quinta-feira, março 03, 2011

Cadernos

Há quem use o Moleskine para fazer anotações, eu tenho um caderno azul pequeno e agora um caderno verde, porque o Moleskine é para as pessoas especiais.
Eu comprei hoje o caderno verde, porque não tinha o azul e pensei que hoje provavelmente ir-me-ia ser útil.
Estar sentada neste momento, a ouvir música e a ouvir o mar num sítio quase deserto, é algo de fantástico, quase indiscritivel. É ver a força e majestade dele, ficar sentada a pensar sem pensar, só a ouvir, a contemplar.
Há bocado apanhei um mini-banho de mar. Botas molhadas, calças molhadas, enfim...mas soube tão bem ficar com o sabor do sal e o cheiro do sal.
Há uma diferença entre o mar da Nazaré e o mar de São Martinho. Eu gosto de ambos, mas confesso que tenho um prazer enorme em ver este pedaço de Oceano Atlântico com toda a sua força e plenitude. É quase sobre-humano.













(Post copiado do caderno verde).

11 comentários

  1. As minhas agendas são do Paulo Coelho. Gosto.
    Como também gostei das fotos e que mar lindo, hã! ;)

    Obrigada pela partilha. Sabes que eu e o mar temos uma sintonia brutal.

    Kiss

    ResponderEliminar
  2. Inês, fui eu que comentei em cima. Não sei o que aconteceu mas o meu nick não apareceu todo como o avatar. Talvez por estar com o Gmail aberto também, não faço idea, mas aconteu algo aqui... enfim. Vim esclarecer. :-o

    ResponderEliminar
  3. Essência: isso é estranho...
    Mas ainda bem que gostaste das fotos. :)

    ResponderEliminar
  4. Onde estou não tenho mar, nem sequer rio! Obrigada por partilhares esse mar lindo! :)

    ResponderEliminar
  5. Malena: hoje ainda vais ver mais mar se a bateria da máquina não acabar. Mas é o mar de São Martinho.
    Gosto de fazer estas coisas em alturas em que não há ainda muita gente.
    E como gosto de andar a pé junta-se o útil ao agradável.

    ResponderEliminar
  6. PFFFF....
    aqui para os meus lados tenho a PRAIA do Ribatejo, com vista para uma linha de comboio "semi-abandonada" um tejo "vazio" e .... fica uns escasso 100 KM do mar! Por outro lado Inês, aqui "perto" temos sempre o Penedo Furado.
    Ricos petiscos, rica "praia" e ... já lá tives-te o teu "momento REEF" lol.

    ResponderEliminar
  7. Oh Ricardo,há ai grandes prais fluviais e nós sabemos, e o Penedo Furado era lindo.
    Era o penedo, a minha ressaca e o Arraiolos a "comer-me" o rabo.

    ResponderEliminar
  8. lol.
    Só um detalhe, o Arraiolos, na fase mais "complicada" dele, era capaz de se "afiambrar" a gajos se não reparasse, ele com qualquer "glimpse" (não sei dizer isto em portuguÊs) até manequins e estátuas tudo ia....

    ResponderEliminar
  9. Oh Ricardo eu lembro-me bem de ti e da Cláudia:
    "Inês,Inês, o Arraiolos está a galar-te o rabo..."
    E eu morta de vergonha...

    ResponderEliminar
  10. Epá, é verdade!
    O homem deve ter dado cada "cabeçada" nas pedras do rio, coitadas das miudezas...

    ResponderEliminar
  11. Ele tinha a mafalda ao lado!!
    Deu uma cabeçada de certeza.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall