As minhas pós autárquicas

terça-feira, outubro 01, 2013

Quando se vive numa terra pequena, e essa terra é uma twilight zone em termos de mentalidade eu tomei uma decisão arriscada quando fui para a lista do PSD. Não que esteja contente com a governação (muito pelo contrário). Mas quando pomos a "coisa" a nível local, tendemos a olhar para as pessoas, para os projectos e ideias. E foi o que eu fiz, e mesmo com uma derrota enorme, não me arrependo da decisão que tomei (e bem ponderada foi). Nas semanas que estive em campanha, tive aprendizagens que me enriqueceram como pessoa, conheci pessoas de quem gostei e que gostaram de mim genuinamente. Por ter sido uma "aquisição à oposição", tive algum receio no início, aquele receio normal que rapidamente se desvaneceu.


Apesar da derrota, passei dias de campanha onde fui acolhida como não seria em nenhum outro lado. E quando somos acolhidos e tratados como família e parte integrante desde o inicio, a derrota custa menos a digerir, e consegue-se olhar para o futuro com um sorriso no rosto. Fica também saber que o dever foi cumprido, e acima de tudo não fica qualquer arrependimento pela decisão tomada, principalmente para alguém como eu que vive num local onde não existe abertura de pensamento no século XXI. É tudo isso que me vai fazer continuar a acreditar e a defender não só o projecto que foi criado, mas todas as pessoas que tive o prazer de conhecer e que me acolheram tão bem. Acrescento ainda que estes dias fizeram vir ao de cima uma característica minha que para muitos estava escondida

Por me ter tornado numa "vira-casacas" para alguns (Vejam a palavras democracia e liberdade de expressão no dicionário e aprendam o seu significado), vi, ouvi e apercebi-me do quanto as pessoas conseguem ser baixas e reles nestas coisas. Vi o quanto baixo conseguem jogar, basicamente a forma mais baixa de fazer política que existe, aquela que afastou as pessoas da decisão de votar neste Domingo. 

Mas não me arrependo de forma alguma da decisão, e não viro de forma alguma as costas a desafio. E depois existem derrotas que apesar de tudo nos fazem sorrir e querer lutar, defender e acreditar ainda mais.

Em suma, gostei disto, e gosto disto.

You Might Also Like

0 comentários