Voltando à miúda que foi sovada

quarta-feira, maio 25, 2011

Ouvi hoje na "Querida Júlia" (sim eu vejo de vez em quando o Hernâni na SIC), um telefonema de uma amiga da família que automaticamente pôs as culpas sobre o sucedido na escola.
Ora segundo o meu ponto de vista, que é completamente leigo, não vamos pôr sempre a culpa na escola e consequentemente nos professores, directores e funcionários. Não generalizaremos as coisa porque não vale a pena. Se são casos que acontecem na escola, se são miúdos que se atiram a rio por fugirem na escola, os miúdas que são abusadas e violadas por terem saído da escola quando não tinham autorização para tal, muito bem, acusa-se o funcionário que não cumpriu as suas obrigações (mas já no meu tempo uma pessoa conseguia sair da escola apesar de não poder).
Agora, tratando-se de uma adolescente que segundo consta usava o passe escolar para ir para o Colombo,e  tinha problemas de assiduidade e cujos pais já tinham recebido cartas e alertados pela escola devido à não comparência da adolescente na escola, é para mim completamente injusto e sem cabimento que acusem a escola do que aconteceu. Ou voltamos a Idade Média e arranjam-se funcionários que obriguem os alunos a passarem o portão para eles irem para as aulas?
Já agora, arranjam-se também uns funcionários que castiguem os alunos apanhados a faltarem a uma aula.


Não, aqui a culpa não é da escola de certeza absoluta. Não é preciso ser especialista para palpitar que a família da adolescente será provavelmente disfuncional, despreocupada, e pouco ou nada atenta a uma miúda de 13/14 anos.


Ora vamos lá ver...um pai ou uma mãe "decentes", que notem que a filha não vai às aulas, não tirará provavelmente um aproveitamento escolar mínimo para passar de ano, não deverá ir à escola falar com os professores assim que é chamado???Ou fica descansado da vida , a deixar tapar o sol com a peneira, para depois acusar a escola e respectivos funcionários??
Os professores devem ajudar à educação de um aluno, para além do ensinarem e de tentarem fazer dele uma pessoa aceite na sociedade (mas isto vai da personalidade de cada um). Um professor não pode assumir o papel de educador e de familiar. Para isso serve a família.


Quanto à eventual justiça que se venha a fazer a solução é muito simples: investigar miúdos e famílias, tribunal de menores e um castigo exemplar para todos. 
É que dá-me um misto de espanto, de medo e de nojo ver um artigo como este, em que é dito que as outras "pobres" miúdas que também hão-de culpar a escola por serem não só mal formadas, como mal-educadas e ainda umas futuras adultas de meterem medo, não estão minimamente preocupadas com eventuais consequências.


O que eu fazia se pudesse? Tribunal de menores com todos eles sem excepção. Ensinava os país a serem responsáveis perante os actos dos filhos, e punia-os. Os pais não podem sair impunes desta situação. Quanto aos miúdos, julgava-os, e punha-os numa casa de correcção onde estão outros bem piores do que eles, e pelo caminho iriam fazer trabalho comunitário com muitas horas e sem alternativa.


PS: Como é que os pais destes miúdos agora dormem, sabendo ou não a bela peça que tinham em casa?

You Might Also Like

3 comentários

Popular Posts

Subscribe