sábado, maio 22, 2010

Conversas via FB

Isto de a malta ir conversando e opinando através de estados ou de frases que saíam nas 1001 aplicações que existem tem muito que se lhe diga.
Exemplo 1: O Hélder colocou no seu FB uma frase de Cervantes Amor e desejo são coisas diferentes. Nem tudo o que se ama se deseja e nem tudo o que se deseja se ama." 
Ora eu opinando sobre esta bela frase mais as amigas do Hélder, lá se chegou à conclusão que Platão nunca poderia filosofar connosco gajas porque iria perder.......o que é verdade. Eu conclui para comigo mesma que posso por exemplo desejar muito um pacote de batatas fritas, e comer esse pacote de batatas fritas, mas não quer dizer que necessariamente que amar o pacote de batatas fritas.  
Quem me conhece sabe que eu aplico esta lógica aos entes masculinos, e é provavelmente um pensamento um pouco masculino mas é o meu......ainda não consegui amar e desejar um pacote de batatas fritas, paciência.
A isto veio a utilidade do ente masculino.
Exemplo 2: a minha frase no FB 

Esta bela frase que mostra que eu consigo ser desenrascada em tarefas que vá são um pouco masculinas despoletou os comentários de dois entes masculinos o que fizeram com que eu corrigisse a minha frase para o seguinte: Vá.............pronto.........os homens às vezes fazem jeito.........às vezes..........e lá têm a sua utilidade........... "
Assim fui levada a concluir e dando razão aos meus dois amigalhaços que o ente masculino até tem as suas utilidades na vida do ente feminino.......algumas mas parte são primitivas.......é um pouco como o desejo pelo pacote de batatas fritas......
A título de me remediar aqui fica uma musiquita engraçadita
http://www.youtube.com/watch?v=P5mtclwloEQ

"Sei mudar fechaduras de portões, sei desmontar um esquentador e montar,consigo distinguir entre uma chave de fendas e uma chave de estrela,sei atarrachar e desatarrachar e pregar, carrego botijas de gás,ando a aprender a pôr chão numa casa........em suma........não preciso de homens para nada..........."

terça-feira, maio 18, 2010

O meu diário #4

17/03/00

Parece que tudo se desmorona à minha volta. O meu separou-se da minha madrasta, e o meu avô está pior, muito pior. Foi na 4feira para o hospital, porque se sentia muito cansado, lá teve outra trombose que o deixou todo apanhado. Tem um olho completamente fechado e o outro pisca muito. Não come, está a soro, come por uma seringa, não conhece as pessoas. O que mais me custa é que certamente ele não vai saber quem eu sou. O  pior é que ele pode ficar assim durante dias, meses, anos....Gostava  tanto de poder falar com alguém, alguém que me pudesse ouvir, compreender, animar, ajudar a ultrapassar este choque. 

Este excerto do meu diário foi escrito cerca de dois antes da morte do meu avô materno. Foi nessa altura que soube o que custa perder alguém que nos ajudou a criar, a crescer, a mantermos a humildade que devia ser uma característica comum a todas as pessoas. Apesar de o meu já estar doente, durante este tempo assisti ao desmoronar de um dos pilares da minha vida aos poucos e poucos. Fui assistindo à sua demência e provável Alzheimer até chegar ao ponto em que ele deixou de conhecer todas as pessoas e se tornou completamente dependente de outras pessoas para tudo. A morte do meu avô foi uma situação que tive que ultrapassar sozinha, pelos meus próprios meios.......mais uma altura em que eu tive que ser forte e aguentar tudo, porque eu tenho o dever e a necessidade de aguentar tudo, ou pelo menos fingir que o faço.....

Reportagens Sic

Como filha de doente mental que sou, vi no Domingo a Grande Reportagem na Sic feita no Hospital Júlio de Matos. Sensível como sou, confesso que fiquei chocada pelo facto de muitos daqueles doentes não terem visitas de familiares e amigos há muitos anos. Sei o que custa entrar neste género de locais e já presenciei cenas um pouco surreais. Contudo devo dizer que nenhum doente mental é descartável, e nem nós sabemos o que nos pode acontecer um dia, porque como diz o ditado " de sãos e de loucos todos nós temos um pouco".
Assim sendo deixo aqui abaixo o link para a Grande Reportagem da Sic intitulada " A lucidez da loucura", e também outra Grande Reportagem da Sic de 2009 : "Mentes inquietas".
A Lucidez da Loucura" é uma viagem ao interior do Hospital Júlio de Matos, guiada pela...s pessoas que lá vivem, algumas há dezenas de anos. Como o Manuel que já não se lembra da vida que deixou cá fora. O Paulo, que já se tentou suicidar sete vezes. A Firmina e o João que todos os fins de tarde se encontram para namorar. E o Nuno, que há 55 anos ocupa um quarto e só pede à vida que o deixe lá continuar.

As frustrações e os sonhos de quem há muito aprendeu que a lucidez pode ser muito mais dolorosa do que a loucura. 
 

Em Portugal, há mais de 100 mil pessoas que sofrem de algum tipo de distúrbio bipolar; uma perturbação psíquica que se caracteriza por oscilações acentuadas do humor com crises repetidas de depressão e de euforia. Cada um dos doentes tem uma forma particular de manifestar a bipolaridade e de reagir ao diagnóstico, à terapeutica e ao estigma.
A Grande Reportagem SIC deste Domingo entra na vida de três pessoas que sofrem de doença bipolar. 



Pedro Paixão tinha 19 anos quando lhe foi diagnosticada a doença maniaco-depressiva. Em 1976, era esta a designação da doença bipolar. Só aos 30 anos, é que o então professor universitário de Filosofia, começou a ser acompanhado regularmente por um psiquiatra e aderiu à terapeutica. Hoje, o escritor - que abandonou a vida académica em 2005 por causa da doença - garante que aprendeu a lidar melhor com os seus humores.

No mesmo ano em que Pedro Paixão recebeu o diagnostico nascia Maria da Glória, a segunda filha de Cristina e Mário Beja Santos. Depois de uma adolescência turbulenta, Glória entraria na idade adulta no mesmo desassossego. Aos 26 anos e depois de seis meses de avaliação psiquiátrica, seria diagnosticada com a doença bipolar Tipo 1, a mais grave.
Entrava nas estatísticas da perturbação psíquica que afecta uma em cada 100 pessoas.

segunda-feira, maio 17, 2010

Bipolar

A minha mãe é portadora de uma doença mental: é doente bipolar. Não sei se os que visitam e os que lêem este blogue conhecem a doença ou não. Julgo que muitas pessoas desconhecem esta doença, mas eu passo a explicar.
Um bipolar é um doente que alterna crises de mania com crises de depressão, com maior ou menor intensidade, com mais ou menos duração, estando estes ciclos dependentes de por exemplo das estações do ano, de um qualquer acontecimento, de uma propensão maior para ser mentalmente instável digamos assim.As crises de mania identificam-se por uma maior irritabilidade, mil pensamentos por hora, querer fazer mil coisas ao mesmo tempo, gastos exagerados em coisas inúteis, uma atitude exagerada perante a vida e o que a rodeia, até algum desprezo e sentimento de superioridade perante os outros. A alguns destes sintomas juntam-se os episódios psicóticos que já presenciei. Uma crise depressiva é precisamente uma depressão que em casos mais graves pode levar ao suicídio.
No caso da minha mãe a bipolaridade dela terá sido diagnosticada por volta do ano 2002, mas julgo que antes já ela o era, mas falo de uma época em que uma depressão era um esgotamento nervoso e sucessivamente. Basicamente vivo com uma doente bipolar desde que me lembro,ou seja sempre me lembro de conviver com  uma mãe mentalmente instável e de a ter visitado vezes sem conta em alas psiquiátricas.
A doença bipolar não é curável, mas pode contudo ser controlada. Para isso existem os chamados estabilizadores de humor, que ajudam a que o doente estabilize. Junto com esses medicamentos é dado um anti-depressivo caso a crise seja depressiva ou um ansiolítico se a crise é de mania. No caso da minha mãe ela toma todos um ansiolítico, duas qualidades de anti-depressivos, um medicamento para evitar episódios psicóticos, entre outros.
A doença bipolar para além de ser uma doença mental é também uma doença degenerativa. Isto significa que esta doença faz com que o nosso cérebro tenha um envelhecimento precoce das células. No caso da minha mãe, que tem 53 anos ela já se encontra num estado de demência ou de pré-demência, estando actualmente como utente num Centro de Dia, onde julga que está como voluntária.
Esta demência precoce deve-se em muito à má medicação que ela tomou. Má medicação na medida em que a minha mãe muitas vezes se auto-medicou fazendo misturas de medicamentos que foram um autêntico cocktail molotov.
Outro factor importante que muitas vezes é desacreditado é que estes doentes (bipolares e não só), tendem muitas vezes a aproveitarem-se da sua doença para vá terem o mundo a seus pés. No caso da minha mãe, ela usou bastantes vezes a doença como um factor de chantagem para com os que lhes eram mais próximos. Um exemplo é o "eu sou doente. Ou me dão o que eu quero ou mato-me". Neste aproveitar da doença a minha mãe ajudou em muito à destruição do casamento, bem como fez com que muitas pessoas a vissem como uma coitadinha e como mal tratada pela família e por mim em especial.

Um site que explica esta doença é o da Associação de Doentes Depressivos e Bipolares:


Um filme que elucida esta doença é o Mr Jones com Richard Gere como protagonista.
Para os que não conhecem eu deixo aqui a música principal do filme.

sexta-feira, maio 14, 2010

o meu diário #3

Desta vez o meu diário vai introduzir um assunto que sempre quis abordar,na medida em que várias pesquisas para encontrar sites,blogues,fóruns que abordassem não só o ponto de vista do doente mental, mas também o da família.
Antes de transcrever o meu diário ressalvo a importância que o devido tratamento e a devida atenção que qualquer doença mental deve ter no nosso país, o que infelizmente não acontece.
Aos meus visitantes que estão a aumentar aos poucos,peço que deixem algum comentário acerca da relevância que é dada à doença mental no nosso país, independentemente de conviverem com esta ou não.

"23/1/99
Está tudo mal!Tudo uma merda como vem sendo habitual. O meu sábado foi terrível apesar de ter comprado o tal casaco.Se soubesse como a minha mãe estava nunca lho tinha pedido,nem tinha ido com ela para as Caldas. Neste momento ela está no quarto a chorar, eu já bati uma quantidade de vezes com as portas, não vou jantar, estou com uma pilha de nervos em cima.Tudo isto consequência de uma coisa: arroz de cão. Isso, arroz de cão, que a minha avó resolveu misturar com o arroz da minha mãe. Ela já não estava muito boa então com a cena do arroz passou-se, e eu também. Provavelmente a minha avó trouxe aquele arroz por ser mais barato, o que acabou por ser o problema, porque certamente ela não viu que aquilo era muito barato para ser arroz normal.
Ora como eu sou uma pessoa muito calma, e que hoje não está nada aborrecida com ela própria (que ideia), passei-me novamente com a minha mãe ( o resto da história não vale a pena contar porque começo a enervar-me de novo comigo própria). O pior de tudo é quando começo a perder a calma com a minha mãe,não tenho controlo em mim, torno-me numa espécie de monstro, torno-me violenta e com a violência vem a brutalidade e com a brutalidade eu chego ao ponto de quase agredir a minha mãe (infelizmente já o fiz e não foi nada agradável ter que me defender por ter aos mãos dela a apertarem-me o pescoço). Contudo não tem piada nenhuma ouvir a nossa mãe dizer que não pode viver comigo por causa do meu feitio, que não pode viver com ninguém, que só pode viver sozinha. Não tem piada nenhuma ouvir a minha mãe dizer que só gosto dela quando me compra coisas, que eu só lhe trago problemas com o tribunal e com o dinheiro. Porque ela me diz isso? Eu não tenho a culpa de ser gente, não tenho a culpa de ter nascido. Porque é que eu nasci? Será que vou passar os melhores anos da minha vida assim? Com brigas com a minha mãe e sem ninguém a que possa mostrar a pessoa  que sou realmente?"

quinta-feira, maio 13, 2010

O meu diário #2

Reflexões no 1º dia do ano de 1999:

Falta um ano para o fim do milénio (mais precisamente 364 dias, já passa da meia-noite).
Começo a escola dia 4 e tenho que recuperar as minhas notas e as negativas em geral.
Tem piada, a minha geração vai ser uma geração que vai assistir à viragem do século. Coisa que acaba por ser especial porque muitas pessoas pensam que o mundo vai acabar. Pura tolice!!!!! Acabar porquê?
Esta ideia não tem qualquer fundamento porque se o mundo acabasse, não acabava todo ao mesmo tempo, porque uns povos regem-se pela nossa data, outros já vão adiantados e outros ainda estão mais atrasados do que nós, portanto esta ideia não tem qualquer fundamento. (Agora o que não tem fundamento foi a forma como escrevi, mas adiante).
Mudando de assunto aqui estão os meus objectivos para este ano:
ser operada, passar para o 12º ano, ter um namorado, conseguir falar com o André (muito dificil, 99% impossível)
lololololol é verdadeiro o que está aqui escrito
ser fliz, ter saúde, ter amigos (manter os mesmos e conhecer mais alguns), e penso que por enquanto é só. O resto depois virá com o tempo

Dia de mau feitio

MEste sentimento de querer que metade do mundo se mate e que outra metade se foda (para falar bem e depressa),infelizmente parece que funciona como que um 6º sentido para a minha maravilhosa vida!!!!!
Ok,ok........sei que estou a trabalhar e que devia estar contente com isso, e estou!!!!!Aí não me posso queixar!!!!
Mas o resto........ai o resto é que me fode mesmo!!!!!!
Não sou responsável em muitas coisas??????????
Tenho que saber que sou responsável para as coisas boas e para as coisas más?????
Pois é........muito bonito de se ver........eu não responsável por nada do que a minha mãe faz,não sou responsável por me certificar que ela toma os medicamentos,não sou responsável por ver a pré demência quando ninguém a viu...........não sou responsável pela merda de internamentos que tem!!!!!Não sou responsável por nada,tanto que é por essa falta de responsabilidade que ando a tomar um anti-depressivo por dia por tempo indeterminado!!!!!!

Não tenho paciência????????
Os que me criticam que venham passar uns diazinhos no meu lugar,que depois conversamos!!!!!É muito bonito de se falar mas eu é que sei fazer a distinção entre a verdadeira demência e a falsa!!!!!Falam muito,falam todos muito!!!!!!

Que tenho deveres para com os meus avós?????
Oh que novidade!!!!!Sei muito bem os deveres que tenho para com eles e não preciso que passem a vida a mandarem-me isso à cara!!!!E lembro-me perfeitamente de ter assistido à morte lenta do meu avô todos os dias e do que a minha avó me disse quando fui com ela para o hospital "toma conta de ti e da tua mãe."
E não sou responsável...........abdico praticamente de mim,e não sou responsável!!!!!

quinta-feira, maio 06, 2010

O meu diário #1

Enquanto andava nas minhas arrumações de Primavera encontrei os meus 2 diários, que foram escritos entre 93 e 00 (com pausas pelo caminho porque não era menina de escrever todos os dias agora com pena e com falta de folhas que rasguei).
Excerto do diário de uma típica adolescente de 13 anos.
" 13 de Agosto de 1994.
Não sei,mas agora parece-me que tenho a certeza de que me estou a tornar uma adolescente e a valer em vários aspectos.
Quero ter a mobília de quarto o mais depressa possível, que tenha estante e escravaninha para o ter sempre organizado.
Decidi ser marrona.
Já não me apetece brincar com a papelada que trouxe.(Estava de férias no Alentejo nesta altura).
Acho que gosto de um rapaz a sério e que ele gosta de mim.
Acho que já não me interessa em brincar às secretárias ou às lojas.
Sinto que o meu corpo está a mudar.
Vou deixar que o meu cabelo crescer para eu mudar o meu visual, o meu estilo. Fazer mais penteados.
Vou fazer os possíveis para comer melhor para me desenvolver mais depressa.
Decidi que vou convencer a minha mãe e o Fernando a comprar uns ténis bons com o meu dinheiro que está no banco ou com o meu abono de família.
Está decidido. Eu vou começar a zelar por mim própria, cuidar de mim e do meu corpo para todos terem mais gosto em mim, para me tornar uma rapariga diferente do que hoje sou.Vou ser um novo eu.
Vou começar a convençar a minha mãe para eu ficar com o meu dinheiro do abono de família, a dar-me semanada ou a dsar 400 paus por dia quando saio às 5e30 e 250 pelas manhãs.
Está decidido. Se conseguir para o ano vou ser outra rapariga, e vou começar a escrever diariamente no diário!"

O que estava no auge era o cd dance mania se não me falha a memória, e uma das músicas era esta
">

segunda-feira, maio 03, 2010

Sonhar igual a pensar

Eu sonho........sonho a dormir, sonho acordada, sonho a pensar ou penso que sonho, ou penso e sonho ao mesmo tempo.Não será o pensar, o desejar o equivalente a sonhar?????
Eu sonho
Tu sonhas
Ele sonha
Todos nós sonhamos, ou pensamos que o fazemos.
Eu penso
Tu pensas
Ele pensa

E neste conjugar de verbos e de sonhar e de pensar vou-me levando nos devaneios, nos meus sonhos, nas pequenas alegrias de todos os dias, no sonho de um dia me encontrar e de me realizar.....
© Brainstorming
Maira Gall