Paulo, Paulo

quarta-feira, julho 03, 2013

Quem estiver minimamente atento à "política" no nosso país, sabe de antemão que PP não era pessoa nem político para ser menosprezado. Nem aqui, nem na China. Não se menosprezam políticos e muito menos PP.

Posto isto, o acontecido não me espanta mesmo nada. Aliás, confesso que já estava à espera que o aconteceu ontem acontecesse. 
O que me espanta, e que me irrita, é o facto de ser um bater de porta estrondoso demais. Ora bem, PP era ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros. Além disso como líder do outro partido da coligação tinha pelo menos que ter falado com os restantes órgãos máximos do partido a anunciar a decisão. E além disso tinha que ter mostrado algum respeito para com os 10 milhões de Portugueses e bater com a porta uns dias depois da senhora REFER ser empossada ministra, depois do dia 15, quando ele iria apresentar a guião da reforma administrativa do Estado. Ter preparado o caminho e as pessoas.
Tão simples quanto isto, agir como um político responsável e pôr em uso a sagacidade e a audácia que lhe são conhecidos. Iria fazer o mesmo estrago, ou talvez mais, e sairia com uma imagem mais limpa do que a que tem hoje.

You Might Also Like

1 comentários