quarta-feira, abril 30, 2014

Orgulhosa de mim

Orgulhosa de mim, e com motivos para tal. Para quem sempre teve pavor de falar em público, independente de ser perante conhecidos (como eram nas apresentações de trabalhos), ou estranhos, ontem ultrapassei a minhas próprias expectativas, na Assembleia de Junta de Freguesia. E estou bem orgulhosa de mim mesma. Um medo enorme que foi ultrapassado.

segunda-feira, abril 28, 2014

Pedro

Como o Pedro Cunha, existem muitos mais Pedros por aí. Mas estes não têm rosto, nome, não são notícia. Pura e simplesmente suicidam-se como o Pedro fez. Contudo o Pedro já o tinha tentado por uma vez. E como o Pedro, muitos o tentam uma vez, duas, três. Contudo tal como aconteceu com o Pedro, a maioria das pessoas não dá a importância que deve ser dada. Felizmente, por vezes existem finais felizes como este.

Pessoalmente não vou teorizar sobre o assunto, digo apenas que para se cometer o suicídio é preciso não só ser-se "egoísta", para desistir de viver neste mundo cão, e também ter uma dose de coragem para o fazer, e desespero, dor, enfartamento, desistência. Os motivos do Pedro, ele os saberá, mas quanto aos outros Pedros que por aí andam, o imagino o doloroso que é ter que viver verdadeiramente só, sem ninguém, sem apoio, sem nada, somente com uma vontade de desaparecer deste mundo que nos consome e dilacera aos poucos.

Gosto disto #29


Estou aqui

Estou aqui e podia falar da Páscoa.
Podia fazer uma festa sobre os 4 anos de blogue, mas esqueci-me da própria efeméride.
Podia pôr agora o video do eu penso que vai ser um dos hits do verão e de 2014.
Podia fazer uma ode ao sol.
Podia mostrar os meus gatos, ou o caos e os planos para o meu quarto porque vou pintá-lo e vou ter um trabalho do caraças.
Podia relatar o fim-de-semana, ou dizer que fiz o IRS.
Podia dissertar sobre a lógica da batata frita.
Podia dizer e fazer 1001 coisas neste momento, mas ia ficar com toda a sensação odiosa de que estou a encher chouriços.
Podia dizer como está a ser a batalha da nova tentativa para não fumar, mas é cedo e preciso de tempo e disponibilidade para esta aventura (talvez amanhã o faça).

O que eu posso dizer é que estou aqui, e que hei-de aparecer pelos vossos lados, se bem que o número de posts que o feedly diz que eu tenho para ler é algo um pouco assustador...

Mas estou aqui.

domingo, abril 27, 2014

Pequena grande vitória

Uma pequena grande vitória é ter fumado um cigarro nestas últimas 24 horas.

sexta-feira, abril 25, 2014

40 anos



A 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas, coroando a longa resistência do povo português e interpretando os seus sentimentos profundos, derrubou o regime fascista.Libertar Portugal da ditadura, da opressão e do colonialismo representou uma transformação revolucionária e o início de uma viragem histórica da sociedade portuguesa.A Revolução restituiu aos Portugueses os direitos e liberdades fundamentais. No exercício destes direitos e liberdades, os legítimos representantes do povo reúnem-se para elaborar uma Constituição que corresponde às aspirações do país.A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português, tendo em vista a construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno.
Preâmbulo da Constituição da República Portuguesa

E 40 anos depois, celebramos a liberdade que Abril nos trouxe, mas também nos perguntamos onde ficaram os ideais de Abril pelos quais tantos lutaram....

terça-feira, abril 22, 2014

Fiquei estúpida

A revolução foi feita por muitos, contudo o nome a figura de Salgueiro Maia saltam à vista, porque ao contrário de muitos dos Capitães de Abril, após a revolução, este voltou à sua vida e recusou sempre as honras e lugares que lhe quiseram dar. Ao contrário de uns que tudo fazem para serem endeusados ainda em vida, Salgueiro Maia nada fez, fez apenas o que lhes competia.

É por estas e outras que mais vale que os Capitães estejam calados. É que quando se ouvem declarações de carácter político, económico e social, vindas destas pessoas, uma pessoa fica mais que estúpida. Ainda deve andar nos seus pensamentos, o facto de terem devolvido cedo demais o poder ao povo, à democracia, e não terem eles ficado no comando da recém democracia criada.



quinta-feira, abril 17, 2014

Gabriel Garcia Marquez


Um génio da literatura, um activista político, um Nobel mais do que merecido. Se não leram os Cem de Solidão, recomendo vivamente que o façam. É um livro maravilhoso, junto com o Amor nos tempos de cólera, do Amor e outros demónios. A imaginação deste homem foi qualquer coisa de transcendente e genial. Impossível não nos deixarmos arrebatar e devorar as páginas sofregamente. Num outro contexto, na não-ficção, Notícias de um sequestro, um livro que me transportou para a realidade.
Fica a obra, uma imensa obra. 

Pois que estou

Pois que estou com o modo Páscoa activado. Posto isto, vou recarregar baterias para a "minha" terra. A todos uma Páscoa muito feliz, e bastante doce.

Da minha parte, fico contente por saber que vou comer um bom borrego.


terça-feira, abril 15, 2014

Sobre a entrevista com PPC #2

"Estamos a estudar a possibilidade de introduzir um tecto para o valor que o Estado pode transferir em prestações sociais”
Pois está claro que sim, deixar os pobres mais pobres.

Sobre a entrevista com PPC #1

A reter.....


Indigestão

Cortes à hora do almoço, à hora do lanche a explicação dos cortes. Ao jantar a explicação da explicação dos cortes, e para aí à hora de comer a fruta, entrevista com o PPC....
Quer-me parecer que me fico por um cházinho, não vá ter uma indigestão, ou uma coisa má. 



Chamem-me o que quiserem

Podem dizer que sou retrógrada, que não tenho moral para falar, porque não tenho filhos, mas há coisas que fazem uma monstruosa confusão nesta minha mente, que teve uma educação normal com tudo a seu tempo e a seu modo.

Basicamente, faz-me uma confusão do caraças ver crianças ou pré-adolescentes (como queiram chamar) "adultizadas".....é uma coisa que não entendo, nem nunca vou entender. Sinceramente ultrapassa-me, miúdos que querem ser graúdos, e graúdos que incentivam à coisa. Tudo tem o seu tempo, e há que dar tempo ao tempo.

segunda-feira, abril 14, 2014

Muito melhor

Muito melhor que a Anita vai às compras, Anita anda de avião, Anita vai à escola, é a Inês:
Inês caiadora
Inês pintora
Inês pica a parede
Inês põe argamassa
Inês prega 
Inês desaparafusa.

E pronto....é isto. E se há mulheres que fazem trabalhos de homem, eu sou uma delas.

quinta-feira, abril 10, 2014

Dia dos irmãos

Pois que é o Dia dos Irmãos, e eu pergunto: 
Quando é o dia do Filho Único??? Também temos direito a um dia nosso, está bem?


Contra-senso

Contra-senso que é contra-senso é alguém muito, muito, muito guloso, não conseguir comer fruta madura, muito madura, doce, docinha. É que não consigo mesmo (com execpção de melancia). O acto de me alambazar com fruta que seja doce, é coisa para me dar muito vómito, e deixar-me muito agoniada.

É caso para dizer: "I was born this way." 

terça-feira, abril 08, 2014

Intermitências

Confesso que nos últimos tempos, me tenho interrogado em se vale a pena ou não em manter este humilde estaminé. Não é por estar farta, ou por ter tido dissabores. Muito longe disso. Apenas olho para o branco do post e me pergunto sobre o que hei-de escrever. É que havendo "matéria", também não a há. Daí toda esta intermitência, esta falta de conteúdo, este vazio.
© Brainstorming
Maira Gall