quarta-feira, outubro 10, 2012

Saúde mental

Hoje é o dia mundial da saúde mental e todos conhecemos alguém que está deprimido, depressivo, ou que tem uma doença mental mais grave. Eu não vou e não aceito rótulos, mas verdade seja dita muitas pessoas não aceitam que têm uma depressão como medo da "discriminação" de que são alvo.
Uma depressão não torna ninguém inválido mas,  infelizmente existem aqueles que dizem que um
verdadeiro doente depressivo "precisa de ir trabalhar", que "depressão não é doença."
É doença sim e pode matar sim, e destruir.Mas assim como destrói reconstrói:
1º passo: conhecer os sinais.
2º passo: consultar um psiquiatra e falar do que afecta. Tal como noutra especialidades, em psiquiatria para o diagnóstico ser bem feito é preciso falar a verdade e não ocultar nada.
3º passo: tomar a medicação.
4º passo: ter força de vontade (sem esta, os passos acima são inúteis).


O número de depressões e de doenças a ela associadas bem como a taxa de pessoas que se tentam suicidar  e que o fazem está a subir em Portugal. A crise e as dificuldades económicas vão aumentar drasticamente o número de pessoas que vão a um psiquiatra, que tomam anti-depressivos e ansiolíticos.

Imaginemos alguém que tinha um nível de vida aceitável e que de repente se vê privado de tudo. Fica sem trabalho, arrisca-se a perder a casa, faz cortes exorbitantes no quotidiano. Estes factores são acontecimentos drásticos na vida de uma pessoa e podem ser o suficiente para se cair em depressão. E tratando-se de alguém mentalmente frágil, estes acentuam-se ainda mais.

8 comentários

  1. Nem sei bem como encarar o meu próprio futuro! A minha família tem um histórico psiquiátrico que faria as delícias do próprio Sigmund Freud! A ver vamos! Há que viver um dia de cada vez!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazer as delicias do Freud é qualquer coisa.
      Viver sempre um dia de cada vez.

      Eliminar
  2. É pena que nos dias que correm ainda haja descriminação por certas doenças que, como dizes, têm toda a tendência em aumentar drásticamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E se vão aumentar....a verdade é que vão aumentar e não vai resposta suficiente.

      Eliminar
  3. Garanto-te que tem aumentado e de que maneira... muitos factores que o permitem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E nem chegámos ao cair da folha propriamente dito.Quando a hora mudar é que vão ser elas.

      Eliminar
  4. Tive uma...e das valentes!
    Fui leviana, também pensava que depressão não era doença e que era coisa de quem não tinha mais nada para fazer; quando pedi ajuda estava já em estado critico e não foi pêra doce.
    Agora sei, mas na altura era ignorante.
    A depressão é uma doença lixada; como não se vê (um pé ou braço partido veêm-se) as pessoas tendem a achar que não é nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso acontece a muita gente.Felizmente não me aconteceu porque eu conheci sempre os meus limites e nunca passei deles.Tenho uma carga genética que me "obriga" a conhecer-me.
      Mas acontece a muitos, e cada vez mais e a pessoas cada vez mais novas.Já vi muita gente bem mais nova do que eu em internamentos psiquiátricos e é aflitivo de ver.Só me pergunto o que eles estão lá a fazer...

      Eliminar

© Brainstorming
Maira Gall