domingo, agosto 11, 2013

Right....


Façam de clicar aqui  e de ler o respectivo post até ao fim.

Este relata tão somente uma realidade que a nós parece impossível, uma utopia. O facto, e aqui já reza a história, é que em alturas de crise, e de convulsão social, os partidos extremistas tendem não só a aparecer como a cimentar posições. Depois surgem senhores que nos incutam uma "democracia" nova, com "novos" hábitos, que contudo não são assim tão novos.

Os movimentos extremistas continuam a existir, e nos tempos que correm, tendem a evoluir. A semente ficou, amadureceu e muito provavelmente sabe-se adaptar bem a forma de ser e de estar que tem tanto de moderno, como de princípios e filosofias antigas.

O nosso mal, e o mal de muitos é o estarmos completamente alheados da situação política de países Europeus que não pertencem à UE.

E sim, a situação política de países Europeus fora da UE deve ser mais conhecida e divulgada, por todos e para todos. 
Afinal é nas alturas de crises económicas, e de convulsões sociais que este tipo de "movimentos" começa a ascender e a ser "ouvido", por aqueles que se encontram desacreditados de um sistema actual. É a época em que as populações mais sensíveis, e logo mais susceptíveis de ouvir e se identificar com discursos e ideologias mais inflamados. Foram em alturas semelhantes em que surgiram no século passado todos aqueles lideres que "conhecemos", e é em alturas destas que tendem a aparecer e a ganhar espaço potenciais seguidores e/ou substitutos.
Principalmente situações políticas como a austríaca e outras onde a extrema direita está a ganhar poder de forma substancial.

Abram os olhos, não se deixem dormir.

2 comentários


  1. Mete medo viver neste mundo que caminha apressadamente para o cataclismo económico e social.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mete medo. Mas também me assusta o facto de estarmos
      alheados do que se passa por aí.

      Eliminar

© Brainstorming
Maira Gall