terça-feira, dezembro 22, 2015

Bem sei que é Natal

Bem sei que é Natal mas......

Alguém que relembre os funcionários da saúde o raio dos juramentos que fazem. E pelo caminho, que os relembrem que não há dinheiro nenhum que justifique esta acção. Caramba, não se deixam morrer pessoas por causa de horários a cumprir e de honorários que deveriam receber e não recebem da parte do estado.

Eu não percebo muito de leis, mas parece-me que isto é um caso da mais baixa negligência médica. E como assim parece ser, acho muito bem que rolem todas as cabeças devidas. E espero também que a família seja compensada financeiramente (nada traz a vida do David de volta, é bem verdade), e também espero, desejo mesmo que a Ordem dos Médicos faça o que lhes compete e a dos Enfermeiros façam o que lhes compete: suspender este gente toda e posteriormente lhes tire as licenças que lhes permitem serem funcionários da nossa saúde. E que haja justiça, e esta seja feita.

Mas estamos nós com situações destas. Mal estamos nós.....

sábado, dezembro 05, 2015

Living in America

Se no meu país o uso e posse de uma arma fosse tão normal como ir à farmácia comprar uma caixa de paracetamol, tenho a certeza de que não iria viver e dormir mais descansada. Muito pelo contrário. Tenho a certeza de que iria ficar bastante apreensiva e preocupada por saber-me a viver num país onde o lobby das armas domina e predomina, onde ter uma arma e achar-se no direito de usar a mesma para se proteger a si e aos seus é perfeitamente normal. É que a mim, a mim iria aterrorizar saber que o meu vizinho do lado tem em casa um arsenal de armas, coisa que aos olhos da lei e do estado é perfeitamente normal e ainda encorajado.

Bem sei e sabemos que os EUA tem este estúpido culto e esta estúpida necessidade de mostrar o poder e de achar que só assim protegem os seus. É qualquer coisa que sobrou dos tempos do wild wild west, vem consagrada na constituição e se junta com a mania de que são os polícias do mundo e com um qualquer complexo que não consigo descrever nem entender.
Que todos temos necessidade de proteger os nossos e a nós mesmos é perfeitamente compreensível. Mas o que não é compreensível por quem tem um pingo de bom-senso ou de juízo é achar que a protecção se faz apenas com o uso e posse de arma. E quanto mais e maior for tanto melhor.

E na mesma altura em que me interrogo em que ponto fica o limite entre a sanidade e a loucura para pessoas como esta "candidata" ao congresso dos EUA, admito que para muitos Norte-Americanos o maior acto de sanidade é este, o que para nós é a maior loucura.
Ouvi esta semana, que no ano de 2015 houveram cerca de 320 atentados nos Estados Unidos....quase um atentado por dia. E a resposta a este número não são políticas de restrição ao uso e posse de armas, são sim desejos de mais liberdade para o uso de uma arma.






quarta-feira, novembro 25, 2015

A privação

A privação da nicotina é diabólica.
O corpo ressente-se, a mente suplica.
A pessoa sim deprime, sim tem crises de ansiedade e sim tem dificuldades em dormir.

terça-feira, novembro 24, 2015

Dos ciclos da vida e porque são 35

Acredito que a vida é feita de ciclos. Que por cada ciclo que vivemos, tiramos dele aprendizagens e que os mesmos determinam o que somos como pessoas e como seres.
Este meu último ciclo, aquele dos 28 anos, foi quase que como uma descida ao inferno, um bater no fundo do poço, uma volta de 180º. Isto porque, ao invés de me nortear-me, desnorteei-me. Mas, até daí se tiram boas aprendizagens. Ao desnortear-me, aos poucos virei-me para mim, e conheci-me um pouco melhor como pessoa e como ser. Ao fazer esta introspecção, aprendi a filtrar o que quero e o que não quero, o que faz bem e o que faz mal, o que alimenta e o que prejudica. Fui aprendendo a viver com um e a conviver com o outro. E assim se passaram 7 anos, e se abriu a porta a um novo ciclo. E ainda bem, porque é tempo de seguir em frente, de ir pela estrada fora.



sábado, novembro 14, 2015

Importa que

Importa que não deixemos que a xenofobia, a intolerância e o ódio contra o outro nos tolde o discernimento e nos tire a razão. Quando começamos a sustentar o ódio, a violência e a xenofobia, tornamo-nos tão ignorantes e monstruosos como os outros.
E quando a semente de ódio é bem germinada, começa a crescer. Não a alimentem.





segunda-feira, novembro 09, 2015

Daqueles casos

Daqueles casos em que o remix é melhor que o original. Pelo menos para mim é.


Para (minha) memória futura

Aprender com os erros.
Crescer com os erros.
Apesar de não conseguir entender, aceitar as críticas que me foram feitas.
Assim, tornar-me-ei uma pessoa melhor.


terça-feira, outubro 27, 2015

Um pedacinho do meu dia

 O Canhão da Nazaré está a acordar.

quinta-feira, outubro 22, 2015

É simples, mas no entanto

É bastante simples: Cavaco Silva fez a meu ver o que é certo. Indigitou Passos Coelho conforme os resultados das eleições o mostram.
No entanto, e como estes cenários alternam entre um jogo de futebol e uma novela mexicana, o protagonismo e a bola estão novamente no PS. Nomeadamente nas mãos de António Costa e dos que são contra António Costa. Se vai haver disciplina de voto, e se ela vai ser cumprida por todos os deputados do PS.

E no entanto José Sócrates não fala, ainda não falou. E parece-me que José Sócrates vai ser um misto do anti-vilão e do jogador que sai do banco e faz uma jogada bestial, um remate incrível.

Simplesmente a bola passou para António Costa, mas no entanto Sócrates terá algo a dizer.

Disseminar

Cartoon de CARLOS LATUFF



Lançar lenha para a fogueira e responsabilizar uns desresponsabilizando o regime nazi de todos os males feitos é um acto de estupidez pura, que tem como objectivo disseminar o ódio contra os Árabes. 
E quando leio uma coisa destas, muito sinceramente penso que há por aí quem queira exterminar um povo com uma religião diferente, a bem da "Terra prometida".


 Tão cruéis foram os nazis, como cruel é o Estado Islâmico, e são cruéis todos os fundamentalistas religiosos.

Mas ler e ouvir estas declarações é de facto algo que me ultrapassa, pela maldade. Ninguém que tenha um pingo de bom-senso vai dizer uma monstruosidade no país que se disponibilizou para acolher milhares de refugiados árabes.


quarta-feira, outubro 21, 2015

E quando consigo abrir a alma

E quando consigo abrir a alma e falar da amargura e da mágoa que me toldam os sentimentos. Quando consigo finalmente explicar tal amargura e escuridão que me escurecem a vista, e que quase me substitui o coração por uma pedra.
Quando falo e vou tomando consciência do que digo, dos meus pensamentos, as lágrimas começam a cair. E caem as lágrimas da angústia pela escuridão que quer tomar posse de mim. Caem e eu penso e pergunto no que me estou a tornar, como permiti que o escuro me dominasse.

E depois diz-me a minha mãe, a minha mãe com as palavras de quem sabe e bem a filha que criou
"Tu tens um coração tão grande, apesar de tudo, da tua vida, do que tu viveste, tu tens um coração tão grande."

E eu choro devagarinho. E enquanto as lágrimas caem, a angústia e a amargura vão saindo juntamente com elas.


  

segunda-feira, outubro 19, 2015

Enfiei-me

Pergunto-me como é que deixei que a vida me fosse tornando na pessoa amarga que noto em que me estou a tornar....

Amarga e algo mesquinha....enfiei-me dentro de uma carapaça e parece-me que não consigo sair dela.

Tornou-se fácil ser amarga, é fácil sê-lo. Tão fácil sê-lo, que até dói. Basta juntar uma série de dias menos bons e que esses conjuguem com dias em que uma pessoa esteja mais em baixo e deixa-se fermentar.



quinta-feira, outubro 15, 2015

Bem conseguida

Não acho os DAMA nada de especial, pessoalmente não me cativam mas há que admitir que este dueto com o Gabriel o Pensador está muito bem conseguido. 
E mesmo não apreciando, ainda bem que há quem goste de quem canta em Português.

quarta-feira, outubro 14, 2015

#Horadovitinho208

Silence becomes it, uma das minhas companhias musicais na passagem para a idade adulta.

Passou-se

Passou-se o Setembro, Outubro está a passar e nada...não há uma data para a operação, nem sequer uma estimativa de quanto mais tempo pode demorar..... E quando uma pessoa telefona na semana passada para o Hospital a dizer que a porcaria de um tumor misto na parótida aumentou de tamanho e está a doer, para além de estar a afrontar os tecidos nervosos, a resposta que se houve é a típica
Não há salas, não há pessoal suficiente, há uma lista de espera, casos mais graves passam à frente (nem ponho isso em causa), e é perfeitamente normal que cresça porque é para crescer e como é benigno apesar da biópsia inconclusiva é assim que é tratado.

Esta semana telefona-se outra vez, e mais do mesmo, mas vamos falar com o director do serviço, mas já sabe que é assim, assado, cozido e grelhado. Tem que esperar, não é grave e não é maligno. Mandam esperar e nem dizem algo como "vamos chamar a sua mãe para novos exames, e averiguar o ponto de situação."

Amanhã irei falar com o nosso médico de família que pediu para falar comigo. E mesmo não querendo, a minha mente começa já a imaginar novamente o pior, porque praticamente de um dia para o outro, a minha mãe queixa-se de dores, mal engole e custa-lhe a respirar. E com estas dores vem outras que podem ser ou não devido à ansiedade que tudo isto lhe causa.

E deito-me para aqui a pensar em que serviço nacional de saúde é este, onde doentes benignos e menos graves são deixados para trás, e mais para trás, na cauda das listas de espera....

segunda-feira, outubro 12, 2015

E mesmo que assim seja

Já diz o ditado que "nas costas dos outros vemos as nossas". E mesmo que assim seja, porque assim o é, importa que sigamos o nosso caminho, mas atentos. Sempre atentos.

terça-feira, outubro 06, 2015

Consegui pôr no "papel"

E hoje, ao comentar o post da Maria em Palco, consegui pôr no papel, o que verdadeiramente me passa pela cabeça e penso sobre a questão dos refugiados.
Admito que me custa não conseguir explanar o meu ponto de vista verbalmente, como o faço através da escrita. Mas acontece que na escrita não tenho ninguém a dizer-me que não sei nada, mas essencialmente é isto:

O que já tive de discussões acerca do assunto é algo que sinceramente me ultrapassa.
E os argumentos que ouço nem são os "temos que ajudar os nossos", mas sim, que não podemos receber muçulmanos porque são maus, tratam mal as mulheres, são todos terroristas, andam com armas, explodem-se a eles, explodem crianças, explodem mulheres.
E não temos nada que receber porque somos católicos, e para virem para cá não podem andar da cabeça tapada, não podem fazer isto, aquilo e outro. Os Estados árabes não nos respeitam, temos que cumprir as regras deles nos países deles, (um estado árabe rege-se por leis que não são as nossas, e logicamante que no meu país as nossas leis e costumes têm que ser respeitados por quem cá entra, e ninguém põe isso em causa).
E perante estes argumentos que ouço, ponho-me para aqui a pensar onde está a solidariedade para com as Pessoas, onde é que ele ficou.
Estamos a falar de pessoas,independemente da religião e dos fanatismos que estão por detrás.
E fanatismos por fanatismos, também existem católicos fundamentalistas, oh se existem.
As coisas devem ser feitas com conta, peso e medida.
Não nego que é necessário um rigoroso controle sobre quem entra, é necessário o registo. Não quero terroristas islâmicos na Europa e no nosso país. Mas sou solidária, vejo pessoas, pessoas como nós mas com outra religião. Mas nem todos vêem as coisas deste ponto de vista, e eu muito sinceramente já nem canso em rebater fundamentalismos.


 

E entretanto....

E entretanto, ali para os lados do Largo do Rato é  este o estado de espírito....


segunda-feira, outubro 05, 2015

Retenções e reflexões

O que retenho dos resultados das eleições é bastante simples:
apesar de a coligação ter ganho as eleições, os resultados finais que foram mais os que deram o voto à esquerda, do que os que reforçaram a direita. E isto, na minha modesta opinião, não é mais do que uma demonstração do descontentamento das pessoas com os governos que tomaram conta do país ao longo dos tempos.
As pessoas estão descontentes, indignadas, fartas de serem humilhadas, assaltadas e enganadas. E se eu faço um esforço para perceber o que leva a que se vote em quem nos tirou tudo em nome "do vamos mais além do que a troika, e do enorme aumento de impostos", e entender esse voto, espero, (ou pelo menos gostaria de esperar), que percebam que nem todos os que votaram à esquerda querem ser totalmente radicais.
Desde os meus 18 anos, que optei sempre por votar em projectos em pessoas, o que a meu ver me dá uma certa tolerância e capacidade de ver além dos partidos, além da esquerda e da direita.
Ontem, o meu voto foi feito com a base de querer a nossa dignidade de volta, querer de volta o que me tiraram. Que tiraram a mim, aos meus, a quem me rodeia.


Querer a dignidade de um povo e de um país é pedir muito??
Querer dignidade é ser radical?
É ser reaccionário ou extremista?

sexta-feira, outubro 02, 2015

E porque amanhã é dia de reflexão



Eu ansiei pelos 18 anos para ir votar pela primeira vez. Havia quem ansiasse pelos 18 para ser maior de idade e ser independente, eu queria exercer o meu direito e o meu dever de votar. Ao longo dos anos, apenas uma vez e por motivos pessoais não votei,e desde sempre que vi no meu voto a hipótese de poder escolher entre A e B, entre este, aquele e o outro. O meu voto podia fazer a diferença, o meu voto era uma arma, o meu voto era a minha escolha.

E  dizendo era, hoje em 2015 digo que é: é a minha hipótese de fazer a diferença, a minha arma, a minha escolha.

Logicamente que hoje, o meu voto não é delineado pela simples escolha. É ponderado, é bem pensado, não é feito ao acaso. Não é um voto útil na sua habitual definição, mas é o Meu voto útil.
Os Nossos votos são úteis, independemente do partido (seja grande, pequenos, assim-assim, um movimento de civíco). Independentemente de ser um voto em branco ou nulo, é importante, é por demais importante, domingo irmos votar: exercer o nosso direito e o nosso dever como Cidadãos Portugueses.

Pessoalmente, fico triste em ter visto que esta campanha eleitoral em vez de nos elucidar nos quis estupidificar. São várias as ilações que tiro, ao lembrar-me do que li, ouvi e vi nesta campanha. Uma campanha que teve como objectivo estupidificar o eleitor, ao invés de o elucidar, a começar pelos debates e acabando nas reportagens. Porque mal, mal estamos nós quando nos apercebemos que os principais candidatos a PM estão mais interessados em lavar roupa suja e bater bocas, do que em esclarecer os seus potenciais votantes.

E mal, mal estamos nós quando no próximo domingo não formos votar.
Não serve de muito, não serve de nada queixarmo-nos de quem nos governa, quando não exercemos o direito ao voto. O voto é uma arma, e felizmente dispomos dessa arma.
Domingo, vão votar, exerçam esse direito e esse dever. Façam do voto, o Vosso voto útil. A elevada taxa de abstenção será sempre um sinal de vitória, e dará sempre a imagem de que somos um bando de acomodados....

Breve constatação sobre a infância

Nada me faz mais confusão do que entrar na casa de hamburgers e kebabs daqui da zona, e deparar-me como uma festa de aniversário infantil.

Oscilo sempre entre a perda de magia das festas de aniversários com tudo a que se tem direito, e entre esta infância já tão adulta que vou vendo no dia-a-dia.

Podemos voltar ao ponto em que as crianças eram crianças? Se calhar seriamos bem mais felizes.

terça-feira, setembro 29, 2015

#Hora do Vitinho 207

A guitarra...
A guitarra e esta voz, roçam a perfeição.

Prejudicações

O que se faz quando se é deliberadamente prejudicado, ou quando se sabe que existe quem ganhe anos de vida com os erros dos outros?

Eu, ignoro. Ignoro e opto por dar a importância que quem prejudica me merece. Ou seja, nenhuma.
Opto por filtrar o que é necessário, o resto opto por ignorar. Pelo menos esforço-me para isso.
Ignorar.




segunda-feira, setembro 28, 2015

Dos interregnos

Muita coisa haveria a dizer.
Enquanto olhava para esta página em branco, deambulava sobre os interregnos da vida. Sobre os que fazemos por nossa liver e espontânea vontade e sobre aqueles que somos "convidados" a fazer por um qualquer motivo.

Este interregno no Brainstorming (que me leva a deambular nos seus primórdios que foram os rascunhos), foi como se fosse um misto de ambos: tive vontade/necessidade de o fazer, mas também foi "convidada" a fazê-lo. Digamos que foi impossível transcrever uma décima parte da amálgama de ideias, encontrar o fio condutor que me permitisse passá-las para o teclado e para o écran do computador. Quando a mente fervilha de ideias e de sensações, de vontades, indecisões, de mais do mesmo, quando se deixa de se conseguir focar neste prazer que é debitar letras no teclado do computador, quando o prazer se torna quase uma obrigação, quando me vejo "empurrada" a falar do que os outros falam, os mesmos assuntos, as mesma opiniões, sem daí conseguir discorrer algo que seja meu, verdadeiramente meu, a pausa impôs-se. Teve que se impôr, porque deixou de ter qualquer sentido o meu brainstorming, os meus antigos rascunhos, passar a ser somente um canto onde mais uma entre muitos manda para o ar uns quantos bitaites, publica umas fotos, partilha umas músicas, umas notícias, uma novidade.

Nisto dos interregnos, e disto de debitar palavras no teclado, ou bem que se mantém e se recupera a essência, o que levou e leva a escrever, ou não vale a pena. É que isto de me ter sentido tentada a ir com a "carneirada", não tem qualquer lógica ou fundamento. Simplesmente não tem.

   

quarta-feira, setembro 16, 2015

A três semanas das eleições

A três semanas das eleições ainda não descobri de que forma vou fazer do meu voto um voto útil.

Contudo sei que não vou fazer do meu voto um voto inútil.

http://tellado.es/tierra-de-ratones-mouseland/

quinta-feira, setembro 10, 2015

Porreiro pá


Muito resumidamente: da sua vida pessoal e social cada faz o que bem quer e entende.
Mas se por um lado me parece que estando em prisão domicilária e sabendo que está no centro da campanha eleitoral, deveria ter algum bom-senso e não contribuir ainda mais para a desastabilização da mesma (ficando quieto, sossegado e guardando-se para depois das 20h do dia 4 anos), por outro lado estou à espera de ver José Sócrates com contas super activas no Instagram, no facebook e no twitter.

Isto é José Sócrates, sempre ávido de chamar a atenção e de ser falado. Ter estado omnipresente no debate de ontem não é suficiente. Sócrates quer mais, mais e mais e nós damos o que quer.

terça-feira, setembro 08, 2015

Há sempre alguém

Foi preciso noticiar que vamos receber pelo menos 1500 refugiados, para nessas redes sociais fora, começaram a bater com a mão no peito e a teclar indignadamente e com caps lock??
É que sinceramente fico um bocado estupidificada com os zeladores da moral e dos bons costumes que andam por essas redes sociais. Foi preciso saber-se que vamos receber milhares de refugiados para se olharem para o próprio umbigo e constatarem o nível de pobreza que existe em Portugal?

Devemos sempre ajudar os nossos, mas não devemos nunca, mas nunca virar costas a quem precisa de nós. E no meio dos zeladores, há alguém, que vira as costas a quem precisa de ajuda.
Vira costas ao sem-abrigo, ao desempregado, ao pobre, independemente de cor, da raça ou da religião. Vira as costas na rua, mas é o primeiro a enbandeirar em arco pelos pobres nessas redes sociais....

Acordem....não há nada mais feio do que a xenofobia encapotada.

sábado, setembro 05, 2015

Caminhando



Caminhante, são tuas pegadas
o caminho e nada mais;
caminhante, não há caminho,
se faz caminho ao andar
Ao andar se faz caminho
e ao voltar a vista atrás
se vê a senda que nunca
se há de voltar a pisar
Caminhante não há caminho
senão há marcas no mar…

António Machado
 
 
É talvez esta a forma mais fácil de dizer que por aqui estou, e que vou andando, caminhando, e com vontade de voltar a palmilhar por aqui.

Com assunto, ou sem assunto, a escrita (seja esta mais bem, ou mais mal feita), o debitar palavras fazem-me bem.



segunda-feira, julho 27, 2015

Sobre o monstro



"As for consent, he said, “I think that I’m a pretty decent reader of people and their emotions in these romantic sexual things.” If these women agreed to meet up, his deposition suggested, he felt that he
had a right to them."


(...)
“He took my roommate and me out to dinner. It was this new hip steak restaurant on the strip near the Whiskey a Go Go called Sneaky Pete’s. He was chatting her up and trying to charm her. And he reached across and put a pill next to my wineglass and said, ‘Here, this will make you feel better,’ and he gave her one. I wasn’t really thinking. My son had recently died. I thought, Great, me feel better? You bet. So I took the pill and washed it down with some red wine. And then he reached across and put another pill in my mouth and gave her one. Just after I took the second pill, my face was, like, face-in-plate syndrome, and I just said, ‘I wanna go home.’ He said he would drive us home. We went up this elevator. I sat down, and lay my head back, just fighting nausea. I looked around and he was sitting next to my roommate on the love seat with this very predatory look on his face. She was completely unconscious. I could hear the words in my head, but I couldn’t form words with my mouth, because I was so drugged out. He got up and came over, and he sat down and unzipped his fly. He had me give him oral sex, and then he stood me up, turned me over, did me doggy style, and walked out. Just as he got to the door, I said, ‘How do we get out of here, how do we get home?’ And he said, ‘Call a cab.’ ” —Victoria Valentino

(...)

“Bill had been a friend. I had had dinner with his wife on one or two different occasions, I had worked with him, I had known him for many, many years, and he never made a pass at me. So when this happened to me, I was really, really shocked. I just couldn’t understand what was wrong with him. Had he lost his mind? When I came out of the bathroom, he said to me, ‘Okay, come on, let’s go. They’re waiting for us.’ He was behaving like a person that I had never met before in my life.” —Kathy McKee

“At 17, my agent introduced me to Bill Cosby, who was going to mentor me and take me to the next level of my career. Over the course of the next year, I was drugged half the time when I was with him and would come out of a delusional experience going, ‘Whoa, what was that?’ He would say, ‘Well, I needed to undress you and wash your clothes because you got drunk and made a fool of yourself.’ Do you remember the Jaycee Dugard story? She pretty much could have climbed over the fence any time she wanted to but was just so broken down and couldn’t think straight. I felt like a prisoner; I felt I was kidnapped and hiding in plain sight. I could have walked down any street of Manhattan at any time and said, ‘I’m being raped and drugged by Bill Cosby,’ but who the hell would have believed me? Nobody, nobody. I was invited down to Atlantic City to see his show and had a very confusing night where I was completely drugged and my luggage was missing. When I called the concierge to find out where my luggage was, Cosby went ballistic. He slammed the phone down and said, ‘What the hell are you doing, letting the whole hotel know I have a 19-year-old girl in my hotel suite?’ The next morning, he summoned me down to his room and yelled at me that I needed to have discretion. He threw me down on the bed and he put his forearm under my throat. He straddled me, and he took his belt buckle off. The clanking of the belt buckle, I’ll never forget.” —Barbara Bowman
Quem ao longo de décadas drogou mulheres, para delas abusar e violar, não é nada menos do que um monstro. E Bill Cosby é um monstro. Se dúvidas houvessem estes testemunhos esclarecem-nas.
E os que dizem o contrário? Os que dizem o contrário, esses, são os que afirmam em alto e bom som
"De mini-saia e a provocar???? Estava mesmo a pedi-las!!!"
"Uma prostituta violada?? Estava a pedi-las!"

O Bill Cosby é um monstro, e o lugar dos monstros e junto de outros monstros do mesmo calibre.

segunda-feira, julho 20, 2015

Parte da sociedade repugna-me

"Porque a vida de um ser humano é muito mais importante que a de um caracol, não compreendemos como é que pode estar a correr uma campanha de sensibilização em relação ao molusco quando há tantas pessoas a serem assassinadas todos os dias."
Usar as palavras pessoas e assassinadas numa frase sobre a sensibilização contra o aborto, é no mínimo absurdo e completamente desprovido de bom-senso e de qualquer respeito pelo outro. Está nos antípodas do catolicismo (pelo menos daquele que me deram a conhecer).
Com que direito se acusa uma mulher de assassínio em situações limite como as que levam a fazer um aborto. Estas acusações e estas pseudo campanhas que têm como base a difamação da pessoa e a ofensa, mostram o quanto triste é ver miúdos, jovens adultos com um mentezinha tão pobre e tão tacanha. Mais que triste, é repugnante ver esta linha de pensamento em pleno século XXI, no meu país.

domingo, julho 19, 2015

E depois

E depois existem dias, aqueles dias, os dias em que a necessidade da solidão, de estar só, só com os meus pensamentos. De estar só, só comigo mesma, só a alinhar o pensamento, a alinhar as ideias, a alinhar o espírito, a tentar exorcizar o que me atromenta. Há dias em que a necessidade de estar só, a necessidade da solidão, se tornam tão essenciais como o primeiro café da manhã.





domingo, julho 05, 2015

Quase que me atrevo

Quase que me atrevo a intitular este post com a hastag somostodosgregos, mas não reconheço a solidariedade do Português nestes dias que correm...

Contudo, e sobre estes últimos dias nessa (des)união europeia, e sobre o referendo e todas as manobras de bastidores em seu redor (tanto antes, como o depois a partir de hoje), tenho sérias, sérias dúvidas de que a "UE" aceite as condições que vão ser impostas pela Grécia. Aliás.....arrisco-me a dizer que nenhum dos lados está interessado em que a Grécia se mantenha com a moeda única, e nenhum dos lados vai ceder, ou terá disposição para isso. Quem se prejudica.....quem se prejudica é o Zé.....sempre o Zé.....
Empresta Zé, paga Zé, cala-te Zé, obedece Zé, nós é que mandamos Zé.....e isto vale tanto para o Zé que vive na Grécia, como para o Zé Espanhol Italiano, ou para o Zé Tuga, Quem se lixa somos nós....nós que pagamos por bancos que vão à falência, por auto-estaradas,potenciais estudos para potenciais aeroportos e potenciais Tgv's estádios de futebol, EDP'S,PT'S REN'S,TAP'S, ANA'S. "Vamos mais além do que a Troika"....caramba....só em Portugal existe quem nos quis deixar mais magros do que as "instituições"....
Quem paga tudo isto somos nós, e se eu posso ter a culpa por ter caído no conto do vigário dos bancos, não tenho com toda a certeza a culpa de me terem obrigado a aceitar uma moeda que inflacionou o meu custo de vida para o dobro. E se nós não temos a culpa, os Gregos também não a terão.....
Se os governos Portugueses não nos alertaram para a inflação,se a banca não o fez, iriam os governos Gregos fazer isso? Quando as ordens da UE eram "gastar, gastar e gastar, investir, investir e investir, empresta, empresta, empresta....ninguém o fez....ninguém contrariou as ordens da UE...não quiseram, não podiam, não dava jeito....qual crise de 2008 qual quê....está tudo muito bem. E foi o que se viu.
O resultado: o resultado é bastante simples: seja em Portugal ou na Grécia, com PSD/PS ou Syriza, nós (o Zé), é um espantalho, um boneco nas mãos desta espécie de governantes....
Pobres de nós.....espantalhos nestas mãos....

terça-feira, junho 30, 2015

Pobre Tuga

E no meio disto tudo, uma pessoa põe-se a ler comentários nas redes sociais. E no meio de tantos comentários bem elucidados, chega o Tuga e zás....Chega o Tuga e escreve "é muito bem feita para esses Gregos, esses chulos, esses exploradores que vivem à grande."
"Não tenho pena nenhuma, devem pagar e bem!! Pagar e com juros e mais juros!!"

"Que saiam do Euro, e já agora da UE, não estão cá a fazer nada!!"
Chega o Tuga, zelador da moral e dos bons costumes, e o Tuga esquece-se.....esquece-se que também nós fomos resgatados, e que apesar de dizerem por aí que temos os cofres cheios, nada de nada é garantido. Também diziam em 2008 que a crise não ia chegar cá....em 2011 foi o que se viu, empobrecemos em nome de um resgate e de uma dívida que não contraímos, apesar de estar em "nosso" nome. Perdemos a diginidade, passámos a sobreviver, mas temos a distinta lata de dizer que os Gregos também têm que ser sugados até ao tutano, porque nós também fomos....

É esta a solidariedade que se mostra para com os aflitos??
Para quem só pode levantar 60euros do multibanco e não sabe se amanhã terá lá as suas migalhas....

Pobre Tuga.....sempre cego, sempre a acreditar no que lhe dizem....

segunda-feira, junho 29, 2015

Sobre a Grécia

"Deverá ser aceite o projeto de acordo que foi submetido pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional no Eurogrupo de 25.06.2015 e que compreende duas partes, que constituem uma proposta unificada? O primeiro documento designa-se 'Reformas para a Conclusão do Programa Atual e Mais Além' e o segundo 'Análise Preliminar da Sustentabilidade da Dívida'."


Os Gregos vão mesmo dizer sim ou não, sobre um documento que não leram?

Este referendo em Português tem os nomes "mandar areia para olhos das pessoas", e "tapar o sol com a peneira". 
O Syriza nada mais está a fazer do que mandar com areia para olhos do povo que governa.
Querem fazer referendos, façam-nos à vontade, mas pelo menos deviam ter a decência de saber e querer explicar bem o que se pretende referendar, as consequências do sim ou do não, o que andaram a fazer durante estes meses nas reuniões do Eurogrupo. Mostrem os documentos, traduzam-nos, expliquem o que se pretende. Caramba....cada vez me parece mais que a Grécia está em queda-livre, com um pára-quedas avariado.... 

sábado, junho 27, 2015

Esta recepcionista que vos escreve, deixa-vos um enorme conselho: quando prenoitam num hotel, nunca, mas nunca (nunca mesmo), se deixem levar no entusiasmo da "coisa". Pode haver alguém que chegue à recepção, a pedir para mudar o quarto com urgência porque o vizinho de cima se deixou levar pelo entusiasmo.

quarta-feira, junho 24, 2015

Profundamente emocionada

Profundamente emocionada com a bondade do Dr. Almiro, com a capacidade que tem de acreditar de que todos merecemos uma 2ª oportunidade, que todos somos bons seres humanos.

E, se houvessem mais como ele, o mundo seria concerteza melhor...

"Quando eu morrer, vai o meu caixão cheio de amor, serviços que lhes dei e recebi deles. Não dei só, eles também dão. Eles dão ás vezes amor que ultrapassa o nosso."

segunda-feira, junho 22, 2015

E....

E.....vamos esperar até Setembro....Adenoma é adenoma.....apesar de inconclusiva e de umas palavras estranhas, é para isto que a biópsia aponta...o inconclusivo assim fica, e quando se abrir, veremos.

E é o que é....o que tiver que ser....e pronto.
E pronto.....espera-se até Setembro.....

  

domingo, junho 21, 2015

Maldita seja a incerteza

.Custa-me imenso viver com a incerteza, com o não conclusivo. Neste momento a vida devia ser "é ou não é...." "é bom.....não é bom."
Com o sim e com o não, com o bom ou com o menos bom vivo eu bem. Sei com o que conto, com o que posso vir a esperar.
Agora, com o inconclusivo e com a incerteza é muito mais complicado. Tira-me a paciência, faz-me pensar e pensar e pensar. E eu penso, ou se penso, penso tanto, e faço conta com o pior. Não penso nos 50/50, arranco logo para os 60/40. A mim aconetece-me tudo, directa ou indirectamente, acontece-me tudo. Mais uma prova, mais um desafio, mais uma coisa para me entreter e me preocupar. E mesmo com estes entretenimentos, não posso e não devo descurar de mim. No meio de tudo sou eu, porque só sou eu, só me têm a mim, e eu.....eu, tenho-me a mim mesma...Que mais haveria de ser.

Uma biópsia inconclusiva, com umas quantas palvras estranhas, a internet, a maldita da internet ou a minha maldita ânsia de ter sempre que perceber as palavras estranhas, que sentido podem ter...
Que raio é o acilar, o trabecular, a actividade mitótica, o estroma, o anedoma, as células basais, isto aquilo, o outro e aquele outro...

Uma biópsia, um pedido de consulta no IPO que demorou dois dias para ser aceite, os meus e a incerteza....

Raios partam a incerteza e o inconclusivo. Não sei viver com incertezas...

quarta-feira, junho 17, 2015

E hoje

E hoje.....hoje que a vontade era muita, e o tempo convidava pus-me a andar. Fiz-me ao caminho....
Amanhã, amanhã faço intenções de me fazer à estrada novamente.


quarta-feira, junho 10, 2015

Tenho cá para mim

Tenho cá para mim que todos viveriamos melhor uns com outros e com nós próprios se mostrassemos desde logo o nosso "dark side".

Não seria mais fácil??

quarta-feira, junho 03, 2015

Ai Jesus

Ai Jesus.....apagou-se-te a luz......
E assim perco um dos meus trocadilhos preferidos.....



A propósito do caracol

São tão bons quando acompanhados de umas minis ou de umas imperiais....

Agora a sério.....não entendo, não consigo entender este desfasamento da sociedade....parece-me que em vez de se defender os que de facto não têm defesa, os que precisam de defesa, de ser contra a violência e os maus tratos, defendem-se.....caracóis. Caracóis. No meu país defende-se a causa dos caracóis, essa praga dos agricultores...

 

terça-feira, maio 26, 2015

Em boa verdade

Em boa verdade vos digo....Se há uns bons anos atrás me dissessem que iria trabalhar em hotelaria, eu ia responder "dificilmente vou trabalhar nisso...."
E se ressalvassem que me iria sair bem e gostar verdadeiramente do que faço eu diria "estão malucos"....

Mas o facto, o facto é que não me vejo a fazer outra coisa, nem me vejo sentada numa secretária a fazer trabalho de agente de viagem ou de operador turístico.

E é tão bom gostar do que se faz. É gratificante.

domingo, maio 24, 2015

Espero bem...

Espero bem, que alguém venha desmontar esta capa de revista cor-de-rosa....

terça-feira, maio 19, 2015

E por aqui....


domingo, maio 17, 2015

34º

E é isto.....


https://www.facebook.com/SerNormalNaoEOMeuPontoForte?fref=photo

E para amanhã

E para amanhã vai ser assim.....

"It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me

And I'm feeling good."


sexta-feira, maio 15, 2015

Francamente

Se isto não é um título estupidamente sensacionalista, não sei o que será.

quinta-feira, maio 14, 2015

Fiz a minha parte

Hoje, em Lisboa encontrei perto do metro uma carteira.
Peguei nela, percebi que tinha moedas, como documento de identificação encontrei um cartão da escola.
Entreguei a carteira à polícia que se encontra à entrada do metro do Campo Grande.
Fiz a minha parte, e espero que a PSP faça a parte deles. 

quarta-feira, maio 13, 2015

E eu....

Eu eu senti o bullying na pele durante bastantes anos....reunia todos os requisitos para ser constantemente gozada e humilhada.
Começava pelos meus nomes, seguia-se o enquadramento familiar, passava pelos óculos e pelo estrabismo, por ser magra, um bocadito gaga, pela pouca aptidão para o desporto.....enfim, reunia o pleno para quem gosta de se divertir à custa dos outros. Felizmente tive o discernimento de ultrapassar e de ser superior a tudo, o que demorou o seu tempo. Deixei de me preocupar pelo facto de não reunir os pré-requisitos para ser aceite no seio dos "populares", daqueles de quem toda a gente gosta, ou do grupo a que todos querem pertencer. Sinceramente, e honestamente, ter ao longo dos anos (primária, ciclo, secundária), passado às passas do Algarve, fez-me aprender a gostar de mim e a encontrar a minha auto-estima, a saber o que quero e o que não quero.
Ver este vídeo, ler sobre o assunto deixa-me com uma série de questões e pensamentos. O primeiro que vem à cabeça é o de atribuir as culpas a uma possível educação que pode ter faltado, mas após ouvir o pai de uma dessas miúdas a falar, a admitir que não reconhece a própria filha naquelas imagens penso que a falha pode não vir daí, pode não vir dos pais, que muitos não fazem a menor ideia de que têm filhos que fazem do achincalhar outros uma forma de viver o dia-a-dia. Caramba....muitos são os casos em que os filhos em casa são uma coisa, na escola e no grupo dos amigos são outra. Até se pode dar o caso de o ambiente em casa não ser o melhor, mas depois existem os casos de pais que pura e simplesmente não conseguem ter mão nos filhos, por mais vezes que tentem, que chamem a atenção. Caramba....fosse eu mãe de uma destas miúdas, eu estaria a interrogar-me sobre onde teria falhado na educação, mas por vezes não há falhas, é a personalidade, a necessidade de ter atenção, de sobressair no grupo à custa do outro, ou porque não se encaixa no grupo, ou porque pura e simplesmente não se gosta, não se vai com a cara. 
Depois há sempre o velho chavão "gosta de gozar, mas é só a brincar....é um brincalhão, um gozão, não tem intenção nem a consciência....", "Eu estou a só a brincar, não vês que estou a brincar??" "Se tens uma perna mais pequena que a outra, porque é que não te hei-de chamar de coxo??" "Se tens óculos, és caixa de óculos!!" Será que é sempre assim?? Será que por trás da brincadeira não está a consciência do acto?? Será que não se pega no "problema" do outro, por forma a quererem-se sentir superiores? Não existirá por ventura o botão que dispare quando a brincadeira atinge proporções em que deixa de o ser?
Honestamente, espero, espero bem que este miúdo tenha a capacidade de seguir em frente e de ser superior a tudo isto...porque não deverá ser fácil rever a situação, e ler o que escrevem sobre o sucedido.
Quanto às criaturas que fizeram isto, os bullies, esta espécie de gente mal resolvida e com um qualquer recalcamento, ou necessidade de atenção, e muita falta de amor próprio não passam de gentinha que têm um ego do tamanho de uma ervilha, zero de auto-estima que usam, abusam e fazem mal a outros para seu belo prazer e divertimento.
E o karma, o karma há-de fazer o seu trabalho e a justiça espero que também...



Isto sim é bullying

Esta cambada merece e tem que ser severamente punida.
Espero bem que a justiça faça o que lhe compete.

terça-feira, maio 12, 2015

A partir de amanhã vai ser assim

Ser Patriota é defender a Língua Portuguesa tal como ela é. 
Sou e serei sempre contra o novo (des)acordo ortográfico. 
 

quinta-feira, maio 07, 2015

E de repente

E quando tudo começa a encaminhar, caí-me mais uma hecatombe em cima e fico com aquela sensação de que me tiraram o tapete debaixo dos pés e eu dei um monumental trambolhão. 
Esta mania de o destino me testar devia acabar.
Porra para isto....


terça-feira, maio 05, 2015

#Horadovitinho 206

De volta às boybands dos anos 90......


Tão bem que eu estava

Tão bem que eu estava só com a indiferença. Eu e ela, as duas juntas como assim devia ser. Mas por quase nada a mágoa e o rancor deram sinal de vida. Acordaram e disseram "Nós estamos aqui. Não penses que te deixamos e que te esquecemos......"

Amanhã será outro dia.....a indiferença há-de voltar a tomar o seu lugar.  



segunda-feira, maio 04, 2015

O meu problema com o blogger

O meu problema com o blogger, é cansar-me de um template.
E se eu me canso, é para mim lógico que os outros também se cansam.
E ando nisto, tiro template, ponho template, formato o template, não gosto do que formatei, não formato bem, não consigo formatar. Depois......depois vejo coisas fantásticas e penso no bem que elas ficavam aqui, e não as consigo pôr como quero, ou como devem ser.
O objectivo agora é conseguir pôr ali no cabeçalho uma espécie de slider com o que eu quero, depois as imagens, depois a letra, depois o tamanho dos posts, depois o tipo de letra....

Haja paciência.....

sexta-feira, maio 01, 2015

Sobre a greve na TAP

Os pilotos querem assim tanto a TAP?

Juntem-se todos, façam uma vaquinha e comprem o que restar dela após o dia 10 de Maio. 
Irá estar a um bom preço após esta greve que é uma falta de respeito e uma vergonha, vai valer uns trocos.


quarta-feira, abril 29, 2015

Por vezes a sociedade assusta-me

Por vezes a sociedade assusta-me muito, mete-me um verdadeiro medo, deixa-me horrorizada, amedrontada, aterrorizada com o que vou vendo, ouvindo e lendo por aí....

sábado, abril 25, 2015

41 anos de Abril



"E se esse poder um dia
o quiser roubar alguém
não fica na burguesia
volta à barriga da mãe!
Volta à barriga da terra
que em boa hora o pariu
agora ninguém mais cerra
as portas que Abril abriu!"

As portas que Abril abriu - José Carlos Ary dos Santos

terça-feira, abril 21, 2015

Alguém me sabe explicar

Alguém me sabe explicar porque chamam emigrantes ou migrantes aos desgraçados que são sobreviventes de guerras, de massacres e perseguições???
É que ao olhar para a excelente capa de hoje do I, eu não vejo ali um emigrante ou migrante....vejo um sobrevivente, um refugiado que teve a "sorte" de se sobreviver a um naufrágio...



sexta-feira, abril 17, 2015

Apesar de tendenciosa

Apesar de tendenciosa,esta sondagem pode até nem estar desfasada de todo.
Especialmente quando a meio ano de legislativas se discutem presidenciais, e uma pessoa olha para o plenário da AR e vê que a oposição (neste caso o PS)não passa de essencialmente de espírito de contradição que nada, mas nada vem acrescentar de novo ao que vivemos.

Além disso, nunca vi tanta medida eleitoralista tão agressiva e demagógica como este ano. Não vão aumentar ordenados, mas baixam a TSU das empresas, não baixam o IRS mas propõem-se a criar uma base de dados com os nomes de pedófilos e agressores sociais. Encapotam escândalos como o do BES e dão "medidas" de apoio à natalidade???

Mesmo sério.....quem é quer ter um filho num país onde ao invés de rolarem cabeças por uma reportagem da TVI feita em 15 urgências deste país (obrigada TVI pelo sensacionalismo mostrado), optam por nos mandar com areia para os olhos???

quinta-feira, abril 09, 2015

"Os sobreviventes"

"Os sobreviventes" é o nome da Grande Reportagem SIC acabada de transmitir.
Em cerca de meia-hora (a duração da reportagem), dei por mim abismada com as mais diversas facetas do Homem perante estes desgraçados a quem a guerra tirou tudo....Tirou tudo menos a esperança de atravessarem o Mediterrâneo em barcos cheios de outros desgraçados também eles com esperança, com o sonho (e disse o Gedeão que o sonho comanda a vida). Sonho Esperança desproporcionais ao barco em que navegam ao deus dará, na esperança (sempre a esperança), de chegarem a um qualquer porto seguro, a um abrigo, com a esperança de que aqui, aqui nesta Europa irão viver ou sobreviver de uma forma mais digna, quem sabe jogar futebol, ajudar a família. Nesta Europa mais preocupada com guerras económicas e diplomacias de trazer por casa, daquelas que ficam bem na fotografia. Acima de tudo interessa ficar bem na fotografia mesmo que os barcos que chegam a Itália e a Malta venham de antigas colónias europeias, de países que estão em guerra, países que vivam em regimes ditatoriais, onde se matam e massacram e torturam e se tira tudo tudo tudo a alguém que se calhar estava no sítio errado à hora errada, se calhar não é da mesma religião, da mesma etnia, do mesmo partido, da mesma facção, se calhar porque têm que ser mortos porque lá do outro lado, do país onde vamos posar ao lado na fotografia sempre com um sorriso diplomático (tão diplomatas que são os Europeus!!!!), está um "presidente", um primeiro ministro, um grupo, alguém que dia acordou e decidiu matar, destruir, violar todos aqueles que lhe apareceram à frente porque tem que se mostrar quem manda, porque a connosco ninguém se mete....porque se se metem acaba-se a brincadeira, e não há cá "relações diplomáticas" pr'a ninguém.

E nestes entretantos, os "sobreviventes" de guerras, massacres, torturas, violações pagam, dão tudo o que têm para embarcarem num bote de borracha, para tentarem sobreviver e chegarem a uma Europa que pensam saber receber e acolher, dar alguma dignidade a estes desgraçados que têm apenas a esperança e o sonho. E esses desgraçados acabam por dormir dentro de tubos de amianto, em barracas, tratados quase como indigentes em modo:
 "quem é que disse que vos queremos aqui?? Que o governo vos quer? Que precisamos? Voltem mas é para a vossa terra e sobrevivam lá,aqui não, não temos espaço, não temos apoios, não temos medidas para refugiados que vos dê alguma dignidade, e também não estamos interessados em ter.....Isso estraga as nossas relações diplomáticas e não queremos ver as nossas relações azedadas por causa de "sobreviventes...". Nem estamos interessados em melhorar as políticas Europeias de acolhimento. Temos emigrantes aos pontapés, não queremos cá refugiados e sobreviventes e desgraçados....."

Mas também de que estou à espera?? Complacência?? Bondade?? Generosidade?? Direitos Humanos??
Muito esperançada também eu estou.....esqueci-me que na Síria crianças de tenra idade levantam as mãos ao ar por confundir uma máquina fotográfica com uma pistola, que no fim-de-semana de Páscoa foram mortas 147 só por serem católicas (pensam os "diplomatas"....têm mesmo a certeza de que há católicos pretos em África??? O melhor é não importância à coisa, que passa despercebida. A ONU que trabalhe....os Direitos Humanos é para a ONU, nós não temos nada a ver com isso....deixa-os estar....eles que vão sobrevivendo....


Breve constatação sobre a rebeldia de adolescente

Um dos poucos actos de rebeldia que tive na adolescência, foi recusar-me a ir ver o primeiro espectáculo dos backstreet boys em Portugal (na praça de touros de Cascais

Perante a perspectiva de ir com a meia irmã obcecada, e com a prima da meia irmã também obcecada, guardadas pela minha madrasta, sabendo desde logo que não ia ficar muito bem dizer ao grupo de amigos que tinha ido ver os backstreet boys, juntando ao facto de a MTV passar constantemente os vídeos e as músicas deles e de os meus gostos musicais não versarem nem de longe nem de perto boy bands (nos anos 90 tínhamos bem melhor para ouvir do que pop music), virei-me para o meu pai e do alto dos meus 17 anos disse: nem penses que vou ver isso!!! São só miúdas histéricas!!

O facto, o facto agora é que as boy bands dos anos 90 são um dos meus guilty pleasures musicais. Meia volta, lembro-me de uma, abro o youtube e siga.....marcham uma data de músicas.


O karma musical é tramado......

PS: one direction.....que é isso??? Os anos 90 foram os anos das boy bands. Até as fãs dos anos 90 tinham mais nível no histerismo....  

Ninguém, mas ninguém chega aos calcanhares dos Take that ou aos Boyzone....

O toque do sino

Pois que aqui na aldeia o sino da igreja tinha deixado de tocar. Constou-se que se tinha avariado e a paróquia organizou um peditório para o arranjo/substituição do dito. O peditório foi feito, bolos foram vendidos e duas semanas antes da Páscoa, o sino da igreja voltou a tocar. Não as singelas, comedidas, simples e não ostentivas badaladas que nos diziam que horas eram, mas sim o Avé Maria. Ora ainda se pensou pela aldeia que eventualmente o Avé Maria fosse um teste porque não tocava a tempo inteiro e ainda se ouviam as ansiosas badaladas (e eu gostava verdadeiramente do singelo badalar do sino). Mas, eis que não olhando nem a crenças religiosas, nem ao respeito pelas mesmas ou pela inexistência destas, toca de se inaugurar o corisco negro do sino, mais sistema de som (electrónico), e ainda com um megafone (os surdos também direito a ouvir), a tocar o Avé Maria em alto e bom som (das 6/7 horas da manhã até às 22 horas)

Agora,aqui na aldeia, onde prevalece o fanatismo religioso e uma enorme falta de respeito para com os habitantes, a cada meia-hora sinto-me a modos que tele-transportada para o santuário de Fátima. Juntamente com a sensação de tele-transporte a cada meia-hora desejo sinceramente umas das três opções abaixo:

Que roubem o sistema de som
Que haja um curto circuito e que o sistema de som vá à vida
Que alguém suba à torre da igreja desligue o megafone e o traga como souvenir.

E se isto não foi o expoente máximo da inveja e da soberba (pecados mortais) por a paróquia do lado ter o sino, ou o som ou seja lá o que for a tocar o Avé Maria (de forma bem mais discreta), e a paróquia da terra não, não sei bem o que se passou por aqui....mas sei que é uma falta de respeito enorme para com as pessoas sejam crentes ou não. Caramba.....vivemos num estado laico, estamos em pleno século XXI e somos obrigados a gramar com o corisco do toque do sino porque a "beatagem" assim o entendeu????
Ainda por cima está desafinado!!! Toca o Avé, depois badala, e tudo isto no volume máximo!! E desafinado!!!
Ainda por cima tem uma espécie de amplificador....
E se eu ficar surda, ou der em maluca com o raio do toque do sino, apresento a conta a quem?? Ao padre, à "beatagem", ou a ambos????




quarta-feira, abril 08, 2015

Pois que vi

Pois que vi esta capa numa papelaria e o pensamento que passou pela minha cabeça foi o seguinte:

"Meu grande filho de uma grande coisa!!! Pessoas houve que perderam as poupanças de uma vida por seres um grandessíssimo mafioso e um ladrão, e tens a soberba lata de acenares para máquinas fotográficas e fingires que não fizeste merda nenhuma. Ainda por cima, continuas a mandar nesta merda toda, porque não há quem tenha um belo par de tomates para agarrar em ti e te espetar na choldra ao lado do Zé Sócrates."

PS: e nem que vás à missa 10 vezes ao dia, dizer o credo e pedir a remissão dos pecados, comprares indulgências, pagares ao padre, seres "mecena" da igreja, irás para a céu. Porque a haver inferno, meu querido, o teu lugarejo lá já está mais que reservado.


Swift

Também me chego à frente nisto de mostrar os peluches....
Chama-se Swift, e está comigo há 30 anos. Passeou muito comigo, dormi muitas noites agarrada a ela com tal força como se dependesse dela a continuação do mundo em que vivo. Foi verdadeiramente a minha almofada, muitas lágrimas minhas apanhou, muitos abraços apertados lhe dei.

E verdade seja dita, ainda hoje a Swift dorme na minha cama. Ou durmo eu com ela, ou dormimos uma com a outra....Se não tenho a Swift perto de mim não adormeço e não durmo bem.
E é isto..... com 34 anos e ainda durmo com um peluche...e que ninguém se atreva a tirar-mo....

Se alguém se está a perguntar o porquê do nome, a resposta é bastante simples. A Swift é a raposa do David, o Gnomo, (uns desenhos animados que passaram nos anos 80) a melhor amiga dele, quem o ajuda. Logo, nem hesitei na escolha do nome da criatura.


terça-feira, abril 07, 2015

Já sei que venho atrasada

Já sei que venho atrasada, mas não resisto a "mostrar" a minha Páscoa, passada no lugar onde o tempo passa mais devagar e sem pressa. Onde se descansa, se ganha energia, onde se encontra a família e se trocam conversas, memórias e afectos. E sabe sempre bem voltar-se a um local onde se é feliz, e sabe sempre a pouco....









quinta-feira, abril 02, 2015

A Aguiar Branco

A Aguiar Branco só faltou contar a velha piada do "vou levar-te comigo", que será mais ou menos assim....

"Sabem o que disse o Manoel de Oliveira para o Silva Lopes?? Vou levar-te comigo, vou levar-te comigo, vou levar-te comigo meu irmão, vou levar-te comigo...."


"A morte não me assusta. Assusta-me muito mais a vida".


 

quarta-feira, abril 01, 2015

É com certeza

É com certeza boa música Portuguesa!!!
O Carlão nunca me desilude.

E não, não é kizomba. Tem sim influência do som Africano, mas de maneira nenhuma é uma kizomba. Nem de longe nem de perto...


Às mães, aos pais, à sociedade

Li o texto de Joana Neves na Maria Capaz, e quero mesmo partilhar este excerto e o meu pensamento:
“Quando digo que não quero ter filhos, as pessoas ficam sem saber muito bem onde me encaixar”. Quem já passou, seja por que razão for, pela experiência de ouvir aquele silêncio embaraçoso, aquela pausa que algumas pessoas fazem quando ficam à espera de uma explicação para o desvio da norma, sabe do que estou a falar."

Continuo à espera do dia em que não olhem para mim com cara de "isso dizes tu agora. Não queres ter filhos... QUANDO engravidares mudas logo de ideias". 
E quem diz que eu tenho que querer o que A,B,C e D quer? Que tenho que querer, ser e fazer porque é o "que se pede", o mínimo exigível, o que se espera de qualquer mulher? Procriar?? Ter filhos só porque é suposto que sim? Porque se todas têm filhos, eu tenho obrigatoriamente que ter?? Sou obrigada a gostar de bebés? A ter o meu relógio biológico a dar badaladas tão altas como o Big Ben, só porque já tenho 34 anos? E daí? Terei algum defeito de fabrico? Terei sido mal formatada? Falta-me um parafuso? Sou egoísta? Não sei o que quero? Uma coisa eu sei....se engravidasse ia pôr literalmente as mãos na cabeça e não por contentamento. Não fui formatada para o que a sociedade exige. Não tenho paciência para formatos, nem para estereótipos, fazem-me uma confusão danada, "o tens que ter, tens que fazer, porque toda a gente faz e tem...." Espera lá....se toda a gente se atirar para dentro de um poço,eu também tenho que ir?? E se todos se vestirem de amarelo canário e eu escolher vestir-me de verde? Sou o quê?? Uma pária da sociedade por não andar alinhada com os restantes??
Honestamente, tenho medo.....muito medo dos pensamentos e das pessoas estereotipadas, que vão com a "carneirada", todos com o mesmo pensamento, o mesmo objectivo: o casar, o ter filhos, cuidar do marido, dos filhos sempre da forma politicamente correcta, porque a sociedade assim exige. Sim, a sociedade exige que todo o homem e mulher tenha como objectivo principal casar e procriar (não necessariamente por esta ordem). E quem não o faz?? Quem não o faz, quem não pensa assim, é visto como uma qualquer espécie de aberração, ou como um ET, uma ave rara, uma espécie de monstro que não cumpre o que está predestinado, (está mesmo???)....
E a mulher que se torna mãe.....como o texto diz, logo vem a sociedade toda elencar tudo o que é correcto, e ai da desgraçada que fuja do que a sociedade manda e ordena....foge um bocadinho e é uma egoísta, uma má mãe, não sabe educar, não sabe tomar conta, soube fazer o filho e tê-lo, mais nada!! Uma mãe trabalhar???? Que afronta.....não dar mama ao bebé??? Uma hecatombe!! Pensar em si, e não só no filho??? É uma devassa!!! Voltar ao trabalho depois de ter um filho e ter prioridades para além da maternidade??? É o fim do mundo tal como o conhecemos!!
Em 2015, em pleno século XIX, termos que nos submeter a toda uma linha retrógrada porque a sociedade assim o "quer" é estúpido, verdadeiramente estúpido. E neste ponto, ponho-me a pensar se o Darwin não se enganou a meio da teoria da evolução do homem....


terça-feira, março 31, 2015

Dizem que é a princesa do instagram

Dizem que é a princesa do instagram, eu digo que é exploração do trabalho infantil, ao mais alto nível. Questiono-me desde quando é que casos deste tipo encaixam nos parâmetros normais da sociedade. Nos meus não encaixam de certeza absoluta, porque defendo que as crianças têm que ser crianças, depois pré-adolescentes, depois adolescentes. Tudo feito a seu tempo, nada de pressa, porque se há tempo para tudo, tem e deve haver tempo para crescer de forma saudável e natural

Pais que são pais, pais que têm dois dedos de testa, deixam e querem que as crianças sejam crianças. Não as tornam "estrelas" da internet, não as tornam alvo deste mundo que para nós adultos é perigoso que baste, e nem vivem às custas dos filhos.

É a princesa do instagram, a menina mais bonita do mundo, e todas as crianças usadas para promoverem e enriquecerem os pais: exploração do trabalho infantil. E tanta, mas tanta que não há por aí....aos pontapés....O que mais há por aí, são "pais" que vestem os filhos com marcas, como adultos, que usam os filhos para se promoverem, e terem sucesso, ou pelo menos uma espécie dele.....

E agora deito-me para aqui a pensar se vale a pena, se lhes compensa porem os filhos a trabalharem a seu belo prazer...se não existe para aqui um qualquer complexo, ou um ego que necessita de ser insuflado e alimentado a todo o custo, doa a quem doer.....

domingo, março 29, 2015

Poderá ser

Poderá ser uma das fotografias de 2015, pela forma como a tristeza da menina foi captada....
E com 5 anos, apenas 5 anos, já sabe que quando encontrar alguém com uma arma tem que levantar as mãos para se defender e se render a quem lhe a aponta...
E penso agora, de que serve a uma menina saber pôr as mãos ao alto para se render....
Para que lhe serve....
Dói-me a alma.




É caso para dizer

É caso para dizer, que o Algarve continua a ser um bom destino de férias!!!
Mais uma voltinha, mais uma viagem.....desgraçados aqueles que continuam a acreditar nestes "país", porque já nem a Scotland Yard tem mais a acrescentar ao tema, à investigação....

Se fazem caminhadas

Se fazem caminhadas com música, e têm preferência por aquelas que dão uma boa dose de energia para o caminho, façam o download deste cd.
Diz-me a experiência, (a minha) de que o speed é garantido.



quinta-feira, março 26, 2015

Extravasam-se

Extravasam-se todos os limites do bom-senso jornalístico, quando se lê um título como este....


Eu esperava ler um título estupidamente sensacionalista e de um elevado mau gosto, no Correio da Manhã ou no Sol. Nunca esperei ler tal estupidez no Expresso.
Além disso, há que ter um mínimo de respeito para com a família, que infelizmente está a sofrer com tudo isto.

Para mim, as ilações que se devem tomar deste acidente são bastante simples: sim, mudarem-se as regras relativamente ao número de tripulantes que deve estar em permanência no cockpit, e avaliar psicologicamente pessoas que têm profissões de elevado risco e de desgaste rápido como estas. Tivesse  a German Wings feito a avaliação psicológica de Andreas Lubtiz, que pelos vistos interrompeu a formação há uns anos devido a um colapso nervoso, provavelmente teriam sido evitadas 150 mortes. Podia não ser piloto, mas se calhar nesta 3 feira, não teriam morrido 150 pessoas.

quarta-feira, março 25, 2015

Mas isto é mesmo a sério



Pelo andar da carruagem, dia 25 de Abril vai-se cantar a Grândola à porta do Estabelecimento Prisional de Évora....
A única coisa que me espanta é não terem ainda feito uma qualquer petição a pedir que mesmo que preso, José Sócrates se possa candidatar a PR.


domingo, março 22, 2015

Por vezes

Por vezes tenho em mim a vontade de encerrar este blogue, e dizer Adeus, até um dia. Falta-me inspiração, deixei de encontrar interesse em alguns blogues que leio, não encontro substância. Tenho cada vez mais a sensação de que grande parte do que leio está focado e segmentado para lucro, lucro, lucro, negociatas, presentes, à espera de um filão publicitário que encha os bolsos.

Por cada vez que espreito parte dos blogues que leio, tenho a vontade enorme de deixar de subscrever os ditos, porque tudo me parece tão vazio de inspiração e tão cheio de querer facturar de algum lado.

Sinceramente, aprecio cada vez menos este mundo virtual de lucros. Preferia-o mais simples, mais pragmático, com menos floreados e vontade de agradar a Gregos e a Troianos, cheio de tricas e de guerras.....pl'amor da Santa....guerras entre blogues, e diz que disse???

Tanta vontade que tenho de encerrar o estaminé, mas ao mesmo tempo pena de ficar uma lacuna...

quarta-feira, março 18, 2015

Cada um com a sua pancada


Cada um com a sua pancada.....eu pinto o cabelo com tons avermelhados, outros idolatram o Zé Sócrates.

O que seria da sociedade se não houvesse diversidade...

segunda-feira, março 16, 2015

Acredito que vou ter uma espécie de saudade do Cavaco

Acredito que vou ter uma espécie de saudade do Cavaco, por cada vez que recebo uma notificação da Cavaca para Presidenta, página que eu já sigo, e que foi referenciado no Eixo do Mal, por ser de facto uma coisa muito bem esgalhada. Impossível não sorrir com as legendas que põem nas fotografias.

Espreitem, aqui

.


quarta-feira, março 11, 2015

Será que funciona??

Como não tenho sogra, não faço a mais pequena ideia....


Para montar bem

A forma como se deita o guarda-vestidos é extremamente importante para o montar. Pelo menos para mim é. Deitei-o, montei-o e conclui que estava ao contrário.

E podia fazer uma série de trocadilhos com deitar e montar... 

sexta-feira, março 06, 2015

A propósito do esquecimento

A propósito do "esquecimento" do "primeiro-ministro", para com as obrigações que tem com o Estado, é favor de clicar aqui.

No mínimo, no mínimo dos mínimos é vergonhoso o meu país andar nas bocas do mundo à conta de quem nos "governa".

Aqui há meses, a propósito do caso tecnoforma, disse que não queria e não admitia nenhum striptease às suas contas, contudo quer-me parecer que para além de fazerem striptease, as contas bancárias de Pedro Passos Coelho andam a dançar no varão.

E espero bem, espero mesmo bem, e mesmo sabendo que a concorrência não é a melhor que há, que nas próximas eleições legislativas as pessoas pensem muito bem antes de votarem num candidato a PM com alzheimer financeiro.

quarta-feira, março 04, 2015

Coisa que uma pessoa se lembra

Pois que uma pessoa se lembra de ouvir uma musiqueta que cantarolou nos idos anos 90 (adorava o a la la la la long, a la la la la long long li long long long). A pessoa abre o youtube, procura a música, abre o respectivo clip, começa a cantarolar o a la la la la long, a la la la la long, espreita os comentários que por lá foram deixando, vai lendo, fica a modos que intrigada com o que lê. Intrigada, a pessoa vai pesquisar a letra, encontra a letra, começa a ler a letra, a interpretar a letra e conclui algo como "oh diabo.......o que eu pura e incocente pré-adolescente andei a cantar...."

De facto o "girl I want to make you sweat", sempre intrigava-me bastante, porque não o percebia....


Para quem não está familiarizado, com a letra ou andou a léguas tal como eu, aqui fica o link.


terça-feira, março 03, 2015

Bem sei que venho atrasada, porque só ontem pus a leitura blogosférica em dia

Bem sei que venho atrasada, porque só ontem pus a leitura blogosférica em dia, mas ainda não resisto a emitir a minha opinião sobre a barbearia "mulher não entra".
As feministas que fizeram aquela "entrada em grande" na barbearia, terão porventura a consciência de que ajudaram em muito a aumentar a visibilidade e os clientes do dito estabelecimento exclusivo para homens (e cães também)???
É que assim de repente, sou pessoa para acreditar que os proprietários terão agradecido ainda que silenciosamente todo o marketing gratuito que lhes fizeram.

Sou e serei sempre contra estas formas estranhas de "seleccionar e seccionar clientes". Sou do tempo em que os porteiros das discotecas exigiam entradas ao pares, o que por si só discriminava quem estivesse "desemparelhado", mesmo que num grupo de amigos, não concordo com a "política" do vivafit, odeio os encontros do dia da mulher (ai do desgraçado que se tente meter num grupo de mulheres ao dia 8 de Março se não for um stripper), as "ladies night" nunca me fascinaram, clubes dó de mulheres idem aspas aspas. Sou e serei sempre a favor igualdade entre os sexos, e dos Direitos das Mulheres (e muito há a trabalhar nesse ponto). Mas o facto de ser Mulher, não me faz embandeirar em arco a favor de um "bando de galinhas", que simplesmente não armou mais do que uma escandaleira, que culminou com uma visibilidade estrondosa para a dita barbearia.

Posto isto.....e na minha opinião, que não passa de uma humilde e sincera opinião, existem formas mais práticas, legais e com muito mais bom-senso para se reclamar contra a regra "da mulher não passa da soleira da porta". Eu como mulher, ao tomar conhecimento deste "riot feminista", ao ler a notícia, os posts, ao ver o vídeo fiquei estúpida.
Fiquei estúpida, literalmente estúpida, até porque em vésperas do Dia Internacional da Mulher, sou capaz de elencar uma série de pontos sobre os Direitos da Mulher que não são cumpridos....mas por exemplo, não acredito que vá ver estas feministas a protestarem da mesma forma num hipermercado Continente, sobre a exploração cometida sobre as mulheres que trabalham por lá trabalham....







sexta-feira, fevereiro 27, 2015

Podia ter deprimido à conta da M80



Ouvir o "Iris" dos Goo goo dools na M80 fez-me sentir num misto de

"Sou do tempo desta música...."

"Pára tudo!!! Isto já é música da M80??? Eu já serei considerada da faixa etária que ouve a M80???

"Mas o Iris já passa na rádio das músicas antigas??? Mas como??? É dos anos 90...caramba....pois....tem que passar. Contas feitas a música é de 98, foi lançada quando eu tinha 17/18 anos, agora tenho 34.....a andar para os 35. A sério.....estou parva"


M80: música dos anos 70, 80 e 90....

E podia ter deprimido à conta desta constatação.

© Brainstorming
Maira Gall