domingo, junho 30, 2013

Photo a day June (30)

Handwriting.


Photo a day June (29)

In my bag.

Protector solar, mesmo a jeito para o dia de amanhã.




Photo a day June (27)

Into the sun.



sábado, junho 29, 2013

Recomendação


Se gostam de leitura em condições, de começar a ler um livro e de descobrirem que têm que o ler sem parar, leiam a Filha do Papa. Genial, e faz juz a todas as espantosas críticas que tem recebido, bem como a estar no topo da literatura do New York Times.
Descobri a fantástica escrita de Luís Miguel Rocha "tarde", mas ainda perfeitamente a tempo de me tornar fã do escritor e da escrita. 
E sim, o resto dos seus livros também hão-de vir parar à minha estante.


sexta-feira, junho 28, 2013

Photo a day June (28)

Red.

Areal ainda vazio.




Photo a day June (26)

Empty.

Manga de vento.


Photo a day June (25)

Sharp.

Garanto que as pontas destes projectos de palmeiras estão bem afiadas, aguçadas, cortantes.


terça-feira, junho 25, 2013

E o que é bom....

Há quem diga que o que é bom é para se ver, eu digo que o que é bom não para se andar por aí a mostrar. é para se guardar.
E pronto.....isto porque entretanto começa o desfile no facebook e congéneres de corpos, corpinhos e corpanzões.
Eu pessoalmente dispenso de ver as miudezas do outros por ai. Há delas que causam pesadelos e assustam as pessoas.

Tenho a dizer

A partir do momento em que oiço que tanto a Claúdia Vieira, a Diana Chaves e Julia Pinheiro são sexys, afirmo que neste país só existem gajas boas. Gordas, magras, altas, baixas, é tudo sexy, é tudo podre de bom.
Só seu eu que acho, ou consideram que esta é versão século XXI da mulher gorda) Esse grande hit da Estudantina Universitária de Lisboa, que esteve no top Português???


segunda-feira, junho 24, 2013

Photo a day June (23)

Negative space.

Um coração de Viana a "girar". (Foi o que me ocorreu, porque não percebi bem a temática de hoje).


Photo a day June (23)

Last.

(The last time - Keane) 


Photo a day June (22)

Enjoying life.


46664

Nelson Mandela irá fazer falta. Falta à África do Sul, e falta ao mundo. Um exemplo de luta, que conseguiu unir um país, acalmar e adormecer ódios raciais. O maior exemplo de força, inteligência, sagacidade que existiu no mundo. Um grande espírito e uma grande Pessoa.
Madiba, irás fazer falta a todos

A propósito da super lua


sexta-feira, junho 21, 2013

Naquela coisa do ladrão que rouba a ladrão.

Confesso que já sentia falta de fazer este tipo de "desafios"/respostas/afirmações/constatações.
Posto isto e tendo como a máxima de que "ladrão que rouba a ladrão tem 100 anos de perdão", não me fiz de rogada. Assim, roubei o "questionário de afirmações" à Suricate. As "regras" são simples: colocar a bold todas as afirmações verdadeiras. E como me apetece entreter também vou as vou justificar.



Tenho menos de 1.65m.
Tenho uma cicatriz. (Na testa).
Gostava que o meu cabelo tivesse uma cor diferente. (Sim, gostava que fosse ruivo, porque quando era mai nova era ruivita).
Já pintei o cabelo. (De "ruivo") .
Tenho uma tatuagem.
Eu nunca usei suspensórios.
Um estranho já me disse que era bonito/a. (Já. Confesso que fiquei em modo de cara de parva).
Tenho mais de 2 piercings.
Tenho sardas.
Já jurei algo aos meus pais. (Prometi é sinónimo).
Já fugi de casa.
Eu tenho irmãos.
Quero ter filhos no futuro.
Tenho um emprego.
Já adormeci numa aula.
Faço quase sempre os trabalhos de casa. (Alguém tem que os fazer...as mulheres a dias devem estar pela hora da morte).
Já estive no quadro de honra da escola.
Já disse "LOL" durante uma conversa.
Ainda choro a ver filmes da Disney. (O Rei Leão deixa-me em modo "lágrima no canto do olho").
Já chorei de tanto rir. (E soube muito bem).
Já rasguei as calças em público. (Na "nálga").
Tenho uma doença de nascença.
Já tive que levar pontos. (Na testa).
Já parti um osso.
Já fiz uma cirurgia. (Duas ao estrabismo do olho esquerdo. Mas ficou direitinho direitinho. E bonitinho).
Já andei de avião. (Duas vezes: ida e volta).
Já fui a Itália.
Já fui à América. (EUA, em 1990).
Já fui ao México.
Já fui ao Japão.
Já fui à Suíça.
Já fui a África.
Já me perdi na minha própria cidade. (Na minha e em outras...cheguei a perder-me no Chiado a ir ter ao Cais do Sodré...o meu gps não estava calibrado, e disse para mim mesma: "olha perdi-me, mas hei-de ir ter à beira do tejo" E fui).
Já fui à rua de pijama. (Quantas e quantas vezes).
Dei um pontapé a um rapaz onde dói mesmo.
Estive num casino.
Gostava de jogar verdade ou consequência.
Já tive um acidente de carro.
Já fiz ski.
Já entrei numa peça de teatro. (No tempo em que havia oficina de expressão dramática, mas o público foi a turma e o professor). 
Já me sentei num telhado à noite. (E já andei em cima de um telhado também à noite).
Costumo pregar partidas às pessoas.
Já andei de táxi. (Umas boas vezes).
Já comi sushi.
Já tive um encontro às cegas. ( Não repetia, mas por ser às cegas soube bem. E meio às cegas também, são os que prefiro). 
Sinto falta de alguém neste momento.
Já beijei uma pessoa com mais 8 anos do que eu.
Já me divorciei.
Já gostei de alguém que não sentia o mesmo por mim. (That's the way life is....oh paixões platónicas)!!!
Já disse a alguém que o/a amava, quando não era verdade.
Já disse a alguém que o/a odiava quando na verdade o/a amava.
Já tive uma paixão por alguém do mesmo sexo.
Já me apaixonei por um/a professor/a.
Já me beijaram à chuva.
Já beijei um estranho. (E gostei).
Fiz algo que prometi não fazer. (Já fiz, e ficou feito. Não acredito no eu nunca.....) 
Já saí sem os meus pais saberem.
Já menti aos meus pais acerca do sítio onde estava (Acontece a todos).
Tenho um segredo que ninguém pode saber. (Por acaso tenho....) 
Já fiz batota. (E sou uma batoteira muito má)!!!
Copiei num teste. (Ossos do ofício, mas tremia que nem varas verdes).
Passei um semáforo vermelho. (E chumbei no exame de condução).
Já fui suspenso na escola.
Já testemunhei um crime.
Estive preso/a.
Já consumi álcool. (Confirma-se. Os tempos de adolescente, de jovem adulta, de estudante).
Bebo regularmente.
Já desmaiei de tanto beber.
Estive bêbado/a pelo menos uma vez nos últimos 6 meses. (Por acaso está mesmo a fazer 6 meses que passei o limite pela última vez)...
Já fumei ganza. (Já, mas tinha os meus troques para não ficar em modo desaustinado). 
Já tomei drogas fortes.
Consigo engolir 5 comprimidos de uma vez sem problemas.
Já me diagnosticaram uma depressão. (Sim, mas eu prefiro sistema nervoso alterado. E descobri recentemente que estava próxima do conceito de burn out ("esgotamento"/exaustão).
Tenho problemas de ansiedade diagnosticados.
Grito com os outros quando estou enervada. (Quando estou verdadeiramente com os "nerves", a minha voz sobe uns decibéis).
Tomo antidepressivos. ("Um anti-depressivo por dia e sei o bem que me fazia").
Sofro/sofri de anorexia ou bulimia.
Já me aleijei de propósito.
Já acordei a chorar
Tenho medo de morrer.
Odeio funerais (Acho que ninguém "normal" aprecia).
Já vi alguém morrer. (O meu avô há 11 anos).
Alguém que me era querido suicidou-se.
Já pensei em suicidar-me. (Admito que sim, mas também afirmo que foi a coisa mais parva que me passou pela mente, até porque eu gosto de viver).
Tenho pelo menos 5 CD’s. (Confirmo)
Tenho um iPod ou um mp3(MP3cor-de-rosa).
Sou obcecada por animes.
Já comprei alguma coisa pela Net. (Livrinhos na wook).
Canto bem.
Já roubei um tabuleiro de um restaurante de fast-food.
Eu vejo o noticiário. (Para mal dos meus pecados...e se me der na telha, depois faço zapping para os canais noticiosos).  
Não mato insectos.
Canto no duche. (Quem canta seus males espanta).
Já fingi estar doente para não ir à escola (como é que nunca me lembrei desta?!?).
Acedo à net pelo meu telemóvel (os smartphones são umas coisas demoníacas).
Ando no ginásio.
Sou fanático/a por desporto.
Cozinho bem.
Já fui de pijama para a escola.
Sou capaz de disparar uma arma.
Amo amar (A mim. Amo saber amar-me como pessoa, com tudo incluido: cabeça, tronco, membros).
Eu ja exkrevi axim.
Eu rio-me das minhas próprias piadas. (Confesso que me sei rir não tanto das piadas, mas das pérolas que por vezes digo...Sou daquelas que ao mesmo tempo que diz a asneira, está a dizer mentalmente "está calada"). 
Todas as semanas como fast-food.
Acredito em espíritos.
Já fui para um teste sem estudar e tive boa nota.
Sou muito sensível.
Adoro chocolate branco
Tenho o hábito de roer as unhas.
Sou bom/a a decorar nomes.
Associo músicas a pessoas/momentos. (Umas quantas, umas quantas).


Quem quiser fazer mais este é só levar! Eu gostei.

Photo a day June (21)

Lunch time.

De vez em quando "junk food" sabe bem como tudo.


Photo a day June (20)

Something cute.

O Shrek no Parque das Nações a dizer olá a quem passava.



Na psicoterapia

Hoje na psicoterapia: " Uma das coisas que noto sempre em si, é que tem vida, tem um olhar vivo".

Eu sou daqueles que acreditam que vale a pena viver e que viver vale a pena. Mesmo que não seja hoje, que não seja agora, já, daqui a pouco ou daqui a bocado. Mas vale a pena viver, mesmo que seja preciso "saber viver".  Vale a pena viver, saber viver e querer viver, pelo ontem, pelo hoje e pelo amanhã. Mesmo pelo agora, pelo momento vale a pena viver.

Por isso é que o meu olhar é vivo, os meus olhos falam e brilham. Porque eu gosto de viver, faço por saber viver e acredito piamente que o agora será depois, o hoje será amanhã, mesmo que a coisa não corra como esperado, como queremos ou ambicionamos.

Porque o viver tem dessas e de outras coisas: tem alegria e tristezas, risos e choros, mágoas e conquistas, dor e sabor, bons momentos e momentos menos bons, tem sal e açúcar, mel e limão. 
Viver tem substantivo, adjectivo e verbo. Frase simples e composta. 

E por tudo isto e muito mais, vale a pena viver e viver vale a pena. 
Ontem, hoje e amanhã (como a música).

E eu gosto disso e disto, de viver. 
Gosto e quero viver com tudo a que tenho direito, seja bom ou menos bom. É isso, a vida, o valer a pena viver, e querer saber viver que me fazem continuar.
E basta-me, por agora basta-me.



Chatice pá!!!!

Isto da democracia é uma chatice. O comum mortal tem Deveres, mas pasmem-se...O comum mortal também tem Direitos!!! Logo entre muitos outros, tem o Direito (e arrisco-me a dizer o Dever), de contestar. Ainda mais hoje, nos dias de hoje, nos dias que correm!!

Ninguém me deu à escolha os ministros que formam o governo nem os seus congéneres.
Também não me deram à escolha se queria cá a troika ou não.
Não escolhi a moeda que nos rege, nem as condições em que entrámos no "Euro". Também não escolhi a forma como nos ia ser feito a "assistência financeira", nem os juros, o montante do empréstimo, ou o tempo que este iria demorar a ser pago.

Vendo as coisas neste ponto de vista, nada nos é dado a escolher, apenas achamos que o fazemos. Nem os nossos representantes escolhemos como deve ser. Todos nos são impostos, ou "escolhemos" A ou B. Hipóteses X, Y e Z não constam nas escolhas. Porque não existem. Tudo nos é imposto. Os partidos escolhem por nós, e o comum mortal limita-se a "escolher" entre a porta 1, 2 ou 3.

Lá por não "escolher" quem me "governa" nem opinar a forma como o faz, isso não pressupõe de forma alguma que eu (e todos), não exerça o meu Direito de contestar. 
Tudo.
Seja lá o que for.
Mesmo sobre uma vírgula ou acento mal colocado.

Porque Nós temos o Direito e o Dever de Contestar. 

quinta-feira, junho 20, 2013

Os vinte centavos

No Brasil, a manifestação não é pelo aumento de 20 centavos nos transportes públicos.
Os 20 centavos foram o gatilho para incendiar um país, que apesar tem muitas carências económicas e sociais, que tem violência, que não é seguro. 
Caramba, estão-se a gastar milhões e milhões de euros e estádios e infra-estruturas, apenas para "Inglês ver", como um país é capaz de realizar o melhor Mundial de sempre e uns Jogos Olímpicos de "tira o pé do chão" (como diz a música). 
Os Brasileiros nunca vão ver o retorno do investimento feito, a grande parte vai para os cofres das respectivas comissões organizadoras, são investimentos que não vão trazer qualquer lucro (o Euro 2004 trouxe-nos alguma coisa de proveitoso??? O "orgulho nacional" no futebol não conta.). Os Brasileiros pedem que hajam investimentos, mas que estes sejam palpáveis, que tragam um verdadeiro retorno económico e social, que não seja mascarada a dura realidade do país. Caramba, existem investimentos mais urgentes e mais importantes do que estádios e semelhantes.
E são muitas, mesmo muitas as pessoas que são da total opinião do que "diz" este vídeo.
Contra estes factos como é que arranjam argumentos??

quarta-feira, junho 19, 2013

Photo a day June (19)

Currently reading.


Photo a day June (18)

Street.


Photo a day June (17)

Centred.

A intenção era que as sombras ficassem centradas...


terça-feira, junho 18, 2013

Fosse cá

Se esta manifestação fosse feita em Portugal, parece-me que os manifestantes seriam na sua maioria barrigudos e com bigode.



(E não, não tenho nada contra a profissão e contra os profissionais. Mas não resisti a fazer a piada....foi mais forte do que eu).

segunda-feira, junho 17, 2013

Fortalecer amizades

Para fortalecer amizades, façam sexo.
Está cientificamente provado que o sexo fortalece as amizades.

Estou apenas a questionar-me como fazem este tipo de estudos....
Será que são feitos in loco e in momentum???? 

Ali.....

Ali no facebook há uma página que eu considero genial chamada Fakebook dos escritores. Espreitem que vale a pena. 
Da minha parte, parti-me a rir com esta actualização de estado do Carlos Eduardo.




Sobre a greve

Não me venham com ilusões sobre que a maioria dos alunos realizaram o exame nacional de Português. Nessa eu não caio. Nem nessa estatística nem em nenhuma que seja dada pelo "governo". Aliás, entendo bem as razões da greve e não conheço nenhum professor que seja a favor das 40 horas lectivas, nem que vá na conversa de Nuno Crato. Nem eu vou na conversa, quanto mais os professores.

E nem esperava que a data do exame nacional fosse alterada. Primeiro porque o exame já está calendarizado há muito tempo (e os restantes também), segundo porque o governo não cedia de maneira alguma ao "capricho" dos sindicatos para que a greve fosse alterada.

Mas confesso que se fosse aluna do secundário e me visse impedida de realizar o meu exame de Português, não iria achar a menor graça à coisa. Pois que foi remarcado, pois que existe segunda fase (no meu tempo existia 1ª e 2ª chamada na primeira fase), mas pois que existiram muitos miúdos a preparem-se para o dito, que esquematizaram os estudos para os exames nacionais e que por estas entidades não cederem nem de um lado nem do outro, se lixaram à grande.

Essa é que é essa.

70% dos alunos realizaram o exame???
(Exames irregulares não contam como exames nem aqui, nem na China. Só prejudica os alunos e descredibiliza ainda mais o "governo").

domingo, junho 16, 2013

Photo a day June (16)

Family.


Photo a day June (15)

From above.

Photo a day June (14)

Texture.


quinta-feira, junho 13, 2013

Gosto disto (14)

Aos 125 anos de Fernando Pessoa.


Photo a day June (13)

Kitchen.

Tenho esta relíquia.

Photo a day June (12)

11 o'clock.

Diz-se que hoje esteve assim.



Photo a day June (11)

Something funny.

Adoro esta música, é das coisas mais engraçadas que já ouvi.



Da "justiça"

Em Portugal existe "Justiça" e (IN)justiça.
Enquanto que a "Justiça" não é, nem nunca será feita (são tantos os casos, que fico-me "somente" pelo BPN e pelo face oculta, bem como pela "absolvição" dos arquidos do Tagus Park), já a (IN)justiça é feita de forma célere. Neste país é cada vez mais proibido alcunhar-se o PR de palhaço ou dizer "Vai trabalhar, mas é! Sinto-me roubado todos os dias". Estou a perguntar-me quando chegarão à nossa porta os senhores do lápis azul e os bufos.
Para além de nos quererem vender como mercadoria, vê-se que nos querem silenciar, que nos querem burros e calados.




terça-feira, junho 11, 2013

Revisão (2)

E no seguimento disto, a vontade que tenho é de dar um murro na mesa e dizer, basta, chega.
Caramba....estou farta de ter e de ver a minha vida em pausa, interrompida, anulada.
Sou uma pessoa igual às outras, acima de tudo isso.

Revisão (1)

Quando olhamos para trás, e fazemos a revisão do que fomos e do que fizemos o mais importante é olharmos para trás, vermos, sabermos e sentirmos que valeu a pena. Porque valeu a pena, e vale a pena. 
E assim que penso e que tento fazer: com que valha a pena. Para os outros e para mim. Sempre.


segunda-feira, junho 10, 2013

Photo a day June (10)

You

E hoje

E hoje, Dia de Portugal, tentam vender o meu país por uns trocos, de maneira descarada ao Brasil.
Sinto-me triste por saber que valho somente uns tostões, que as nossas melhores empresas, as que dão lucro vão ser vendidas como se vendem camisolas descoleccionadas nos saldos: leve 2 e pague 1. Por favor leve, por favor compre, nem que seja por um tostão furado.

Caramba....no Dia de Portugal descubro e constato que valho apenas uns trocos, que valemos meia dúzia de euros, que mais que em saldos estamos a ser vendidos sem lucro. 
Só falta venderem a nossa nacionalidade e identidade. A língua já está praticamente vendida...ao Brasil.

Porra....fico triste.

A bipolaridade do São Pedro

Eu alinho na teoria de que o São Pedro é bipolar.
E saliento que o São Pedro está a oscilar rapidamente entre a depressão e a mania. 
Só se assim se justificam as mudanças bruscas de tempo.
Arrisco-me ainda a dizer que o São Pedro vai ter entretanto um surto psicótico.

domingo, junho 09, 2013

Photo a day June (2)

A moment

Caracóis comidos esta semana...souberam que nem ginjas!!!



Photo a day June (9)

From down low
Casa dos Bicos/Fundação José Saramago

Photo a day June (8)

Animal



Photo a day June (7)

Bright
Museu da cidade em Lisboa

Omeletes

Vou fazer uma omelete para o jantar.
A ver vamos se não acaba numa espécie de ovo mexido com qualquer coisa...por norma é o que acontece. Começo a enrolar a dita, e pronto...esbardalha-se tudo, e eu acabo por mal dizer a minha sorte na arte de fazer e enrolar omeletes.

sábado, junho 08, 2013

Estupidez

Sinto-me tão estúpida como o tempo!!!
Parva, cinzenta, esquisita.
Basicamente, estúpida...


sexta-feira, junho 07, 2013

Espécie de tratamento de choque

"Bom" sinal é eu entrar na psiquiatria, olhar o espaço, as pessoas e dizer a mim mesma que nem ali ou em local semelhante àquele me apanham como paciente/utente/doente.

A unica excepção seria colocarem-me num colete de forças e amarrarem-me.
Caramba.....fico doente só de ver miúdos por lá, pessoas da minha idade. A minha vontade de viver e de me manter como pessoa com identidade muito própria é muito grande...
Basicamente, sou teimosa que nem uma mula.

quinta-feira, junho 06, 2013

Incrível

Let's all do something incredible
Make it happen when we come together
Just stay and hear - it's so wonderful

Incredible!

(E o incrível é que a "coisa" incrível pode ser algo insignificante, e daí tornar-se incrível).


Photo a day June (6)

Transport


Photo a day June (5)

Environment


Bom de ouvir

Será este o ano de boa música "dançável"?
Daquela leve, boa de ouvir, que ajude a descontrair?



Irrita-me a coisa do "doente"

Nesta coisa da doença mental/psiquiátrica, se há coisa que me irrita solenemente é o "doente" e o "doentinho". 
Tanto dizer-se que X é doente, como Z afirmar que o é. 
O "doente" e o "doentinho", estas duas palavras vêm "apenas" aumentar os estigmas e os rótulos. E o pior é que há quem goste, quem os queira. Quem use o "doente" como uma forma de vida, como desculpa, como justificação.


Arrisco-me a dizer que fico "doente", pelo uso quase corriqueiro e normal do "doente".

quarta-feira, junho 05, 2013

Gosto disto (13)

Viajar? Para viajar basta existir. Vou de dia para dia, como de estação para estação, no comboio do meu corpo, ou do meu destino, debruçado sobre as ruas e as praças, sobre os gestos e os rostos, sempre iguais e sempre diferentes, como, afinal, as paisagens são.

Se imagino, vejo. Que mais faço eu se viajo? Só a fraqueza extrema da imaginação justifica que se tenha que deslocar para sentir.
«Qualquer estrada, esta mesma estrada de Entepfuhl, te levará até ao fim do mundo.» Mas o fim do mundo, desde que o mundo se consumou dando-lhe a volta, é o mesmo Entepfuhl de onde se partiu. Na realidade, o fim do mundo, como o princípio, é o nosso conceito do mundo. É em nós que as paisagens têm paisagem. Por isso, se as imagino, as crio; se as crio, são; se são, vejo-as como às outras. Para quê viajar? Em Madrid, em Berlim, na Pérsia, na China, nos Pólos ambos, onde estaria eu senão em mim mesmo, e no tipo e género das minhas sensações?
A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos.

Fernando Pessoa - O Livro do Desassossego

"Parabéns"

Pelos 2 anos de "governo".


Juro que não tenho memória de ver tanta, mas tanta, tanta mentira junta, tanta falsa promessa como neste governo. 




Photo a day June (4)

After the dark...
Vem a luz, vem sempre a luz, há-de vir sempre a luz.


Photo a day June (3)

On my table

Uma garrafa "enrolada" em corda.

terça-feira, junho 04, 2013

Hoje

E pronto, vou alinhar o meu sistema e a minha direcção.

Vou colocar os chakras no sítio, equilibrar o yin e o yang.

E sim, admito que me sinto com menos uma tonelada em cima de mim, e agradeço a quem me "deu" estes dias de "férias".

E admito que sim. Que a psiquiatra que me viu nas urgências tinha toda a razão quando me disse que estava em "burnout". Esgotada, exausta mentalmente. Nem mais e nem menos.  

(Mesmo que tenha que ir a Santa Maria duas vezes por semana, afianço que precisava "deste descanso").


segunda-feira, junho 03, 2013

Emissão

Depois de ontem ter feito quilómetros, ter um par de olhos perturbadores, perturbados e doentes em cima de mim em Santa Maria, de ter dormido duas horas nas cadeiras do Hospital de Leiria, de dizer a mim mesma que a minha preservação vai ter que passar de uma vez por todas, de ter chegado a casa às 12 horas, de sair de casa às 15 horas, voltar às 16 horas e 30 minutos e saber que a ambulância foi chamada novamente, e por aí adiante, sem saber se amanhã ou ainda hoje terei "mais uma voltinha, mais uma viagem", digo que volto amanhã.
Agora vou preparar-me para cravar jantar, tomar um banho, e descansar.
A despropósito, cortei o cabelo. Eu, os meus nódulos e a depressão precisámos de um mimo. E ficou bem giro, como queríamos.

sábado, junho 01, 2013

Photo a day June (1)

B is for....
Boneca. Uma boneca porta-chaves, chamada Inês, trazida pelo meu pai do Brasil.


Catalisador

Juntar-se mãe, desemprego, sensação de inutilidade, nódulos nas mamas que têm que ser tirados, a necessidade de ser egoísta e de me preocupar comigo mesma, de caramba ter que pensar em mim, está a fazer com que accione em mim o mecanismo do reprimir tudo e mais alguma coisa.

Manda cá para fora...isso queria eu...fosse assim tão fácil de fazer como é de dizer...

Preciso de um catalisador para que mande tudo isto cá para fora e que me deixe mais aliviada, mais leve, mais eu.
Preciso de chorar e não sou capaz, e quando se junta isto a este tipo de depressão, é quase como se fosse o fim do mundo...
Caramba, parece que me sinto uma bomba relógio....(e sim tomo a medicação, e não não quero pensar que tenha que ser aumentada, porque não quero que seja).
Porra, preciso de encontrar um catalisador, algo que despolete tudo e me faça mandar tudo cá para fora...

Photo a day June

Que dizer???
Gosto do "desafio". 
© Brainstorming
Maira Gall