quarta-feira, julho 31, 2013

Mais vale tarde...



"Em relação à frase que me foi atribuída na reportagem da revista do Expresso do passado fim de semana, intitulada 'Como se vive no refúgio das elites', gostava de esclarecer que, não obstante considerar que se verificou um inapropriado e descontextualizado aproveitamento das minhas declarações, não posso deixar de admitir que fui infeliz na forma como me expressei.
Não penso o que saiu publicado no Expresso, nem me revejo na síntese da declaração que lá vem feita. Por isso peço desculpa a todos a quem ofendi inadvertidamente."
Retirado daqui.

Mal seria não admitir a infelicidade da declaração que fez na entrevista.
Contudo nestas coisas das reportagens, há que pensar não duas vezes, mas meia dúzia de vezes antes de dizer seja o que for, (a Isabel Jonet foi outro caso).
 E isto tanto é válido para as grandes familias Portuguesas, como para pessoas como a Lili Caneças e semelhantes.

4 comentários


  1. Não li a dita reportagem e estou (como sempre) por fora das futriquices de quem disse o quê... a quem... e onde... e como... e porquê... (ok, já chega!) lol
    Mas sei que conversas e declarações descontextualizadas na comunicação social "é mato"!

    Claro que estas pessoas são mediáticas, há muita gente a querer vender jornais e revistas à custa da curiosidade alheia... mas posso dizer-te que eu, mesmo sendo uma cidadã anónima, já vi as minhas palavras deturpadas num jornal aqui da cidade. Se toda a gente viesse à praça pública rectificar o que disse em relação ao que foi publicado, todas as edições impressas precisavam de um "take 2", ou melhor, um "print 2" com as rectificações.


    Beijinhos... take 354968111...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já se sabe que Jornalistas quando apanham "furos" destes não hesitam em dar o devido destaque à coisa. Mas caiu mal nas pessoas, nos pobres...O jornalismo tem esta faceta mais triste, mas pessoas que tinham mediatismo seja onde for, devem ponderar e muito no que diz e como o faz.
      A reportagem é esta: http://inesesp.blogspot.pt/2013/07/caturreira.html

      Eliminar
  2. O jornalismo tem de facto deixado muito a desejar nos últimos anos mas a culpa não é só da classe. Hoje em dia o que vende são os cabeçalhos chocantes (quanto mais melhor)e o "esmiuçar" da vida alheia... acho que a origem do problema é a própria sociedade :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente. Tão culpado é a forma como o jornalismo é feito, bem como as pessoas que se põem a jeito.

      Eliminar

© Brainstorming
Maira Gall