sábado, janeiro 28, 2012

 
Se não puderes ser um pinheiro no topo da colina
Sê um arbusto no vale – mas o melhor arbusto na encosta do monte.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
e dá alegria a um caminho.
Se não puderes ser almíscar, sê então apenas uma tília,
Mas a tília mais viva do lago.
Não podemos ser todos capitães, temos de ser tripulação.
Há alguma coisa para todos nós aqui.
Há grandes obras e outras menores a realizar,
E é a próxima tarefa que devemos empreender.
Se não puderes ser uma estrada, sê apenas uma senda.
Se não puderes ser o sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso.
Sê o melhor de o que quer que sejas!

Douglas Maloch
Sê qualquer coisa mas sê.
Sê seja lá o que for, uma semente, uma folha, uma plantinha, uma erva, uma migalha, um grão de areia.

Adenda: poema erradamente atribuído a Pablo Neruda. 

4 comentários

  1. Seja de Pedro ou seja de Paulo... o poema é lindo. :)

    ResponderEliminar
  2. Fez-me sorrir este poema... Já conhecia, tão bonito e aquece o coração.

    ResponderEliminar
  3. LOL: é não é???Concordo plenamente.

    ResponderEliminar
  4. Petra: aquece e faz-nos sentir que podemos e devemos ser sempre alguma coisa.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall