terça-feira, setembro 11, 2012

O que eu gostava

O que eu gostava de não ter falado mal dos (des)governantes nestes últimos dias.
O que eu gostava de nem sequer ter falado deles.
O que eu gostava de continuar a viver no meu país e pensar "para o ano isto melhora". Fui uma crédula, admito, mas fomos milhões de crédulos.
Mas estamos no Titanic que por esta altura já está partido em duas partes. O "amigo" Pedro deu a machadada final, e o "amigo" Gaspar enterrou ainda mais o machado.
Paulo Portas deve estar a sentir a esta hora que não lhe espetaram uma faca nas costas, mas sim um cutelo. (convocar os órgãos do partido nesta altura não augura nada de bom).
Caramba, foram dadas normas para os ministérios responderem às perguntas feitas pela comunicação social e afins. Só falta um lápis azul.
Não quero viver numa Grécia amotinada, mas não quero viver num país que não nos governa, que não nos dá, só nos tira. Quero uma solução para o país em que vivo, quero igualdade, quero a classe média de volta,  quero qualidade de vida.

Se partilham de parte da minha opinião, mesmo que uma ínfima parte, cliquem aqui.

7 comentários

  1. Vou já clicar Inêzita, partilho dessa tua opinião e muito mais.

    ResponderEliminar
  2. Já o fiz à cerca de duas horas e meia. Sou o signatário nº 1596.

    ResponderEliminar
  3. E tu és a signatária nº 1718.
    eheheheheheh=)))))

    ResponderEliminar
  4. Será que vamos presenciar daqui a uns tempos de um segundo 25 de Abril?

    ResponderEliminar
  5. Vou clicar! Partilho a mesma opinião! Estamos juntos nisto!

    ResponderEliminar
  6. Não sei se vamos ter um segundo 25 de Abril, nem se a petição chega à AR. Mas sei que já chega.
    E estas medidas são muito mais que cortes.São uma afronta que não escolhe lados políticos.São uma questão social que tem que ser resolvida.

    ResponderEliminar
  7. Quanto ao Paulo Portas, continuo a estranhar todas as suas reservas.

    ResponderEliminar

© Brainstorming
Maira Gall