E eu....

quarta-feira, maio 13, 2015

Eu eu senti o bullying na pele durante bastantes anos....reunia todos os requisitos para ser constantemente gozada e humilhada.
Começava pelos meus nomes, seguia-se o enquadramento familiar, passava pelos óculos e pelo estrabismo, por ser magra, um bocadito gaga, pela pouca aptidão para o desporto.....enfim, reunia o pleno para quem gosta de se divertir à custa dos outros. Felizmente tive o discernimento de ultrapassar e de ser superior a tudo, o que demorou o seu tempo. Deixei de me preocupar pelo facto de não reunir os pré-requisitos para ser aceite no seio dos "populares", daqueles de quem toda a gente gosta, ou do grupo a que todos querem pertencer. Sinceramente, e honestamente, ter ao longo dos anos (primária, ciclo, secundária), passado às passas do Algarve, fez-me aprender a gostar de mim e a encontrar a minha auto-estima, a saber o que quero e o que não quero.
Ver este vídeo, ler sobre o assunto deixa-me com uma série de questões e pensamentos. O primeiro que vem à cabeça é o de atribuir as culpas a uma possível educação que pode ter faltado, mas após ouvir o pai de uma dessas miúdas a falar, a admitir que não reconhece a própria filha naquelas imagens penso que a falha pode não vir daí, pode não vir dos pais, que muitos não fazem a menor ideia de que têm filhos que fazem do achincalhar outros uma forma de viver o dia-a-dia. Caramba....muitos são os casos em que os filhos em casa são uma coisa, na escola e no grupo dos amigos são outra. Até se pode dar o caso de o ambiente em casa não ser o melhor, mas depois existem os casos de pais que pura e simplesmente não conseguem ter mão nos filhos, por mais vezes que tentem, que chamem a atenção. Caramba....fosse eu mãe de uma destas miúdas, eu estaria a interrogar-me sobre onde teria falhado na educação, mas por vezes não há falhas, é a personalidade, a necessidade de ter atenção, de sobressair no grupo à custa do outro, ou porque não se encaixa no grupo, ou porque pura e simplesmente não se gosta, não se vai com a cara. 
Depois há sempre o velho chavão "gosta de gozar, mas é só a brincar....é um brincalhão, um gozão, não tem intenção nem a consciência....", "Eu estou a só a brincar, não vês que estou a brincar??" "Se tens uma perna mais pequena que a outra, porque é que não te hei-de chamar de coxo??" "Se tens óculos, és caixa de óculos!!" Será que é sempre assim?? Será que por trás da brincadeira não está a consciência do acto?? Será que não se pega no "problema" do outro, por forma a quererem-se sentir superiores? Não existirá por ventura o botão que dispare quando a brincadeira atinge proporções em que deixa de o ser?
Honestamente, espero, espero bem que este miúdo tenha a capacidade de seguir em frente e de ser superior a tudo isto...porque não deverá ser fácil rever a situação, e ler o que escrevem sobre o sucedido.
Quanto às criaturas que fizeram isto, os bullies, esta espécie de gente mal resolvida e com um qualquer recalcamento, ou necessidade de atenção, e muita falta de amor próprio não passam de gentinha que têm um ego do tamanho de uma ervilha, zero de auto-estima que usam, abusam e fazem mal a outros para seu belo prazer e divertimento.
E o karma, o karma há-de fazer o seu trabalho e a justiça espero que também...



You Might Also Like

0 comentários