quinta-feira, agosto 30, 2012

Hora do Vitinho (143)

Admito que desconhecia até ver/ouvir nos ídolos.
Ainda bem que a conheci...

Uma fotografia por dia (4)


Desagradável

Posso ver muita coisa desagradável, mas uma das piores é ver um homem sair do carro, olhar e ajeitar o "material" como se não houvesse ninguém nas redondezas. E havia...a começar por mim que estava mesmo em frente...

terça-feira, agosto 28, 2012

Esponjas

E quando penso que dos EUA provém as maiores alarvidades e parvoices, eis que sou surpreendida quando vejo estas vêm da Ucrânia.
Sei que o país não prima pelos respeito aos Direitos Humanos, (deve existir aqui um qualquer recalcamento da ex-URSS ou uma vontade de ter um Putin no poder), mas descobrir que existe uma Comissão nacional Especialista para a protecção da moral do público da Ucrânia é algo que me ultrapassa.
Segundo consta num estudo o desenho animado aqui em baixo é gay. Sendo gay, a sua imagem na tv parece que promove a homossexualidade (a homossexualidade deve pegar-se visualmente também).
Segundo consta tão grave é o "pegamento" da homossexualidade, como o facto de as crianças imitarem a personagem após verem os desenhos animados.
E quando penso que vivo no século XXI descubro mentes completamente retardadas e verdadeiramente doentes como estas.


Mini rascunhos

1º Nunca a frase "por obra e graça do espirito santo", fará tanto sentido como nos próximos dias.

2º Não há alguém que invente uns tampões para o nariz ou umas rolhas, umas tampas ou um desentupidor?
Daria jeito a muita gente, e eu era agora uma pessoa muito mais feliz mesmo que "tamponada"....

segunda-feira, agosto 27, 2012

Sobre o principio da equidade

E aqui está novamente o dito principio aplicável a todos segundo a nossa constituição, mas claro que com as devidas excepções. Equidade que é equidade em Portugal tem que ter sempre um regime de excepção (a vulgar desculpa neste caso). Para que o princípio da equidade seja aplicado, funcionários públicos e privados vão ver da mesma forma o corte nos subsídios para o próximo ano.
Para que haja uma boa excepção ainda este ano, os assessores do governo não vão ver ou sofrer qualquer corte no subsidio de natal. Não se aplica porque transitaram do regime privado para o público.

Fico deveras contente por ver o famoso principio da equidade devidamente aplicado. Tenho ainda a certeza  de que a sua boa aplicação (e excepção), não irá de forma alguma ficar por aqui...

domingo, agosto 26, 2012

Dar música

Quase que parece que hoje estou numa de "dar música" a quem aqui passa. Mas não resisti a colocar aqui...o que eu dancei ao som disto.....


Sonhos cor de rosa e moralizar a malta

Não sei quanto tempo este videoclip demorou a ser gravado. Contudo aposto que nesse espaço de tempo os marinheiros do USS Missouri deverão ter tido sonhos cor de rosa devido à presença da Cher no barco.
Para além de terem dormido muito melhor, devem ter seguido para o alto mar muito mais moralizados.
Oh para a alegria deles....

sábado, agosto 25, 2012

Fumar

Começar a fumar tabaco "feito" em casa é quase como começar a fumar pela primeira vez.
Quando começamos a fumar, fumamos o que os amigos fumam, ou que está na moda até acertarmos com a nossa marca.Quando travamos pela primeira vez é fantástico, e quando conseguimos fazer bolas com o fumo é um espectáculo.
Quando começamos a fumar tabaco "feito" em casa, neste caso "entubado", a sensação é quase semelhante. Já sabemos travar e provavelmente ainda sabemos fazer as bolas com o fumo, mas os cigarros rasgam-se, têm tabaco a mais ou a menos. E tenta-se acertar com a marca que se gosta, que é o meu caso. Agora vou experimentar Winston e já experimentei Medusa. E gostei.
Por aí há alguém que "entube" tabaco ou que conheça alguém que o faça?E sugestões de marcas?

Uma fotografia por dia (3)


sexta-feira, agosto 24, 2012

Hora do Vitinho (142)

Obrigada LOL por teres deixado o post por mais algumas horas....


Blogues

Gosto de encontrar blogues novos para ler, mas ando sem paciência para entrar nos vossos, vasculhar o que seguem, clicar e ler o que está do outro lado.
Assim peço:
Podem facilitar-me a vida e aconselharem-me blogues para eu mesma vasculhar??

quinta-feira, agosto 23, 2012

Dancin Days

Comecei a ver a novela por curiosidade, mas apercebi-me pouco depois de que uma das personagens era doente mental e provavelmente bipolar. O que eu tinha percebido confirmou-se. Digo que a personagem está muito bem pensada e muito, mas mesmo muito bem representada.
Aquelas crises existem daquela forma, de um extremo ao outro.
E escolheram uma óptima actriz para a personagem.Não é fácil representar um doente mental, mas a Custódia Galllego consegue-o muito bem.
E já estava na altura de existir uma novela portuguesa que abordasse o tema do doente, da doença mental e do meio em que se insere.

Uma fotografia por dia (2)

Adicionar legenda

quarta-feira, agosto 22, 2012

Hora do Vitinho (141)

E o francês pela voz da Ana Zanatti dá um toque especial à coisa.


terça-feira, agosto 21, 2012

Uma fotografia por dia (1)


Indemnizações

Fiquei em estado de estupefacção quando ouvi os motivos que geraram o pedido de indemnização das famílias pela derrocada da arriba na praia Maria Luisa.
Responsabiliza-se tudo e mais alguma coisa por as pessoas não cumprirem avisos e normas de segurança???
Quer-se dizer que o nadador salvador teria que ter arrastado as pessoas da arriba porque existia perigo de derrocada, ou os avisos serem fluorescentes para se verem à distância????
Gosto particularmente desta afirmação que mostra o quanto gostamos de cumprir normas:


segunda-feira, agosto 20, 2012

O amanhã...



Como será amanhã?

Responda quem puder

O que irá me acontecer?

O meu destino será

Como Deus quiser

Como será?..

Nota

Não escolhemos a vida que levamos. Uns têm mais sorte, outras menos. Um destino mais risonho, um mais sisudo. Uns conformam-se, outros nem tanto. Penso que estou num meio termo: nem conformada, nem inconformada. Aqui os opostos não me servem. Se me conformo subjugo-me, se me torno numa inconformada não consigo nem viver nem tolerar.
Basicamente preciso de ambas: da conformidade e da inconformidade.

   

Hora do Vitinho (140)

domingo, agosto 19, 2012

Armada em fotógrafa

S. Martinho do Porto hoje de manhã.....




sexta-feira, agosto 17, 2012

Sobre o facebook





Hoje abri o facebook e encontrei uma fotografia de uma adolescente a apontar uma arma a um bebé que estava ao colo. Debaixo da imagem a legenda tipica "partilhar até mais não para que a imagem chegue não sei aonde e a pessoa seja apanhada pelas autoridades".
Ver este tipo de imagens e outras com as variantes de bebés, crianças, animais e velhotes, irritam-me solenemente

Se por um lado entendo a necessidade de partilha quando o fim é válido, por outro a partilha da desgraça alheia porque "se toda a gente partilha e põe um gosto eu também" não é bonito, muito pelo contrário. Por melhor que seja a intenção de quem partilha, muitas vezes o raio da imagem não passa de uma montagem que alguém fez para se divertir. Apenas isso...muitas partilhas, muitos gostos, diversão e nada mais.

Se eu partilho algumas imagens?Algumas, as que são fidedignas, que vêm do IPO, da Ajuda de Berço, da União Zoófila, cujo apelo e aviso tenha passado na televisão. Essas imagens e páginas partilho, agora as outras não.

Para desgraças já bastam as minhas e as das pessoas que me rodeiam. Por essas ainda posso fazer algo, as outras não consigo e fazer e nada. E não partilho, nem ponho gostos.Não faz parte do meu feitio partilhar desgraças que não são mais do que montagens. Mesmo que não o sejam de que me adianta fazer um "gosto", mesmo que esteja escrito que 50.000 "gostos" ou partilhas garantem a cura, ou dão dinheiro para a criança, ou para o animal? Quem me dá a garantia de que a partilha traz alguma benesse??

Não entendo este "hábito"...
Partilhem anedotas, frases conhecidas, paisagens, a música da Fanny...eu faço esse tipo de partilhas (não a música da Fanny), e até vejo imagens giras. Agora a suposta desgraça alheia, não obrigada. Dispenso-a por completo.


segunda-feira, agosto 13, 2012

Watch and learn

Sobre os Jogos Olímpicos:
Simples, práticos e eficazes. Assim foram os Ingleses. Com orçamento "baixo" foram uns bons anfitriões e conceberam uns JO tendo como base a sustentabilidade e o "ambiente". Para além disso as cerimónias de abertura e de encerramento terão sido das mais vistas de sempre por um motivo muito simples: cativaram o publico. Fiquei de olhos em bico com os chineses, mas preferi em muito a simplicidade das cerimónias: pegou-se no que se tinha e apresentou-se ao mundo de uma forma simples: a influência brit está em todo o lado e as cerimónias reflectiram isso mesmo através da história, da cultura e da música (e aí estão em todas).

Um Michael Phelps e um Usain Bolt aparecem sensivelmente a cada 20 anos. Tenho sérias dúvidas de que qualquer um dos recordes deles sejam batidos daqui a 4 anos.

Quanto à malta, a minha conclusão é simples: a partir do momento em que se vive para futebol, se investe o grosso do dinheiro em futebol e se cultiva futebol, não me admiro nunca pela escassez de medalhas. Temos atletas, mas não temos o culto das outras actividades. Faltam infra-estruturas em condições, falta o culto do atleta de alta competição, falta-nos deixar de dizer "que vamos passear aos JO". Quem me lembre nenhuma selecção nacional de futebol foi aos JO...
Quem é que sabia que tinhamos representantes no ténis de mesa e no badminton? O judo deixou-me com um amargo de boca, mas a canoagem mostrou que mesmo com falta de tudo, conseguem-se medalhas com esforço e dedicação, e na minha opinião ainda vamos ser falados na vela e na canoagem daqui a 4 anos.
Mas tenho pena em não termos ido mais longe na natação....


Obséquio

Alguém pode fazer o obséquio de ir a Londres e trazer-me o senhor que está a cantar com uma t-shirt branca vestida e cachecol preto??


Já agora....é o mesmo que se encontra na última cadeira à direita e que dança no varão.



Tenho uns assuntos a resolver com eles.
Fico agradecida  a quem me fizer este favor.

domingo, agosto 12, 2012

Ah les emigrants

Nunca mas nunca vou conseguir entender os emigrantes. Principalmente os emigrantes em países francófonos.
Por mais que tentem "esconder" a nacionalidade, ou mostrarem-na a todos vestindo o equipamento da selecção, t-shirts e malas que têm escrito Portugal e a vestimenta à Cristiano Ronaldo e ostentando o belo e grosso do "oiro". Faz parte do emigrante na France a mania da ostentação e, com isso tenho a vida facilitada no trabalho porque sei de antemão o que vem dali...
O que me incomoda é o facto de "falarem" francês connosco, a malta que está no país, na terra, na casa...Basicamente são traídos porque nem um pouco de pronúncia têm...e vê-se numa frase tão simples e básica como o "bon jour".Filhos que não falem Português ou falem pouco eu tolero, mas uma pessoa pode estar à 30 anos na France, que continua a falar português...
E é de bradar aos céus ouvir no supermercado "Liliana venir ici". Eu ouvi isto no supermercado entre "je suis na bicha". Isto não fica bem, muito pelo contrário. Só vem elevar o mau estatuto que possuem entre o português comum.
Isto será complexo de serem Portugueses ou mania que por serem emigrantes na France ou na Suisse são uns poliglotas??

sexta-feira, agosto 10, 2012

Optimismo

Dizem que sou pessimista, eu considero-me realista, talvez até demais o que leva a uma confusão com pessimismo.
Mas como posso tentar ou fingir que sou optimista em relação a algo, quando vejo realmente o oposto?
De que adianta dourar a pílula, ou pintar a coisa de cor-de-rosa, quando vejo o oposto?
De que adianta tentar atenuar algo?
Nunca percebi a utilidade de pintarmos as coisas de cores bonitas, se de facto se passa o oposto.
Não percebo quem diz "ah isto melhora, ainda nos safamos, temos que pensar que sim", quando olho à minha volta e vejo o oposto.
Esta história de sarapintar e decorar realidades e dias não é bom, nem penso que seja saudável.
Apesar de uma pessoa precisar de ser optimista (e ainda bem que os há), deve também ser realista.
Viver demasiado no optimismo pode gerar utopias e posteriores desilusões. E nem uma nem a outra é saudável.

Consciência

Faço parte daquelas pessoas que ficam contentes por verem pessoas conhecidas grávidas. Fico feliz pela felicidade de outros, às vezes fico quase com uma lágrima no olho.
Há uns dias encontrei uma conhecida minha que está grávida. Inevitavelmente deu-se uma conversa deste tipo:
"E tu??não pensas nisso??"
(encolhendo ligeiramente os ombros) "Não muito."
"Não faz parte dos teus planos."
"Não é bem isso...tenho o gene de uma doença mental."
" Essa é outra questão.És consciente, e poucas pessoas o são".

Até aos 29, 30 anos pensava em ter filhos. Dois de preferência, e com pouca diferença de idades. Para se acompanharem, dividirem, compartilharem daquela maneira que um filho único não faz de maneira alguma.
Mas com os 30 (posso parecer muito conscienciosa e segura aos 31 e qualquer coisa), provavelmente surgiu de uma vez por todas a dita consciência. A consciência da genética, do gene que tenho e que muito provavelmente o posso transmitir a um filho meu. Ao transmiti-lo, eleva-se a probabilidade de ele vir a ter uma qualquer doença mental. É tão simples como isto: metade consciência, metade medo.
Concluindo, uma amiga minha disse e bem, que muito dificilmente eu conseguiria suportar se isto viesse a acontecer. E é verdade, muito dificilmente iria suportar a situação, porque em parte eu seria a causadora da mesma.E se dificilmente suportaria a situação, dificilmente conseguiria viver com o peso do que poderia ou posso dar como "herança".

Conflitos

Existem....
Conflitos familiares...
Conflitos políticos...
Conflitos religiosos...
Conflitos militares...
Conflitos desportivos...
Conflitos jornalísticos...
Conflitos tão básicos como o que tenho neste momento: que t-shirt vou vestir amanhã? Esta ou a outra (manga cava azul escura ou preta)??
Mas o conflito maior que existe no ser humano prende-se com o coração e o cérebro.
Por mais que um diga sim e o outro sopas, muitas vezes tomamos a decisão errada.Pura e simplesmente o sim ou o sopas não estão correctos, muito longe disso.
Errámos (e errar é humano), ao optar por um em detrimento do outro, não tentando dosear o que ambos "dizem" para evitar o que deve ser um dos maiores conflitos do nosso eu interior.
Por não usarmos o coração e o cérebro, tornar o coração mais cerebral (ou tentar pelo menos),
o acaba por acontecer é o eterno conflito que provavelmente será tão antigo como a humanidade...

Já segui um, o outro, tentei a resolução de conflitos entre ambos, já segui bem as instruções e já as segui assim assim ou menos bem. Levei tudo à regra e fugi a essa mesma, mediei o conflito e fugi das mediações e conclusões.

Voltando à t-shirt que me levou a desenvolver esta historieta...vou vestir a preta, mas a azul escura vai ficar a jeito...


quarta-feira, agosto 08, 2012

A importância

Assim como dou o seu a seu dono e a razão a quem a tem, dou a importância que tudo e todos merecem. Essa mesma. a que lhes é devida e merecida.
Nem mais e nem menos.
Mas verdade seja dita, faz parte do ser humano dar maior e menor importância a opiniões e questões...
Mas já diz a música "life goes on", e a nossa passagem por aqui pode ser demasiado curta para o que damos importância no todo que nos rodeia.


terça-feira, agosto 07, 2012

Good vibes

Boas ondas, ou boas energias. Basicamente é nelas que deve consistir o Verão (e o resto do ano, bem o sei).
Uma música que me as transmite é a que está aqui em baixo.....velhinha velhinha, mas com uma boa onda, ou uma boa energia.




segunda-feira, agosto 06, 2012

Hora do Vitinho (138)

"A vida é para nós o que concebemos dela. Para o rústico cujo campo lhe é tudo, esse campo é um império. Para o César cujo império lhe ainda é pouco, esse império é um campo. O pobre possui um império; o grande possui um campo. Na verdade, não possuímos mais que as nossas próprias sensações; nelas, pois, que não no que elas vêem, temos que fundamentar a realidade da nossa vida." Fernando Pessoa



domingo, agosto 05, 2012

A modos que é assim



quarta-feira, agosto 01, 2012

31 de Julho

Ontem, 31 de Julho foi o Dia  Mundial do Orgasmo.
Diz a Orquídea que "um orgasmo por dia nem sabe o bem que lhe fazia". É bem capaz de ser verdade mas sobre essa temática eu já não opino.

Hora do Vitinho (137)

“Nós nunca nos realizamos. Somos dois abismos - um poço fitando o céu”
Fernando Pessoa - O Livro do Dessassosego



© Brainstorming
Maira Gall