dito (feng shui), bem como tudo o resto. Agora resta-me encontrar mais um quadro ou dois, uma carpete para deixar o aposento mais "confortável".

sábado, fevereiro 16, 2013

Perfeito

Perfeito, perfeito seria eu ter um fundo de maneio transcendente que me permitisse pegar na mochila e ir por aí fora sem destino definido.

Conhecer novos lugares, novas pessoas, culturas, formas de vida. Poder conhecer o mundo.

Poder viver e libertar o meu espírito de aventura.

Levava comigo mapas, guias turísticos, as minhas músicas, livros e sim o computador para estar ligada ao mundo.

Ou então ficava-me só pela música e pelos livros.

Se conseguisse fazer isto seria concerteza uma pessoa mais feliz e realizada.

E seguia por aí guiada pela minha vontade e pelo meu instinto.






sexta-feira, fevereiro 15, 2013

Uma fotografia por dia (29)

Vou tentar fazer destes post's um hábito diário.


Entrada da barra de S. Martinho do Porto.

Cansaço

Mais do que tudo, sinto-me cansada de estar cansada.
Gostava de me conseguir abstrair do meu cansaço e de me focar em algo que fosse para além do meu cansaço, que não estivesse relacionado com o meu cansaço.

Preciso de ter um cansaço saudável.
De sentir um cansaço "saudável", estar saudavelmente cansada.



quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Hora do Vitinho (166)/Dia de S. Valentim (3)

Dia de S. Valentim (2)

"Nascemos todos com vontade de amar. Ser amado é secundário... Prejudica o amor que muitas vezes o antecede.
Um amor não pode pertencer a duas pessoas, por muito que o queiramos. Cada um tem o amor que tem, fora dele...
É esse afastamento que nos magoa, que nos põe doidos, sempre à procura do eco que não vem.
Os que vêm são bem-vindos, às vezes, mas não são os que queremos.
Quando somos honestos, ou estamos apaixonados, é apenas um que se pretende.
Tenho a certeza que não se pode ter o que se ama. Ser amado não corresponde jamais ao amor que temos, porque não nos pertence.
Por isso escrevemos romances - porque ninguém acredita neles, excepto quem os escreve.
Viver é outra coisa. Amar e ser amado distrai-nos irremediavelmente. O amor apouca-se e perde-se quando se dá aos dias e às pessoas. Traduz-se e deixa ser o que é. Só na solidão permanece...
O amor é fodido. Hei-de acreditar sempre nisto. Onde quer que haja amor, ele acabará, mais tarde ou mais cedo por ser fodido. É melhor que morrer. Há coisas como o álcool e os livros, que continuam boas. A morte é mais aborrecida. Por que é que fodemos o amor? Porque não resistimos. É do mal que nos faz. 
Parece estar mesmo a pedir. De resto, ninguém suporta viver um amor que não esteja pelo menos parcialmente fodido. Tem de haver escombros. Tem de haver esperança. Tem de haver progresso para pior e desejo de regresso a um tempo mais feliz. Um amor só um bocado fodido pode ser a coisa mais bonita do mundo.
E por que é que fodemos o amor? Porque não resistimos. É do mal que nos faz. Parece estar mesmo a pedir.
Porque é que conseguimos foder com quem não amamos? Não haverá aqui qualquer coisa de errado? Pensamos que o amor fica resguardado, mas a verdade é que [ele] vai-se fodendo à medida que se fode. 
Quando se perde um homem, há outro igual ao virar da esquina. Quando se perde uma mulher, é uma vida. Os amigos arranjam-se e as mulheres também, mas as mulheres ninguém sabe como é. As mulheres sabem. Os homens pensam. As mulheres pensam que sabem. Os homens sabem que não sabem. Mas são as mulheres que acabam por ter razão.A vida é simples e fácil de perder. Mas o amor é fodido. E gostei de fodê-lo contigo."

Miguel Esteves Cardoso - O amor é fodido

Dia de São Valentim (1)

Uma história tornada em anúncio que me deixou derretida e com um sorriso nos lábios.


quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Vitamina P

Vitamina P como me disseram, ou psicoterapia...
Voltar a fazer um exorcismo dos meus "demónios" e das coisas ruins para voltar a viver como deve ser...

Já o fiz e fez-me bem...é certo que caiem umas quantas lágrimas, mas passado algum tempo volta-se a sentir um alívio, uma leveza. Voltamos a sermos nós mesmos, a sentirmo-nos nós, a ter mais qualidade de vida assim por dizer.

segunda-feira, fevereiro 11, 2013

Guilty pleasure

Ai Justino.....tiravas-me o tino!! Até esqueço a meia branca à Michael Jackson!! Mais a sério....para não variar uma música que fica no ouvido logo na primeira vez que se ouve.

 

domingo, fevereiro 10, 2013

.........................

Eu entendo que existem prioridades na vida. Que as pessoas que encontramos não sejam forçosamente nossos amigos.
Eu entendo que hajam prioridades na nossa vida, e que nada é garantido, que tudo pode entrar em colapso. Eu entendo que não devemos ser pretensiosos ou incapazes, mas preservarmos o que é censurável. Devemos reflectir sobre o que é importante até chegarmos ao ponto em que por vezes choramos. 
Eu sou responsável pelas coisas de que sou ciente e de que tenho consciência. 
Assim, sei a quem dou a minha confiança.

Eu entendo que não é bom causar danos a outras pessoas, que os arrependimentos não são uteis quando a morte chega. 
Que cada segundo é um crédito removido da nossa vida. 
Eu entendo que paciência, coragem e vontade não chegamos a lado nenhum, que não deve confiar na aparência ou na grandeza. 
Porque eu percebi que o realmente importante encontra-se no coração.




Roubado do facebook de uma amiga minha, original em Francês aqui.

(Penso que a tradução não está muito mal)...




sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Garantia

Garanto que a pior coisa que existe para mim enquanto durmo é falar.
Com os sonhos demasiado realistas passo em bem, bem como com poucas horas de sono. Isso e sentir o cérebro a trabalhar acabam por ser males menores quando comparados com o facto de eu falar enquanto durmo, de acordar com a minha voz e de continuar a falar de olhos abertos mas a dormir. Aconteceu-me esta noite e na noite que passou. E garanto que não é bom nem bonito.

E não desenvolvo conversas de "café". Ralho enquanto durmo, resmungo, grito.
Vamos ver como esta noite corre...

quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Declarações

Sobre a declarações de Fernando Ulrich tenho a dizer meia duzia de palavras:
Deploráveis,
Insultuosas,
Incoerentes,
Desrespeitáveis,
Inconcebíveis;
Inconsequentes.

E um pedido de desculpas não é uma exigência, é o necessário. Tanto para os sem-abrigo, como para nós os que aguentamos a austeridade e que não têm um ordenado médio mensal de 60 mil euros.



Eu faço tudo pelo amor

"I would do anything for love, but I won't do that".
Quem o diz é o M&M vermelho...

Será que fazemos mesmo tudo por amor????
 

Uma fotografia por dia (28)


terça-feira, fevereiro 05, 2013

Pinta

Considero que me sei auto-avaliar minimamente bem.
Isto por um motivo simples: existem pessoas que tendem a dizer que não simpatizavam muito comigo, assim ou assado. Basicamente que não iam com a minha cara, trocando a coisa por miúdos.
E eu sou a primeira a concordar com essas ilações, pelo simples facto de saber que tenho uma postura um tanto ou quanto arrogante, um nariz arrebitado que ajuda a compôr o "boneco", e até um tom de voz que pode irritar uns quantos.

E quando se sabe e se admite que se é assim, provavelmente até se tem benefícios  Afastam-se os indesejáveis, os "desejáveis" conseguem descortinar debaixo da pinta. Quanto ao resto, admito que não sou "mau diabo", a pinta pretende dar mesmo essa pinta.

Ora bem...

A origem deles não sei de onde vem. Se vem de algumas partículas da água ou atmosfera, não faço mesmo ideia.

Sei apenas que elas andam por aí e arrisco-me a dizer que o seu número vai aumentando (tanto os filhos como as filhas).

Sobre eles e elas, o que eu sei é isto....





segunda-feira, fevereiro 04, 2013

Foi bom

Descobrir que apesar de terem passados alguns anos e de termos seguido rumos diferentes na vida, que as conversam fluem com a mesma naturalidade de quem se encontrava todos os dias.

A isto atrevo-me a chamar não só de amizade, mas também de cumplicidade.

sábado, fevereiro 02, 2013

Lamechices


Frase do livro mais lamechas e ternurento que li até hoje, uma espécie de história de Romeu e Julieta passada na Ex URSS na 2ª Guerra Mundial.

E tem outras quantas que fazem dizer ohhhhh.


sexta-feira, fevereiro 01, 2013

Confiança

Estou deveras contente com a nomeação um Secretário de Estado que foi administrador da extinta SLN.
De dia para dia estou mais confiante em que nos governa.


Mudam-se os tempos...

Mudam-se as vontades.
Estaremos perante uma nova revolução na moda???

Será que não existe a noção de ridiculo e de bom-senso em quem fez a produção e em quem se deixou fotografar.
Bem..é um polvo, é um alimento.
Acho que não caí muito na opinião de algumas pessoas, na minha não cai...





Ei-lo


E pronto o mês de Fevereiro chegou.

A época facebookiana lamechas por excelência
Toda queridinha, fofinha, docinha, amorosinha, apaixonadinha, adorávelzinha, e com muitos mais adejectivos terminados em inhos e inhas.

Pessoalmente tanta manifestação de afecto e seus derivados enjoa-me um bocado. Uma manifestação gosto, a segunda tolero, a terceira engulo. Depois da quarta confesso que fico enjoada.

Porque é que não optam pelos textos lindíssimos que existem? Por exemplo os do Miguel Esteves Cardoso, que a meu ver falam do amor como poucos? E como estes andam por aí muitos mais. São intensos, ternurentos mas não da forma delicodoce.
Eu ia ficar bem mais contente, e provavelmente menos enjoada.

Confesso que não entendo esta necessidade de se mostar ao mundo o amor, com coisa delicodoces, várias vezes por hora. Muitas vezes quando o abro o facebook dou por mim a dizer "Outra vez???"
O que é demais é moléstia. O os "inhos" para mim são a moléstia da moléstia.

© Brainstorming
Maira Gall