quarta-feira, junho 15, 2011

Eutanásia

E de vez em quando é relançada a discussão sobre a eutanásia.Desta vez, porque a BBC transmitiu um documentário,sobre a questão vista de uma forma nua e crua, e produzido por  alguém que também reclama o direito a morrer, a acabar com o seu sofrimento e o de outros.



Temos o direito a morrer de forma digna?
Ou temos o direito e o dever de sofrer e de fazer sofrer os outros até ao fim dos nossos dias?
E em que ponto é que está o testamento vital??
E se fossem vocês, ou alguém próximo de voz a querer "uma morte digna", redigir um testamento vital, ou pedir o suicídio assistido?
Vale a pena viver para estar em sofrimento constante? Vale a pena cumprir as leis de Deus ou terá mais valor a vontade do homem?


6 comentários

  1. Dramático. Bolas Inês. Confesso que chorei. :(

    ResponderEliminar
  2. Leis de Deus? Acima de tudo cumprir a vontade de quem quer acabar com o seu sofrimento e daqueles que lhe são próximos.

    ResponderEliminar
  3. Eu sou sem dúvida a favor da morte assistida. Dignidade humana e direito de opção.


    Saudades tuas Inêzita.
    Este blog está cada vez mais giro.

    ResponderEliminar
  4. LOL: eu não queria de modo algum que chorasses, queria sim alertar e chamar a atenção para este tema, e já agora que reflectissem.Eu queria mesmo era ter conseguido encontrar a grande reportagem da SIC sobre essas mesmas pessoas.
    Se te fiz ficar com a lágrima no canto do olho, penso que te fiz reflectir.Era essa a verdadeira intenção.

    ResponderEliminar
  5. Petra: o argumento contra a Eutanásia e o testamento vital é precisamente o ir-se contra a Lei de Deus.
    Eu defendo apenas que devemos ter direito à escolha. Mas ainda é muito prematuro levar-se este tema a referendo por exemplo.A nossa sociedade que se diz "moderna e aberta", ainda está muito fechada. Um exemplo foi a questão do aborto.

    ResponderEliminar
  6. Vera: concordo contigo.
    Está mais giro o meu estabelecimento blogosférico?
    Ainda bem.Eu gosto do ar dele.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall