quarta-feira, abril 29, 2015

Por vezes a sociedade assusta-me

Por vezes a sociedade assusta-me muito, mete-me um verdadeiro medo, deixa-me horrorizada, amedrontada, aterrorizada com o que vou vendo, ouvindo e lendo por aí....

sábado, abril 25, 2015

41 anos de Abril



"E se esse poder um dia
o quiser roubar alguém
não fica na burguesia
volta à barriga da mãe!
Volta à barriga da terra
que em boa hora o pariu
agora ninguém mais cerra
as portas que Abril abriu!"

As portas que Abril abriu - José Carlos Ary dos Santos

terça-feira, abril 21, 2015

Alguém me sabe explicar

Alguém me sabe explicar porque chamam emigrantes ou migrantes aos desgraçados que são sobreviventes de guerras, de massacres e perseguições???
É que ao olhar para a excelente capa de hoje do I, eu não vejo ali um emigrante ou migrante....vejo um sobrevivente, um refugiado que teve a "sorte" de se sobreviver a um naufrágio...



sexta-feira, abril 17, 2015

Apesar de tendenciosa

Apesar de tendenciosa,esta sondagem pode até nem estar desfasada de todo.
Especialmente quando a meio ano de legislativas se discutem presidenciais, e uma pessoa olha para o plenário da AR e vê que a oposição (neste caso o PS)não passa de essencialmente de espírito de contradição que nada, mas nada vem acrescentar de novo ao que vivemos.

Além disso, nunca vi tanta medida eleitoralista tão agressiva e demagógica como este ano. Não vão aumentar ordenados, mas baixam a TSU das empresas, não baixam o IRS mas propõem-se a criar uma base de dados com os nomes de pedófilos e agressores sociais. Encapotam escândalos como o do BES e dão "medidas" de apoio à natalidade???

Mesmo sério.....quem é quer ter um filho num país onde ao invés de rolarem cabeças por uma reportagem da TVI feita em 15 urgências deste país (obrigada TVI pelo sensacionalismo mostrado), optam por nos mandar com areia para os olhos???

quinta-feira, abril 09, 2015

"Os sobreviventes"

"Os sobreviventes" é o nome da Grande Reportagem SIC acabada de transmitir.
Em cerca de meia-hora (a duração da reportagem), dei por mim abismada com as mais diversas facetas do Homem perante estes desgraçados a quem a guerra tirou tudo....Tirou tudo menos a esperança de atravessarem o Mediterrâneo em barcos cheios de outros desgraçados também eles com esperança, com o sonho (e disse o Gedeão que o sonho comanda a vida). Sonho Esperança desproporcionais ao barco em que navegam ao deus dará, na esperança (sempre a esperança), de chegarem a um qualquer porto seguro, a um abrigo, com a esperança de que aqui, aqui nesta Europa irão viver ou sobreviver de uma forma mais digna, quem sabe jogar futebol, ajudar a família. Nesta Europa mais preocupada com guerras económicas e diplomacias de trazer por casa, daquelas que ficam bem na fotografia. Acima de tudo interessa ficar bem na fotografia mesmo que os barcos que chegam a Itália e a Malta venham de antigas colónias europeias, de países que estão em guerra, países que vivam em regimes ditatoriais, onde se matam e massacram e torturam e se tira tudo tudo tudo a alguém que se calhar estava no sítio errado à hora errada, se calhar não é da mesma religião, da mesma etnia, do mesmo partido, da mesma facção, se calhar porque têm que ser mortos porque lá do outro lado, do país onde vamos posar ao lado na fotografia sempre com um sorriso diplomático (tão diplomatas que são os Europeus!!!!), está um "presidente", um primeiro ministro, um grupo, alguém que dia acordou e decidiu matar, destruir, violar todos aqueles que lhe apareceram à frente porque tem que se mostrar quem manda, porque a connosco ninguém se mete....porque se se metem acaba-se a brincadeira, e não há cá "relações diplomáticas" pr'a ninguém.

E nestes entretantos, os "sobreviventes" de guerras, massacres, torturas, violações pagam, dão tudo o que têm para embarcarem num bote de borracha, para tentarem sobreviver e chegarem a uma Europa que pensam saber receber e acolher, dar alguma dignidade a estes desgraçados que têm apenas a esperança e o sonho. E esses desgraçados acabam por dormir dentro de tubos de amianto, em barracas, tratados quase como indigentes em modo:
 "quem é que disse que vos queremos aqui?? Que o governo vos quer? Que precisamos? Voltem mas é para a vossa terra e sobrevivam lá,aqui não, não temos espaço, não temos apoios, não temos medidas para refugiados que vos dê alguma dignidade, e também não estamos interessados em ter.....Isso estraga as nossas relações diplomáticas e não queremos ver as nossas relações azedadas por causa de "sobreviventes...". Nem estamos interessados em melhorar as políticas Europeias de acolhimento. Temos emigrantes aos pontapés, não queremos cá refugiados e sobreviventes e desgraçados....."

Mas também de que estou à espera?? Complacência?? Bondade?? Generosidade?? Direitos Humanos??
Muito esperançada também eu estou.....esqueci-me que na Síria crianças de tenra idade levantam as mãos ao ar por confundir uma máquina fotográfica com uma pistola, que no fim-de-semana de Páscoa foram mortas 147 só por serem católicas (pensam os "diplomatas"....têm mesmo a certeza de que há católicos pretos em África??? O melhor é não importância à coisa, que passa despercebida. A ONU que trabalhe....os Direitos Humanos é para a ONU, nós não temos nada a ver com isso....deixa-os estar....eles que vão sobrevivendo....


Breve constatação sobre a rebeldia de adolescente

Um dos poucos actos de rebeldia que tive na adolescência, foi recusar-me a ir ver o primeiro espectáculo dos backstreet boys em Portugal (na praça de touros de Cascais

Perante a perspectiva de ir com a meia irmã obcecada, e com a prima da meia irmã também obcecada, guardadas pela minha madrasta, sabendo desde logo que não ia ficar muito bem dizer ao grupo de amigos que tinha ido ver os backstreet boys, juntando ao facto de a MTV passar constantemente os vídeos e as músicas deles e de os meus gostos musicais não versarem nem de longe nem de perto boy bands (nos anos 90 tínhamos bem melhor para ouvir do que pop music), virei-me para o meu pai e do alto dos meus 17 anos disse: nem penses que vou ver isso!!! São só miúdas histéricas!!

O facto, o facto agora é que as boy bands dos anos 90 são um dos meus guilty pleasures musicais. Meia volta, lembro-me de uma, abro o youtube e siga.....marcham uma data de músicas.


O karma musical é tramado......

PS: one direction.....que é isso??? Os anos 90 foram os anos das boy bands. Até as fãs dos anos 90 tinham mais nível no histerismo....  

Ninguém, mas ninguém chega aos calcanhares dos Take that ou aos Boyzone....

O toque do sino

Pois que aqui na aldeia o sino da igreja tinha deixado de tocar. Constou-se que se tinha avariado e a paróquia organizou um peditório para o arranjo/substituição do dito. O peditório foi feito, bolos foram vendidos e duas semanas antes da Páscoa, o sino da igreja voltou a tocar. Não as singelas, comedidas, simples e não ostentivas badaladas que nos diziam que horas eram, mas sim o Avé Maria. Ora ainda se pensou pela aldeia que eventualmente o Avé Maria fosse um teste porque não tocava a tempo inteiro e ainda se ouviam as ansiosas badaladas (e eu gostava verdadeiramente do singelo badalar do sino). Mas, eis que não olhando nem a crenças religiosas, nem ao respeito pelas mesmas ou pela inexistência destas, toca de se inaugurar o corisco negro do sino, mais sistema de som (electrónico), e ainda com um megafone (os surdos também direito a ouvir), a tocar o Avé Maria em alto e bom som (das 6/7 horas da manhã até às 22 horas)

Agora,aqui na aldeia, onde prevalece o fanatismo religioso e uma enorme falta de respeito para com os habitantes, a cada meia-hora sinto-me a modos que tele-transportada para o santuário de Fátima. Juntamente com a sensação de tele-transporte a cada meia-hora desejo sinceramente umas das três opções abaixo:

Que roubem o sistema de som
Que haja um curto circuito e que o sistema de som vá à vida
Que alguém suba à torre da igreja desligue o megafone e o traga como souvenir.

E se isto não foi o expoente máximo da inveja e da soberba (pecados mortais) por a paróquia do lado ter o sino, ou o som ou seja lá o que for a tocar o Avé Maria (de forma bem mais discreta), e a paróquia da terra não, não sei bem o que se passou por aqui....mas sei que é uma falta de respeito enorme para com as pessoas sejam crentes ou não. Caramba.....vivemos num estado laico, estamos em pleno século XXI e somos obrigados a gramar com o corisco do toque do sino porque a "beatagem" assim o entendeu????
Ainda por cima está desafinado!!! Toca o Avé, depois badala, e tudo isto no volume máximo!! E desafinado!!!
Ainda por cima tem uma espécie de amplificador....
E se eu ficar surda, ou der em maluca com o raio do toque do sino, apresento a conta a quem?? Ao padre, à "beatagem", ou a ambos????




quarta-feira, abril 08, 2015

Pois que vi

Pois que vi esta capa numa papelaria e o pensamento que passou pela minha cabeça foi o seguinte:

"Meu grande filho de uma grande coisa!!! Pessoas houve que perderam as poupanças de uma vida por seres um grandessíssimo mafioso e um ladrão, e tens a soberba lata de acenares para máquinas fotográficas e fingires que não fizeste merda nenhuma. Ainda por cima, continuas a mandar nesta merda toda, porque não há quem tenha um belo par de tomates para agarrar em ti e te espetar na choldra ao lado do Zé Sócrates."

PS: e nem que vás à missa 10 vezes ao dia, dizer o credo e pedir a remissão dos pecados, comprares indulgências, pagares ao padre, seres "mecena" da igreja, irás para a céu. Porque a haver inferno, meu querido, o teu lugarejo lá já está mais que reservado.


Swift

Também me chego à frente nisto de mostrar os peluches....
Chama-se Swift, e está comigo há 30 anos. Passeou muito comigo, dormi muitas noites agarrada a ela com tal força como se dependesse dela a continuação do mundo em que vivo. Foi verdadeiramente a minha almofada, muitas lágrimas minhas apanhou, muitos abraços apertados lhe dei.

E verdade seja dita, ainda hoje a Swift dorme na minha cama. Ou durmo eu com ela, ou dormimos uma com a outra....Se não tenho a Swift perto de mim não adormeço e não durmo bem.
E é isto..... com 34 anos e ainda durmo com um peluche...e que ninguém se atreva a tirar-mo....

Se alguém se está a perguntar o porquê do nome, a resposta é bastante simples. A Swift é a raposa do David, o Gnomo, (uns desenhos animados que passaram nos anos 80) a melhor amiga dele, quem o ajuda. Logo, nem hesitei na escolha do nome da criatura.


terça-feira, abril 07, 2015

Já sei que venho atrasada

Já sei que venho atrasada, mas não resisto a "mostrar" a minha Páscoa, passada no lugar onde o tempo passa mais devagar e sem pressa. Onde se descansa, se ganha energia, onde se encontra a família e se trocam conversas, memórias e afectos. E sabe sempre bem voltar-se a um local onde se é feliz, e sabe sempre a pouco....









quinta-feira, abril 02, 2015

A Aguiar Branco

A Aguiar Branco só faltou contar a velha piada do "vou levar-te comigo", que será mais ou menos assim....

"Sabem o que disse o Manoel de Oliveira para o Silva Lopes?? Vou levar-te comigo, vou levar-te comigo, vou levar-te comigo meu irmão, vou levar-te comigo...."


"A morte não me assusta. Assusta-me muito mais a vida".


 

quarta-feira, abril 01, 2015

É com certeza

É com certeza boa música Portuguesa!!!
O Carlão nunca me desilude.

E não, não é kizomba. Tem sim influência do som Africano, mas de maneira nenhuma é uma kizomba. Nem de longe nem de perto...


Às mães, aos pais, à sociedade

Li o texto de Joana Neves na Maria Capaz, e quero mesmo partilhar este excerto e o meu pensamento:
“Quando digo que não quero ter filhos, as pessoas ficam sem saber muito bem onde me encaixar”. Quem já passou, seja por que razão for, pela experiência de ouvir aquele silêncio embaraçoso, aquela pausa que algumas pessoas fazem quando ficam à espera de uma explicação para o desvio da norma, sabe do que estou a falar."

Continuo à espera do dia em que não olhem para mim com cara de "isso dizes tu agora. Não queres ter filhos... QUANDO engravidares mudas logo de ideias". 
E quem diz que eu tenho que querer o que A,B,C e D quer? Que tenho que querer, ser e fazer porque é o "que se pede", o mínimo exigível, o que se espera de qualquer mulher? Procriar?? Ter filhos só porque é suposto que sim? Porque se todas têm filhos, eu tenho obrigatoriamente que ter?? Sou obrigada a gostar de bebés? A ter o meu relógio biológico a dar badaladas tão altas como o Big Ben, só porque já tenho 34 anos? E daí? Terei algum defeito de fabrico? Terei sido mal formatada? Falta-me um parafuso? Sou egoísta? Não sei o que quero? Uma coisa eu sei....se engravidasse ia pôr literalmente as mãos na cabeça e não por contentamento. Não fui formatada para o que a sociedade exige. Não tenho paciência para formatos, nem para estereótipos, fazem-me uma confusão danada, "o tens que ter, tens que fazer, porque toda a gente faz e tem...." Espera lá....se toda a gente se atirar para dentro de um poço,eu também tenho que ir?? E se todos se vestirem de amarelo canário e eu escolher vestir-me de verde? Sou o quê?? Uma pária da sociedade por não andar alinhada com os restantes??
Honestamente, tenho medo.....muito medo dos pensamentos e das pessoas estereotipadas, que vão com a "carneirada", todos com o mesmo pensamento, o mesmo objectivo: o casar, o ter filhos, cuidar do marido, dos filhos sempre da forma politicamente correcta, porque a sociedade assim exige. Sim, a sociedade exige que todo o homem e mulher tenha como objectivo principal casar e procriar (não necessariamente por esta ordem). E quem não o faz?? Quem não o faz, quem não pensa assim, é visto como uma qualquer espécie de aberração, ou como um ET, uma ave rara, uma espécie de monstro que não cumpre o que está predestinado, (está mesmo???)....
E a mulher que se torna mãe.....como o texto diz, logo vem a sociedade toda elencar tudo o que é correcto, e ai da desgraçada que fuja do que a sociedade manda e ordena....foge um bocadinho e é uma egoísta, uma má mãe, não sabe educar, não sabe tomar conta, soube fazer o filho e tê-lo, mais nada!! Uma mãe trabalhar???? Que afronta.....não dar mama ao bebé??? Uma hecatombe!! Pensar em si, e não só no filho??? É uma devassa!!! Voltar ao trabalho depois de ter um filho e ter prioridades para além da maternidade??? É o fim do mundo tal como o conhecemos!!
Em 2015, em pleno século XIX, termos que nos submeter a toda uma linha retrógrada porque a sociedade assim o "quer" é estúpido, verdadeiramente estúpido. E neste ponto, ponho-me a pensar se o Darwin não se enganou a meio da teoria da evolução do homem....


© Brainstorming
Maira Gall